Arquivo de etiquetas: conversas sem mordaças

Posições sexuais e tal e coisa

Hello pestes dos infernos como vai isso?Espero que tudo em cima.
Literalmente, mas se não estiver fiquem a saber que existe medicação pra tratar disso.
Ora bem todas as semanas tenho vindo a “falar” sobre BDSM e afins mas a verdade é que há tanta coisa do BDSM que poderia escrever e não o faço.
Acho que vos devo uma explicação, ao contrario dos outros autores eu não tenho jeito pra escrita.
Mas aposto que isso vocês já sabem, então escrever sobre coisas que não gosto ou não me dizem nada não é fácil e soa tudo a documentário da BBC vida selvagem.
Como não quero isso nesta rubrica fico-me pelo que sei e não gosto de inventar.
Simmmm, porque eu tenho amigos que são almas caridosas que me vão dando ideias.
Mas são ideias que iria resumir tudo numa frase ou duas tipo.
Isto é assim, faz-se assado e sabe a cozido…O FIM
E depois há a vertente choné, se é assunto que não posso meter um piada aqui ou ali não me chama.
Depois ainda há outro factor nem tudo o que gosto, faço ou fiz posso escrever.
Imaginem lá vocês se a minha mãe dá com isto?Lololol brincadeira a minha mãe ia meter gosto e escrever um comentário catita do gênero depois de partilhar.
-“Ahhh granda filha a dar porradinha nos submissos, que orgulho!!!”
Basicamente é isso, então fugindo um pouco a açoites e algemas vou falar de posições sexuais.
Continuar a lerPosições sexuais e tal e coisa

Conversa com a Kat

Oi bichezas mais boas, como correu a semana?

Portaram-se mal? Espero que sim, senão ando aqui a gastar o meu latim pra nada.

Hoje o tipo de conversa é outro, não vou explicar nada nem dizer chonezices resolvi vos mostrar uma conversa com uma menina linda que é praticante de BDSM, fiz-lhe umas perguntitas e ela teve a amabilidade de responder.

Continuar a lerConversa com a Kat

Fobias sexuais e coisa e tal

Oiiiiiiiiiii doidinhos como estão? Tudo em cima?! Se estiverem em baixo também não faz mal, depois de ler ficam mais animados de certeza.

Na semana passada falamos de fetiches sexuais por isso para completar a coisa resolvi falar de fobias sexuais e as esquesitices irracionais que muita gente tem.
Preparados?! Bora lá então. Continuar a lerFobias sexuais e coisa e tal

Fetiches Incomuns

Olá olá, cá estou eu mais uma vez na continuação da semana seguinte para vos trazer mais uns fetiches bem catitas.

Decidi só vos mostrar os que acho mais estranhos e fora do comum, vamos a isso?

Acrotomofilia – Pois bem quem tem acrotomofilia sente atração por pessoas que tiveram partes do corpo amputadas ou que simulem que tenham uma parte do corpo amputada. Continuar a lerFetiches Incomuns

Perguntas para a Kat

Oiiiii como vai isso gente depravada? Tudo em cima?!
Vá nem todos são depravados lol.
Pois é as conversas sem mordaças de hoje são um pouco diferentes, andei a recolher perguntas que me fizeram sobre BDSM ou sobre a minha pessoa.
Vou repartir em duas vezes este desafio que vos fiz das perguntas e respostas.
Algumas foram bem lixadas de responder, mas espero que gostem tanto desta troca de ideias como eu gostei de responder.

A Dominação Psicológica é interessante para si?

Claro que sim, a meu ver se não existir dominação psicológica não faria sentido nenhum ser praticante de BDSM.
Algo que todos temos em comum é o prazer que temos em ter poder ou ceder o poder a alguém.
Controlar e ser controlado.
Mas claro que tudo tem de ser feito dentro dos limites de cada um, dominação psicológica pode deixar marcas.
Ambas as partes têm de ter consciência que pode ter um efeito negativo, mas cabe a cada um saber lidar com isso da melhor forma.

Qual a sua prática favorita?

pahhhh são tantas resumir a uma tenho que pensar muito.
Talvez Tease and Denial ou CBT, a pessoa que me fez esta pergunta sabe o que são estas práticas.
Mas para quem não sabe cá fica um resumo:

Tease and Denial– É uma prática que consiste em deixar alguém num estado extremo de excitação sexual por um período longo de tempo, sem que se permita ter a satisfação de ter um orgasmo.
Nesta prática a Dominadora pode recorrer a um pouco de tudo para que a parte submissa mantenha a excitação ao máximo e tenha de se controlar muito para não se vir.
Como costumo dizer é uma “doce tortura”.
Além do Tease and Denial também se faz controlo de orgasmo, ou seja privar a pessoa de se masturbar ou ter relações mesmo estando longe, pode ser com dominação psicológica ou com uso de cintos de castidade como este 
Aqui

 

CBT- As siglas significam
Cock- Pénis, Balls- Testículos, T- Torture
Basicamente torturar bolinhas e paus lololol, de várias maneiras diferentes, pode ser com spanking, elásticos, pontapés, pisar, com electroestimulação, entre outras coisas divertidas.

 

O que distingue um/a dominador/a de um companheiro ou companheira possessiva e violenta?

Essa pergunta por acaso é muito boa.
Claro que existem vários tipos de relacionamentos dentro do BDSM, alguns com afecto e proximidade, outros nem por isso, são completamente o oposto e não há envolvimento afectivo nenhum.
A relação que se tem com um Dominador/a nada tem a ver com uma relação dita baunilha de casal onde uma das partes mostra comportamentos abusivos psicologicamente ou mesmo físicos.
À partida o que difere é a consensualidade, quando um homem ou mulher é praticante de BDSM sabe bem o que quer e o que não quer para si, pode até nem saber todos os seus limites mas a qualquer altura termina a relação que tem com a parte Dominante.
Alguém que tenha um companheiro abusivo vive preso/a numa relação tóxica e claramente não tem prazer com isso.
Enquanto um submisso/a pode sim ter uma relação com um Top que envolva violência e sentimento de posse sobre ele, mas tem prazer nisso, em servir, em pertencer, dar tudo de si.
O sofrimento trás prazer…Para mim é essa a diferença.
Claro que também existem relações 24/7 em que o Top além de ser Dominador/a também é marido ou namorado e pode sim confundir as situações e abusar do seu estatuto e quando por exemplo numa discussão de casal normal usa o seu poder sobre a pessoa no mau sentindo.
Esperemos que o discernimento de cada um prevaleça e que não queiram manter uma relação desse género, envolva BDSM ou não.

O que é uma dominatrix?
Uma Dominatrix é uma Domme profissional ou Tributada também chamadas de ProDomme, alguém que tem conhecimentos de todas as vertentes e práticas de BDSM, conhecimento prático e teórico e que é paga para fazer seja sessões ou espectáculos como por exemplo eventos alusivos a BDSM.
Como disse anteriormente de todas as Dommes serão as mais completas pois conhecem de tudo, claro que também têm práticas que não fazem, por vários motivos.
Já agora um pequeno reparo, quando o título de Dominatrix tem XXX no fim significa que nas sessões pode haver sexo com penetração.
Por acaso já tinha escrito sobre os diversos títulos que existem para Dominadoras, se quiseres
espreitar fica aqui o texto.
Tipos de Dommes
A moça da foto sou eu, só assim naquela lolol…

 

O que pensa sobre a castidade masculina e, enquanto Domme, que sentimentos ou sensações associa a esta prática? E se já tiver sido key holder de algum submisso pode partilhar alguns pormenores da história?

Hummm pois bem já me fizeram esta pergunta umas quantas vezes, apesar de gostar de Tease and Denial a parte de controlo com o uso de um CB ou cinto de castidade nunca me trouxe nenhuma satisfação.
É me um pouco indiferente saber que um submisso está condicionado estando longe de mim.
Sou uma pessoa muito física, não gosto de dominação virtual por exemplo.
Tudo o que seja longe e que não seja feito durante a sessão não me interessa muito.
Posso sim ordenar que um submisso não se masturbe alguns dias ou tenha relações sexuais durante X tempo.
Mas muito esporadicamente o faço.
Já me foi oferecida uma chave sim, mas declinei pois eu sabia que a pessoa em questão dificilmente me iria pertencer, então preferi recusar.

Voltarias a te submeter a alguém? Homem ou mulher?

Epahh e eu na esperança que não tivessem lido o texto em que falava do meu começo nestas andanças.
Essa resposta não é daquelas que está na ponta da língua, a mulheres eu sei que jamais o faria.
Não tenho perfil de submissa e dificilmente uma mulher tem paciência para insolência e mulheres igualmente dominantes lol, tendem a gostar de pessoas submissas mesmo e subserviente coisas que não sou eheheh.
Já um homem acaba por ter sempre aquela coisinha que diz: “Vá eu consigo domar esta fera.”
Não é fácil ter alguém compatível comigo nesse aspecto, naquela altura estava mais disponível a conhecer e passei por uma fase experimentalista, agora sei bem o que quero e principalmente o que não quero.
Tenho sim prazer com dor e nunca escondi isso mas quem sabe, se a pessoa certa aparecer.
A resposta é Nim.

Acha possível haver uma relação D/s num relacionamento “baunilha”??  Quando digo isto não é terem uma vida normal e depois de vez em quando fazem jogos ou sessões estou a falar viverem mesmo nessa condição.


Sim claro que é possível a isso se chama relacionamentos 24/7 pessoas que além de terem relacionamento DS têm também relacionamento  baunilha.
Podem começar primeiramente como DS e apaixonarem-se e depois trazem isso para o mundo baunilha ou começar como baunilha e ir apimentando as coisas até terem um relacionamento DS.
De ambas as formas deve ser divertido.

 

 

Bem 69´nrs espero que se tenham divertido esta é a primeira parte das perguntas feitas aqui á Kat para a semana tenho mais.
Uma lambidela enorme na orelha esquerda, ouvi dizer que são as melhores.
Até quarta, à próxima quarta.

©  #MissesKat #69letras

Bdsm e o “normal”

Olá meus caros cá estamos de novo para mais dois, três ou quatro dedos de conversa, depende do aguentamento de cada um.
Mais uma semaninha e cá estou eu de novo a tentar arranjar tema para vos falar de algo que possa ser do vosso interesse e não faça ninguém fugir a sete pés e tirar o gosto na página à conta da minha pessoa!
Simmmmm que isto é giro mas acaba por ser uma responsabilidade, não quero passar informações erradas a ninguém, ?
Vocês também não facilitam nadica de nada a minha pessoa, escrevo e feedback que é bom nicles… E que tal darem ideias?!
Eu bem vejo as partilhas, não pensem que não vos vejo taradinhos mais lindos, mas sinto-me um pouco esquizofrénica a falar (escrever) como se vocês fossem uma entidade, lol.
Vá isto para dizer que hoje vou falar de coisas “normais”.
Ahhhh pois é!
NORMALIDADE e BAUNILHA com fartura.
Quando aqui escrevo não é só a Misses Kat que se chega à frente pois pelas parvoíces devem notar que sou uma pessoa…vá… divertida.
E apesar de ser Domme não tenho dupla personalidade, nem nada que se pareça, então escrevo como se fosse eu mesma fora do contexto de Dominadora, pois não faço dominação virtual e não vejo necessidade de estar aqui toda cheia de “ai não me toques”.
Não me chamo Anselmo Ralph para vir com essas manias de grandeza, mas respeito quem pense de forma contrária.
Sou uma mulher que apesar de ter gostos particulares até é bem simples, e gostava de me manter assim.
Neste meio já tive a oportunidade de lidar com várias pessoas diferentes, Tops e Bottoms e se há coisa que vos posso dizer é que, mesmo pondo uma carrada de liturgia, dureza ou devoção e adoração seja lá qual for a postura, somos todos normais!
É, normais dentro da nossa maravilhosa taradice lol.
Pode fazer confusão como conseguimos conciliar a vida “baunilha” com esta vertente BDSM.
Bem amigos é fácil, das duas uma, ou andamos uma vida inteira a esconder o que somos de tudo e todos e nem às nossas “caras metade” revelamos ou então assumimos e corre mal.
Ouuuuuu por uma sorte dos diabos até que a outra pessoa entende, permite ou tem um fetiche que até vá de encontro aos nossos.

E óbvio existem os corajosos que não temem nada nem ninguém e de caras mostram o que são e o que gostam, haja malta de coragem 🙂
Não sei se tiveram a oportunidade de ler, mas foram feitas neste blog algumas entrevistas a sub`s e uma das perguntas feitas até calha bem pois é: “eras capaz de abdicar deste estilo de vida?”.
Acho que todos iríamos responder o mesmo: Não.
Isto é muito bonito, agora vamos a factos, e creio que este dilema já deve ter passado pela cabeça de alguns.

Como faz um submisso/a que tenha um relacionamento baunilha para ter um relacionamento DS com outra pessoa?!
Pois, não é fácil.
Tem de haver um acordo prévio onde a parte dominante aceita limitações a nível físico sobre que práticas poderá introduzir num Play.
Imaginação e conhecimento são palavras de ordem, porquê?
Simples, imaginação para se conseguir colmatar essa falha e necessidade do bottom de ser estraçalhado violentamente e sem dó nem piedade.
Ou seja o dominante tem de criar forma de se “entreter” com o submisso/a e criar novas experiências de forma a manter a relação intensa.
Claro que isto é um pouco relativo, há muitas Dommes/Dom´s que nem sequer lhes passa pela cabeça terem alguém com limitações deste género.
Alguns querem fazer parte inclusive da vida baunilha do bottom, controlando a vida pessoal, laboral e até financeira do mesmo.

Felizmente que temos gostos para tudo.

É algo que faz parte de nós mas não comanda as nossas vidas a não ser quem possa ter uma relação 24/7 e sejam completamente assumidos sem terem necessidade de se esconder por detrás de nomes falsos.
Eu não me escondo propriamente, tanto que já postei fotos minhas nos textos e até na página 😉 
Sabem, entrar neste estilo de vida pode ser complicado e difícil de conjugar com a vida baunilha, principalmente por questões afectivas ou pessoais.
Podemos até desaparecer do mapa uns anos como opção própria ou por imposição de terceiros em prol de manter uma relação familiar “normal”.
Mas mais tarde ou mais cedo a necessidade fala mais alto, tal como um adultero dificilmente o deixa de ser não é?
Como dizem os americanos “A tiger doesn´t change his stripes” e eu acredito muito nisso, não que ache que as pessoas não mudam.
Até podem mudar mas a questão é quererem mesmo mudar e os motivos, serão os mais correctos?!

Outra situação que se fala é no amor e paixão e essas coisas fofinhas que os livros das 50 sombras infernais trouxeram. (fãs não fiquem amuados comigo, pleaseee)
Bem no BDSM pode haver e há sim muito amor e paixão e isso tudo, ou pode não existir nada disso mesmoooooo.
Depende da proximidade entre a parte dominante e a submissa.
Em alguns relacionamentos nem o nome sabemos de quem nos pertence e vice versa, não há conversas casuais, não há interacção nenhuma a nível pessoal.
Outros já o fazem e distinguem os dois mundos muito facilmente, eu sou do estilo que precisa de ter algum tipo de amizade para realmente ter alguém senão nem consigo estar à vontade.
É como se só desse 40 % de mim se não tiver isso, para mim apenas a amizade já é mais que suficiente.
Mas por exemplo para uma Lady a coisa já é vista de outra forma e por norma quer uma relação baunilha com o submisso, lá está, cada um é como é.
E gostos não se discutem (tem dias heheh).

Mas eu gosto quando dou por mim a divagar enquanto falo com pessoas novas e tento ver se aquela pessoa se enquadrava como TopBottom ou Switcher se tivesse esta preferência sexual, assim como eu.
Todos nós, mesmo que não sejamos praticantes, temos uma postura que ou é dominante ou mais submissa e não falo de sexo, falo de dia a dia mesmo e personalidade.
Gostava que pensassem bem que tipo é a vossa, e não digam logo dominante só porque sim.
Para que conste na realidade é bem mais difícil ser Bottom que Top.
Ok, não têm que ler tanto ou praticar e treinar e aprender certas coisas que um dominante tem de saber, masssssssssss psicologicamente e fisicamente não se compara o esforço e a capacidade do que um Bottom aguenta.
É de louvar a resistência de alguns homens e mulheres, como costumo dizer
“Não é pra todos, é só pra quem pode.”

E ainda bem que esse tipo de pessoas existem, senão andavam muitos sádicos/as tristonhos e aos caídos sem ninguém pra torturar, eheheh.

E com esta me despeço meus amores, tenham uma boa semana e até à próxima quarta feira para conversarmos de novo.
Cupidelas nos vossos olhos, 
©Misses Kat #69letras

BDSM e coisas de trazer por casa!

Olá de novo!!!

 

É quarta feira mais um dia de falar sobre esta coisa maravilhosa que é o mundo do BDSM.

Esta semana confesso que parti a cabeça sobre o que ia escrever, então lembrei-me que muitos de vós (alguns eu conheço)  seguem a minha rubrica semanal e são praticantes, fetichistas ou malta assim pró Kinky.

Mas a maioria não mas tento adaptar o que escrevo de forma a que não seja informação demasiado técnica que de nada vos serve. Escrevo na rúbrica “Conversas sem Mordaças” e não “Como ser Top ou Bottom em 7 passos”.

Uma vez um amigo e autor da página 69 Letras perguntou-me: “Porque não escreves sobre como os leitores podem introduzir coisas do dia a dia em BDSM light?”

Então, aqui está:

BDSM e coisas de trazer por casa para vos inspirar!

Um Kit básico com coisas que estão à mão de semear. E assim não precisam de ir  a voar comprar corpetes e botas fetichistas, padlles e afins.

Neste sentido e apelando à criatividade vamos falar do que temos por casa que dá para inserir num cenário de “BDSM de quarto”

  • Para práticas de impacto: Colheres de pau, réguas, mão, rolo de cozinha, espátula de bolos

                                                                                                                          SPANKINGGGGG(amo réguas eheh)

  • Para provocar valentes cócegas: Espanadores daqueles de penas  (ODEIO DE MORTE cócegas)
  • Vendas ou mordaças: Lenços, gravatas, fitas de cetim, collants..! vocês puxem pela imaginação e irão descobrir que têm por casa diversos itens que dão para fazer restrição de movimentos.

ATENÇÃO: Não usem corda de estendal. Podem fazer queimaduras sem querer.

  •  Para fazer mumificação neste caso categoria de sensation play: fita cola  larga  e película aderente! (Sou fã da película aderente)

ATENÇÃO: Tenham em conta se  vossa/o parceiro tem algum trauma passado com restrição ou claustrofobia e cenas assim, o objetivo é proporcionar bons momentos e não sentimentos inversos.

  • És dono/a de um cão de médio ou grande porte?! Se sim boa, vê então se a coleira dele te serve e usam a trela e podem experiênciar uma coisa mais DS. (depois de tanto escrever sobre isto é bom que já saibam o significado de DS).

Se não sabem, perderam este texto: A,B,C do BDSM

Vamos lá usar os elementos ao nosso favor, já vos falei de Wax Play caso não se recordem deixo  Aqui o link  para terem noção do que fazer e não fazer, mas velas é uma coisa que dá bastante prazer e conseguimos arranjar facilmente.

Gelo não tem lá grande ciência acho que todos experimentamos levar com gelo numa zona mais sensível pode ser bom ou não depende da sensibilidade e manuseamento de quem o faz.

Mas podem elevar a fasquia! Que tal meterem agua num preservativo e vai a congelar?! hummm que vos parece um geladinho para meter num lugar quentinho e húmido???? ehehehe espero que entendam onde é pra meter o dito cujo.

Molas de estender roupa, ahhh isso é giro e dá para entreter um bom bocado! Já agora deixo aqui uma foto que encontrei na internet que vos pode trazer o lado mais artístico ao de cima.

 

Meus senhores (a mulherada fica de fora neste) se as vossas respetivas tiverem algum acessório que vibre e tal e coisa (vibradores) podem usar isso como tortura. Como?

Prendam-na a uma cama e digam-lhe que não pode ter um orgasmo mas façam de tudo para que isso aconteça recorrendo a um vibrador. É entretenimento ao mais alto nível… Tu vais adorar e ela vai delirar!

 

  • Role Play: para isto não é preciso grandes acessórios! E aqui já entramos num outro ponto que não tem muito a ver com BDSM e sim, com fantasias mas ambas podem-se complementar!

Afinal muitos homens têm a fantasia na cabeça da “French Maid” aquele fatinho fofinho com folhos o belo do salto alto e espanador na mão.

Experimentem inverter os papeis! Sim isso mesmo! Vocês de salto, vestidinhos sexy, meias de liga a andarem a limpar a casa enquanto as vossas respectivas vos humilham por não fazerem o serviço bem feito!

Não é para todos, é verdade, mas creio que já tinha tocado ao de leve na feminização forçada e podem experimentar isso.

Se dispensarem a parte “feminina” da coisa, duvido que as vossas mulheres reclamem de vocês andarem a limpar e a preparar o comer para as vossas Deusas, Rainhas e afins lá de casa. <3

 

A imaginação não tem limites nem os prazeres da carne – uiii gostei da expressão vou usar mais vezes.

 

Isto tudo para vos dizer, que podem usar objetos do dia a dia e introduzir na vossa vida sexual e apimentar as coisas com um pouco do BDSM à mistura.  Mas lembrem-se: cuidado com o que fazem. Alguma coisa estou aqui para esclarecer duvidas.

Se eu não souber pergunto a algum sabichão que saiba mais que eu…pronto está resolvido.

 

Por hoje é tudo pessoal, espero que tenham gostado da conversa e aproveito para deixar um pequeno desafio:

Sei que muitos de vocês que lêem os meus devaneios podem não querer interagir devido ao estigma associado a quem gosta ou se interessa por BDSM, mas eu quero vos a comunicar por isso podem mandar as perguntas que me queiram fazer sobre BDSM ou sobre mim eu assim que tiver uma boa compilação respondo (não a todas, se me pedirem o meu PIN do multibanco não vou dar).

Para facilitar a vida ao pessoal da página peço apenas que deixem uma referencia tipo “Pergunta para a Kat” assim eu vou vendo as vossas perguntas e posso tratar disso sem dar trabalho aos colegas da página #69letras, não se preocupem que não irei colocar o nome de quem fez a questão 🙂

Toca a puxar pelo “tico e teco” e fazer perguntas giras.

Espero que gostem da ideia, uma valente lambidela no pescoço e cá vos espero na próxima semana.

©Misses Kat 2017 #69letras