Arquivo de etiquetas: converas sem mordaças

Olá gente gira e com bom gosto como vai isso?
Digo bom gosto porque seguem a página #69letras como é óbvio.
Esta semana lembrei me de falar sobre primeiras vezes.
Sim, porque no BDSM também há primeiras vezes para tudo assim como em qualquer relacionamento baunilha.
Já escrevi sobre abordagens anteriormente e como uma abordagem de merd@ pode ser motivo de exclusão logo assim em minutos.
Mas voltando ao assunto principal, a minha primeira vez e não me refiro a sexo lol porque isso é wiskas saquetas apesar da minha até ter sido bem fixolas.
Obrigada F por me teres dado uma bem dada no vão de escadas do prédio no piso do administrador do condomínio e não saberes que era virgem e que dispensava flores e quartos bonitos ou perguntas como ” Estou a magoar ?!” , ” Queres que pare?”. 
Ahhhhh a dor, coisa mais boa e que nos faz os pelinhos dos braços levantar só na expectativa de recebe-la ou infligir a alguém .
Já vos contei que apesar de ser Domme também gosto de receber dor daí dizer que sou sadomasoquista mas tudo nos meus termos e pronto mesmo numa situação passiva gosto de controlar, jamais seria submissa falta me a capacidade de entrega entre outras mil coisas hehehe.
A primeira vez que descobri que gostava de dor foi quando iniciei a minha vida sexual a primeira vez foi prova disso, doeu e eu gostei.
Não me vim mas assim que o rapaz descansou uma beca quis mais e com a prática foi doendo menos e eu queria era que doesse mais lolol vai se lá entender isso.
Percebi que sexo sem dor não me dava tanto prazer era apenas sexo razoável .
Comecei por eliminar os preliminares da equação, não havia esquentamento pra mim que não sou microondas .
Era assim zaussss.
Ainda hoje prefiro dessa forma, mesmo que seja numa posição activa.
Mas não há nada como a primeira vez que se começa a explorar este mundo seja como Top ou Bottom parece que todo o nosso corpo entra em transe devido á adrenalina que é quase palpável.
Ridículo como um simples toque pode ser tão erótico parece que até as coisas banais são potencializadas ao máximo.
O inesperado mexe com todos os sentidos é quase uma fod@ mental.
Podem achar exagero mas é tão intenso que se consegue provocar orgasmos quase sem qualquer estímulo e meter uma pessoa a tremer apenas de antecipação.
Aquela troca de olhares que diz ” és meu, sou tua’.
O medo que se tem de falhar, desiludir ou simplesmente não corresponder às expectativas que nos são colocadas.
Duvidar de nós próprios, medir forças e testar limites.
A idade aqui não é posto.
Homens feitos e mulherengos resumidos a nada mulheres pacatas viram feras que aguentam mais que um corpo frágil deveria ser sujeito.
Existe magia no meio desta perversão deliciosa e só quem vive nela sabe disso.
Por isso se quiserem viver algo assim, aceitem o medo, a vergonha, todos os receios e dúvidas que existam dentro de vocês.
Elas são as ferramentas necessárias para avançar.

Bem meus tarados por hoje é tudo.
Tenham uma boa noite e muito kinky se for possível,abreijos ©MissesKat #69letras