Arquivo de etiquetas: dar

Quantas lutas tivemos entretanto?

image

Quantas lutas tivemos entretanto? Quanto foi o amor que entregámos e esperámos ser devolvido por quem não ama como nós? Quantos foram os atos de amor com que sonhei e nunca lhes toquei? Quantas foram as palavras que escrevi que nunca me foram devolvidas? Sonhadas e desejadas desesperadas por um pouco daquilo que dou quando amo?
Estavas tu aí a ler-me quando escrevia sem saber sobre ti. Como magicava dentro de mim tal Romeu que ama como um Deus e eu aqui deste lado do rio a escrevinhar enquanto enrolava o cabelo sonhando ser a deusa de vestido leve e cabelo reluzente de um belo cavalheiro.
Pode os nossos caminhos estarem a cruzar-se mas não existir uma história de amor para nós, mas é delicioso saber que o que idealizo é palpavel e se não está em ti, está por aí.

?A vizinha #69Letras

Quem és tu?

a48f85f92a0613ab76fb397587a27b0aFotografia: James Michael Kriha

Devia ter adormecido nos teus braços e ter o teu cheiro a embalar os meus sonhos, tal como me pediste e partir só de manhã.
Teria sido um sinal de que os nossos encontros espaçados já não te eram suficientes? Não sei, nunca te perguntei.
Diz-me, ainda me procuras em segredo como eu te procuro? Estou na memória da tua pele, como tu estás na minha?
Magia? Cada vez que nos despíamos um para o outro,corpos livres e soltos com fome de se amar, como se aquela fosse a última vez. Cada movimento, cada toque, cada gota de suor, cada olhar está memorizado em tudo o que sou.
Talvez devesse ter ficado e não ter tido medo nos conhecermos… na minha mente ainda ecoa aquela pergunta, que não me larga, que me fez corar e o meu coração aquecer:
‘ Fala-me de ti! Quem és! Quero saber de ti!’
Merda! Era um sinal que querias entrar mais um pouco na minha vida?
Sei que nos recordamos, cada um no seu canto que nos desejamos embora não confessemos e passado tanto tempo os nossos corpos ainda se pedem.. então porque não nos damos? Será receio de nos perdermos de vez? Mas não estaremos já perdidos? Uma vez li que o nosso lugar é junto de quem o nosso coração procura…e nós procuramo-nos em memórias, então porque não ficamos?