Arquivo de etiquetas: desconhecido

Sessão de Cinema

TEXTO ERÓTICO| M18A  󾬥 󾬥  󾬥 󾬥  󾬥 󾬥
Ultima sessão, apeteceu-me ir ao cinema sozinha.
Ultima fila para poder ter a perspectiva toda da sala.
Meia dúzia de pessoas para ir ver um filme erótico-romântico.
As luzes diminuíram… e senti um casal sentar-se ao meu lado.
Pensei..,- Fogo queria estar só!!
O filme começou.

Continuar a lerSessão de Cinema

5as Feiras…

TEXTO ERÓTICO M|18 ??????
O que me irrita e ao mesmo tempo me excita é ver-te passear em camisa pelos corredores do prédio, como se fosse algo normal.
Todas as 5ªs Feiras é sempre o mesmo desfile, à mesma hora. Hora do meu regresso, depois de um dia longo de trabalho.
Às vezes julgo que fazes de propósito, que me provocas ao ponto de ver até onde resisto.
Se soubesses o esforço que faço para parecer desinteressado, mas se sentisses a tesão com que fico. Ver pela transparência da blusa a tua silhueta, tão perfeita, o teu rosto jovial e inocente, mas com um olhar de diabinha. As tuas pernas bem torneadas.
Que loucura!!! Juro que fico louco!
Quando passas inalo o teu cheiro de bébé, fico doido. Doido ao ponto de cometer uma loucura.
Rodo os meus calcanhares na tua ddirecção, largo a minha mala.
Agarro-te pela cintura, e jogo-te contra a parede. Soltas um grito de susto, que abafo com um beijo sofrêgo, louco de paixão.
Sinto-te contorcer para te libertares, sem sucesso, pois to teu corpo parece que foi feito à medida do meu. Encaixam na perfeição.
Abro-te a blusa com um único puxão. Delicio-me a ver os teus seios tão redondos com os bicos acastanhados.
Adoro! Deliro!
A minha boca procurou-os avidamente, ouvi os teus gemidos, para mim foi a melhor melodia que podia ouvir.
Deixo a minha boca percorrer cada ponto do teu corpo, até à tua parte mais intima.
Olho-te, enquanto passo a minha lingua, vejo o teu desejo. Sinto a tua mão agarrar os meus cabelos e afundar mais o meu rosto em ti.
As tuas mãos cravaram as minhas costas. Acelerei os movimentos a cada elevação dos teus gemidos.
Explodimos em uníssono.
Deixei-te no corredor do prédio semi-nua, peguei na mala e rumei a casa. Que estupidez!!!!
Mas o teu cheiro manteve-se em mim dias a fio, nem os banhos, nem o meu perfume o conseguiram disfarçar. Permaneceste impregnada em mim.
A semana passou rápido e chegou de novo a 5ª Feira, estava a contar que ela não aparecesse, depois do que lhe tinha feito.
Mal coloquei o pé no patamar onde moro, lá vinha ela, exactamente da mesma forma que das outras vezes. De camisa.
Fiquei sem reacção, pois desta vez não sabia o que me esperava.
A iniciativa foi dela.
Puxou-me pelos colarinhos do casaco e colou o corpo dela ao meu, selando com um beijo ardente, quente e húmido.
Como poderia resistir?
A loucura instaurou-se todas as 5ªfeiras. Nunca proferimos uma palavra um ao outro.
Não sei de que andar, ela é.
A única certeza é o desejo que ambos temos, naquele corredor do prédio.
© Eden 2017 #69Letras

Correr

Correr rápido;

Tão rápido

Que, por muito que corram,

Nunca me irão apanhar.

Correr para longe;

Tão longe

Que, por muito longe que vão,

Nunca será suficiente.

Correr sozinha;

Tão só

Que, por muito que olhem,

Nunca verão mais ninguém.

Correr feliz;

Tão feliz

Que, por muito que tentem,

Nunca me vão magoar.

Correr triste;

Tão triste

Que, por muito que me doa,

Nunca irá acabar.

Correr livre;

Tão livre

Que, por muito que tentem,

Nunca me irão prender.

Correr com lágrimas;

Tão chorosas

Que, por muito que as sequem,

Nunca irão parar de cair.

Correr leve;

Tão leve

Que, por muitos pesos que tenha,

Nunca me conseguirão parar.

Correr rumo ao desconhecido;

Tão incerto

Que, por muito que me avisem,

Não me irão demover.

Correr por amor;

Tão apaixonada

Que, por muito que tentem,

Não te irão tirar do meu coração.

Correr por correr;

Tão bom

Que, por muito que me mandem parar,

Nunca pararei de correr.

Correr

Simplesmente correr.

© Fox 2017 #69Letras

E se eu entrar! Parte III

Musa10

Texto Erótico|M18
Parte III
E sem demora, sinto as suas mãos agarrarem-me pela cintura, fazendo me encostar rapidamente ao seu corpo despido e quente. Sinto os nossos perfumes misturarem-se e de seguida sou devorada por um beijo, o beijo torna-se inflamável, quente….molhado…DELICIOSO!!
As nossas línguas cruzam-se, e depressa se conhecem, ficando a conversar entre beijos que se mordem. No seu rosto espalho o batom que outrora coloquei com todo o requinte. Passo as minha mãos pelo seu peito, subo ao seu pescoço, puxo-lhe o cabelo que não é muito comprido, fico fã da sua barba cerrada!
Causa-me arrepios à medida que a vou sentindo descer pelo meu pescoço, depressa os seus beijos vão mudando de local.
Excita-me a forma como me segura com a mão debaixo do meu queixo, agarrando-me a outra mão, deixando me sem movimento.
Desaperta os botões da minha gabardina, e solta um uivo de prazer, quando percebe que não trago mais nada vestido.
– Uiii, deixas-me louco com a tua indumentária. -Diz ele. Olhando para mim lascivamente.
A sua pegada é tão selvagem que me deixa totalmente molhada, e após sentir a sua mão a massajar-me o clitóris, fico ofegante nem consigo falar, parece que os nossos corpos já se conhecem e, que apenas continuam algo que iniciou algures no tempo.
Não me consigo conter e meto a minha mão dentro dos seus boxers, onde sinto o seu pénis, duro, grande, molhado, a latejar de vontade.
Mas com vontade fico eu e não resisto em chupa-lo e sentir o seu sabor, até que ele firmemente me abre as pernas e me encaixa nele, na tentativa de me deslocar até outra divisão da casa. Está calor e eu estou em brasa com esta inesperada recepção. Já sentado na sua poltrona preta aveludada, meto-o dentro de mim e cavalgo-o sem vontade de parar!
Ele aperta o meu peito… sente-me arrepiada, e beija me um peito e depois o outro…aumentando ainda mais a minha sensibilidade. Que loucura!!!!, estou em fogo e sem vontade de parar de o conhecer, já nem trocamos palavras, pois os corpos suados diziam tudo!
De repente sinto-o a virar-me, dou por mim já no chão da sala, onde me lambe majestosamente, elevando-me ao céu, e de imediato tenho um intenso e molhado orgasmo. Mas ele não pára. Coloca 2 dedos dentro de mim, eu arqueio as costas a cada toque, em simultâneo aperto as minhas mãos nele, mas depressa ele me diz:
– Ainda não conheci todo o teu corpo e o meu pénis insiste em te sentir toda de uma vez, cada vez mais molhada! O teu corpo tem fome de mim, e nem tentes negar!
Eu nem consigo responder, estou em espasmos de prazer, sabia que qualquer 69 é inigualável, mas sentir um deles.
Fazer parte de um momento na 1ª pessoa, é divinal! O sorriso dele é delicioso, está adorar ver toda a minha satisfação, até parece que tinha tudo planeado!
Bem só sei que depois de nos cumprimentarmos, acabamos por adormecer no chão da sala tal foi o entusiasmo da recepção! Quando acordei, levantei-me vesti a gabardina e saí porta fora!
Qual dos 69’s se tratava? Ah! não sei e nem quero saber…!
Apenas tenho uma certeza. Irei regressar….
MUSA #69Letras

Enquanto dava uma volta para tentar encontrar as minhas amigas (sem sucesso) voltei a sentir o mesmo olhar.

12715749_1660140940898303_7895675050853165049_n

??Sábado à noite, como estava a trabalhar até tarde fiquei de me encontrar com as minhas amigas num bar. Quando saí, fui a casa arranjar-me para uma longa noite de borga com as meninas. Aquela noite que uma vez por mês marcamos. Sem limites ou regras, apenas diversão.
Chegando ao bar, que estava lotado, não as consegui ver e não atendiam os telemóveis.
Sem pressa fui até ao bar, pedi e enquanto esperava senti um olhar intenso, tão forte que parecia tocar-me, penetrar-me. Olhei à volta e lá estava. Alto, moreno, olhos verdes… Nossa senhora que Deus Grego …. “aqui tem a sua bebida” disse o barman. agradeci e quando voltei a olhar o Deus Grego já não estava lá…
Enquanto dava uma volta para tentar encontrar as minhas amigas (sem sucesso) voltei a sentir o mesmo olhar. Quando o vi, os seus olhos fixaram-me novamente, senti todo o meu corpo estremecer num arrepio tão grande e intenso que nem consigo explicar. Decidi fugir com o olhar, virei as costas e tentei aproveitar, a música estava alta e a lotação esgotado.
Foi quando senti uma mão forte à volta da minha cintura, puxou-me contra ele e consegui senti o seu membro duro. Uma respiração no meu pescoço e um murmúrio ao meu ouvido. Congelei, nunca me tinha acontecido nada igual. Mas aquele Deus Grego deixava-me assim, congelada de tesão…..
Começou a passar ritmos africanos, e ainda nas minhas costas foi-se roçando a mim enquanto dava leves trincas no meu pescoço.
As suas mãos percorreram discretamente o meu corpo até que, uma delas, só parou dentro das minhas calças. Deixei-me levar ao ritmo da música. Quando dei por mim, não podia acreditar, entreguei-me e atingi um enorme orgasmo às mãos de um desconhecido……..

Arihanna

Como será a voz daquele homem?

10600523_10152400854139132_6956129350943919474_n

 

Elas continuaram eufóricas a partilhar as peripécias da semana, eu ensurdeci assim que aquele estranho entrou no bar com aquele caminhar descontraído, os primeiros botões da camisa por apertar, mão no bolso, cabelo desalinhado, barba por desfazer.
A boca secou-me, de repente ficou calor, sinto as faces a corar, e de certeza que foi possível ver faiscas a saltar-me pelos olhos.
Quem é ele? Cumprimentou o dono do bar e este serviu-lhe o habitual. ‘É cliente habitual, tenho de vir cá mais vezes’.
Visita breve a dele ao bar. Foi-se embora e levou a lufada de Primavera que me perfumou assim que entrou.
Não sei quem é aquele estranho, e por o ser, não deveria de ter nada a dizer sobre o mesmo.
Como será a voz daquele homem?
Será que é uma voz forte? Será que é daqueles homens que quando falam, deixam uma mulher sem jeito, sem saber onde fixar o olhar, sem saber o que fazer com o cabelo, se atrás da orelha se à frente do rosto, será que me faria tremer se sussurrasse o meu nome?
Como será as mãos daquele homem?
Será que esculpiam arte? Será que são famintas, curiosas e aventureiras?Será que as mãos daquele homem sabem amar e abraçar uma mulher?
Amanhã voltarei àquele bar

 

Imagem: Fabian Perez Artist

A Vizinha

Quem é este estranho que nada sei mas quero de volta?

a6915bd110921f35547aaf3c946c89aa

Esperei uma eternidade por aquele estranho como quem espera pelo fim de semana e quando finalmente chegou os relógios acordaram para o levarem junto com o tempo.
Já que te foste podias ter levado as nossas memórias também contigo ao invés de me deixares neste purgatório sem a tua pele, mas contigo a assombrares a minha mente e a invadires as vontades do meu corpo.
Quem é este homem que nunca quis saber que medos carrego?
Quem é este homem que desprezou a mulher delicada que sou, e me agarrou pelos cabelos e trouxe a chama ao meu olhar?
Nunca tive tanta força dentro de mim, como quando estava contigo. A minha mente era livre de violar e provocar o caos, o meu corpo descobri ser pequeno para tanto prazer e frágil para tanta perversão. Ah mas esta fragilidade deixou-me ainda mais louca e insaciável por desejo devasso.
Quem é este estranho que do sobrenome nada sei, nem de onde veio ou onde nasceu?
Deste estranho apenas conheço o olhar vazio com que acelerava a minha pulsação sempre que me olhava, decorei também aqueles lábios esfomeados de pecado, o meu olfacto absorveu o cheiro a animal selvagem e vadio que me atordoava os sentidos, e o meu corpo memorizou o tamanho daquelas mãos vis.
Ah, a forma como aquele estranho apertava o meu pescoço contra a parede num beijo sem espaço para fôlego é de perder a força nas pernas…
Quem é este estranho que nada sei mas quero de volta?