Aquela viagem de carro

Conto Erótico | M 🔞🔞🔞 Tínhamos combinado fazer aquela viagem de carro há algum tempo, mas estávamos sempre os dois tão ocupados que não conseguíamos marcar a data. Um dia cheguei a casa e parecia que tudo estava a conspirar a meu favor. Mandei-te uma mensagem a dizer que tinha o fim-de-semana livre e fui arrumar umas…

Viagens de prazer

Texto erótico | M18 São vinte e duas e cinquenta e seis. Temos ainda muitos km pela frente, mas vamos em silêncio. Ok, eu confesso que vou calada para reprimir tudo o que estou a sentir. Tivemos uma discussão enorme antes de sair e eu estou amuada. Tenho esse direito! Mas o meu corpo não…

De férias sem ti…

  Estou de férias sem ti e é tão estranho acordar numa cama em que o teu corpo não está presente, em que o teu “Bom Dia Amor” não existe. Sim, tenho saudades tuas. É tão difícil viver sem ti, sem o teu carinho, sem o teu sorriso e sem o teu amor. O período…

Falaram pouco sorriram muito. Eram um do outro.

De 1 a 10 Foi no dia 1 deste que mês que ele lhe ofereceu 2 rosas vermelhas. Mandou-as entregar no local de trabalho às 3 da tarde. 4 amigas roeram-se de inveja enquanto ela corada, sorria feliz por aquele ato. Já não se falavam há 5 dias, pelas 6 horas ela mandou-lhe uma mensagem…

Conto – Parte 2

Texto Erótico|M18 Suas palavras provocam efeito!… Os beijos aprofundam-se, as línguas entrelaçam uma na outra… Com um beijo intenso ele larga o corpo que tanto deseja possuir e manda-a entrar no carro. Ajeitando seu cabelo ondulado e o vestido na frente, se dirige para o outro lado do carro. Acompanhando-a, abre-lhe a porta… Sentada no…

Serei ninfo?

Texto Erótico|M18 Dentro do carro vamos em direção daquele Motel que tanto falas. O mar ficou para trás e o desejo aumentou. Adorava que me possuísses aqui mesmo dentro do carro mas tu preferes as quatro paredes. Chegamos. As minhas cuecas estão molhadas. Não aguento mais… Entramos no quarto, a porta fecha e eu já…

Segredos de um Tejo silencioso.

  Finalizei o dia exausto, e aguardei a tua chegada. Levaste-me então nesse teu carro, pensado eu que íamos jantar um belo repasto, paraste junto ao tejo, vi no teu olhar o desejo brilhar e num ápice saltaste para o meu colo, e retiras a minha gravata ferozmente atando-me na porta, a camisa foi-me arrancada…