Arquivo de etiquetas: desejo

Não queríamos sair dali, por nada!

Eu não queria sair dali por nada ….

Fechei os olhos, uma e outra vez, para continuar …
Soltei os movimentos do corpo a despertar do sono mas não do sonho!
Virei-me para ti e vi-te dormir …
Sereno e de sorriso nos lábios ! Continuar a lerNão queríamos sair dali, por nada!

Sessão de Cinema

TEXTO ERÓTICO| M18A  󾬥 󾬥  󾬥 󾬥  󾬥 󾬥
Ultima sessão, apeteceu-me ir ao cinema sozinha.
Ultima fila para poder ter a perspectiva toda da sala.
Meia dúzia de pessoas para ir ver um filme erótico-romântico.
As luzes diminuíram… e senti um casal sentar-se ao meu lado.
Pensei..,- Fogo queria estar só!!
O filme começou.

Continuar a lerSessão de Cinema

Pescado como um sacana

Mantenho-me preso como um peixe em volta do isco..
Hipnotizado pelo brilho
do engodo que reluz na penumbra.
Vontades alimentadas pelos teus dizeres…
Pelos teus quentes acordares…
Os meus dedos anseiam sentir a leveza da tua pele despida de pêlos…
Ali onde a humidade se confunde com o calor…
Mordo os lábios com a ânsia de chupar os teus
Como se o anzol soubesse a prazer…
As tuas coxas feitas para serem afastadas…
Gemeres teus que soam a chamamento…
Uma verdadeira sereia com um rabo desprovido de escamas…
Convidativo ao meu paladar…

©Read Mymind 2017 #69Letras

Confessar

Confesso-me a ti,
A quem entreguei o meu coração
involuntariamente,
Confesso-me a ti,
Todos os pensamentos pecaminosos
As minhas vontades carnais
Confesso-me a ti,
Como desejei chegar perto de ti,
Arrancar-te dessa boca que me põe louca
beijos ardentes, apaixonados
Confesso-me a ti,
que te desejo de corpo e alma
Quero sentir-te em mim,
Quero saborear toda a tua essência
Confesso-me a ti,
pois já não tenho forças para lutar
contra o inevitável
Apaixonei-me
Rendo-me aos teus braços.
©Lola #69Letras

O primeiro Beijo

Sentada na esplanada do café deixei escapar um sorriso, porque ao ver o casal à minha frente, fez-me recordar o nosso primeiro encontro.
Inicio de Verão, tínhamos ido lanchar em plena Baixa com amigos. A conversa estava animada.
Nós já nos conhecíamos há um mês, e as nossas conversas eram como a carochinha e o João Ratão (Ahahah!), à janela, ou então trocávamos cartas. Mas…., bastou uma troca de olhares e senti os teus lábios procurarem os meus, 
sedentos de desejo.
Sentir pela primeira vez, as tuas mãos na minha nuca, na minha cintura a puxar-me para ti.
Perdi a noção do tempo que ficamos assim, parecia uma eternidade, mas foram breves segundos.
ao ponto de deixar os nossos amigos desconfortáveis com o teu impulso.
Sei que despertaste algo em mim, que estava adormecido. Mas não me queria ficar só pelo beijo.
O meu corpo pedia por algo mais. Precisava te sentir.
Depois daquele beijo, o lanche parecia que demorava uma eternidade a terminar, queria-te só para mim.
Mas sei que não ficaste imune ao beijo, pois as tuas mãos percorriam as minhas pernas, pondo-me num estado febril, em erupção.
Tive de inventar que precisava de ir para casa, mas o que realmente queria, eras Tu!.
Deixaste-me em casa.
No patamar da entrada puxei-te para mim, senti um urge desejo de saborear essa boca, esses lábios carnudos, perfeitos.
Não resistis-te à minha investida e eu muito menos me deixei intimidar, quando me encostaste à parede e pude sentir todo o teu corpo, pressionando o meu.
Foi o primeiro de muitos e ainda é… <3 <3
©Lola 2017 #69Letras

Penitência

Foste meu mais doce crime, hoje és minha mais tortuosa penitência.
Começaste por ser um capricho, uma tentação, uma glorificação das minhas habilidades de sedução, como eu estava enganado, no meio do meu convencimento e auto-estima masculina deixei-te ludibriar.
Não era eu, o mestre fantoche, eras Tu em todo o teu esplendor e beleza, perdi-me no teu beijo incomparável, no teu cheiro irresistivelmente tóxico e inebriante, no sabor da tua pele, do teu sexo viciante e envolvente
E, acima de tudo ajoelhei-me perante a tua insaciabilidade, a tua entrega total e desinibida ao acto de amar. Os teus sussurros de desejo ao meu ouvido que ainda me ensombram os pensamentos e, os sonhos que me inundam o corpo de suor nas noites mais solitárias.
Deixaste com os teus pés pequenos e delicados pegadas demasiado grandes no meu coração que por mais substitutas que procure ainda nenhuma as foi capaz de encher.
Até que aconteça. Vivo de memórias, de pormenores só nossos. Vivo na esperança que o que sinto seja também um espelho da tua alma, do teu coração, do teu corpo. Que por razões misteriosas o destino nos apartou, mas voltará a cruzar os nossos caminhos, desta vez para sempre.
Até lá respiro um fôlego de cada vez, lentamente um passo após o outro, um dia de cada vez, escondendo no fundo dos meus olhos a saudade do teu olhar único.
Tantas vezes o procuro na multidão, um destes dias, em breve, talvez o encontre.
©Bastardo 2017 #69Letras

Nossa gordura não deve nada a ninguém!

Todos os dias me olho ao espelho e vejo isto.  Ainda esfrego os olhos, na esperança que eles sofram de algum síndrome de aumento mas não. 

Aquela no espelho sou eu e aquela arrasta o meu eu para a lama.
Complexos? Não! Vergonha? Muito menos!
É o reflexo daquela nos outros que me atinge. Porquê?
Porque deixo de ser “a” para ser “uma”. Perdemos a identidade na gordura…
E se não temos identidade, não somos membros da tal dita sociedade onde a minha palavra talvez até fizesse diferença. Quanto mais não fosse para os meus…

Deixamos de ser mulheres para sermos seres gordos sem interesse. Seres incapazes, ignorantes, insensíveis e desinteressantes.
É assim que a sociedade ainda nos vê.
A sociedade que critica, julga e condena.

Eu até me estou pouco marimbando para a sociedade mas os efeitos na geração do amanhã preocupa-me.
Sim, além de ser gorda sou mãe.
Uma mãe que dedica mais tempo aos seus que a si própria, sei. Mas não deixo de ser gente! E também sou sexy, sensual e até, espantem-se agora membros da sociedade critica, capaz de proporcionar e ter prazer.

Passo também a avisar que a minha gordura não roubou nada a ninguém, não vende droga a adolescentes, não matou em nome de pseudo religiões ou por psicopatismo, não violou nenhuma criança ou adulto e muito menos agride fisicamente ou verbalmente arbitrariamente em casa!

PORQUE ISSO É QUE É VERGONHA!

Dito isto, é justo dizer que a minha gordura, igual à de tantas outras pessoas, não deve nada a ninguém! Pode sair à rua orgulhosamente e de cabeça erguida!
Portanto, abram alas e deixem-na passar!

©Miss Steel 69Letras 2017