Arquivo de etiquetas: camisa

A culpa é tua. Não tinhas nada de trazer esse vestido transparente

Texto Erótico|M18

“- Adoro as tuas transparências…
– Eu sempre fui transparente. Não gosto de iludir as pessoas.
– E nunca o fizeste mas hoje estás mais transparente que nunca.
– Gostas deste vestido?
– Adoro! Quando estavas a caminho da casa de banho o Engº Antunes parou no corredor e ficou de olhar lascivo e entesoado. E eu só não fiquei de boca aberta pois conheço bem cada curva do teu corpo, cada sinal, cada estria.
– A sério? Ai! Não trago mais este vestido! Ainda sou despedida por distrair os colegas.
– Ou então fazes com que eles sejam despedidos por assédio sexual. Bem me recordo da primeira vez que te abordei. Estava a tremer pois não sabia qual seria a tua reação, mas agora não estou nada arrependido.
– Ainda bem que vieste ter comigo, estava mortinha para te pôr as mãos!
– Hum… Se soubesses o que me apetece agora…
– Diz-me ao ouvido…
– Não. Logo depois do pessoal sair todo. Venho ter contigo… ok?
– Mal posso esperar… até logo!

Estonteante! Não há melhor adjetivo para classificar a colega do gabinete 6. No alto do seu 1,78mt, pele tom de café com leite com um brilho encantador, cabelo negro longo e encaracolado. Seus olhos são negros, tão belos, tão puros. E o Sorriso? É o mais belo, o mais perfeito, o mais lindo que vi. Não adianta ser bonita se não sabe sorrir! E o corpo? É melhor descrever enquanto o saboreio…

No final do dia subi ao piso 1, gabinete 6. De óculos e concentrada no último mail do dia, lá estava ela. Os últimos raios de sol entravam pela janela, iluminando-a. Fiquei à porta apreciando a forma como ela digita o texto, como se concentra de forma séria no ecrã do computador… Que pensamentos pecaminosos estes que me invadem a imaginação. Aproximo-me lentamente, desfazendo o nó a gravata e desabotoando a camisa. Passo o dedo indicador desde a mão até ao seu ombro, abrindo a mão e apanhando o seu longo cabelo. Com um elástico prendo-o, deixando ao descoberto o seu belo e cheiroso pescoço… Hum, que belo e intenso aroma é o seu. Com um beijo faço-a arrepiar e suspirar, e relaxadamente ela se encosta à cadeira. Tiro a gravata e faço dela uma venda, deixando-a assim com o coração aos saltos de expectativa.
“- Que me vais fazer?” pergunta-me.
“- Relaxa e aprecia…” respondo.
Com um beijo no pescoço faço-a libertar um longo e intenso gemido, descendo lentamente os lábios até ao ombro direito onde lhe retiro a alça do vestido, e com a mão esquerda a alça esquerda. Peço-lhe que se levante e o vestido cai. Como é bela e sedutora de conjunto de sutiã e cueca rendado branco na sua pele morena… Com um beijo doce envolve-me nos seus braços obrigando-me a encostar meu corpo ao seu. O calor do seu desejo e a doçura dos seus lábios deixa-me em completo tesão e vontade de a possuir ali mesmo, em cima da sua secretária. Habilmente abro o seu sutiã, deixando descobertos o seus belos seios e seus rijos e apetitosos mamilos. Enquanto a beijo vai me despindo a camisa e desapertando o cinto das calças, sentando-me de seguida na sua cadeira para me tirar a as calças juntamente com os boxers. De joelhos, debruça-se sobre a minha cintura e coloca todo o meu tesão na sua boca, fazendo-o desaparecer todo lá dentro, sugando-o… Deito a cabeça para trás gemendo. Um arrepio invade-me a espinha deixando os restantes sentidos completamente entorpecidos. Olha-me no olhos enquanto habilmente me chupa, o que me deixa ainda mais entesoado. Que delicia! Que mulher, que língua e boca mágicas! Contenho-me para não me vir no momento pois não o quero já. Debruço-me sobre ela e beijo-lhe suavemente, levantando-a para lhe retirar as cuecas. O odor da sua vagina invade-me as narinas, abrindo o apetite á minha boca. Com um abraço e um beijo longo invertemos os papeis, ficando eu de joelhos e ela sentada na cadeira. Uma perna para um lado, outra para o outro assim fica, toda aberta para mim esperando ansiosamente pela minha língua. Desde o joelho vou percorrendo um longo e extasiante caminho até ao interior das suas coxas, onde me espera uma linda e apetecível vulva, assim como um rijo clitóris. Desde a abertura da vagina até ao Monte de Vénus minha língua percorre vagarosa e prazerosamente, descendo até ao clitóris onde dispenso a atenção dos meus lábios e da minha língua… Com a mão direita subo seu corpo, desde o umbigo até á sua boca, passando pelos seus voluptuosos e perfeitos seios, acariciando seus mamilos e dando de seguida meu dedo para sua boca o chupar. Com dedo do meio da mão esquerda penetro-a, e enquanto lhe chupo clitóris, atinge um intenso orgasmo, sentindo-o a jorrar na minha boca, quente e saboroso… Pego-a pelos braços, beijando-a, e deito-a em cima da secretária. Retira a venda e diz-me:
“- Fode-me!”
De olhar fixo um no outro, intenso e lascivo, com as suas longas e perfeitas pernas enroladas a apertar-me contra si, obriga-me a uma deliciosa e profunda penetração.
“- Tão quente e húmida que és.
– Tão duro e gostoso que estás!”
Que delicia de mulher! Que maravilha de serão!
“- Fode-me por trás! Quero me vir contigo dessa forma!”
Rapidamente vira o seu belo, rijo e perfeito rabo para mim. Fecho-lhe as pernas, empino-lhe o rabo, deixando a sua bela “ameijoa” exposta para mim. Com a mão esquerda agarro-a pela cintura e penetro violentamente, deixando de seguida a marca da mão direita na sua nádega. Com estocadas certas e fortes, e puxando-a pelo seu rabo de cavalo, fodo-a mesmo ali, em cima da sua secretária, elevando-nos ao nosso belo, intenso e mutuo orgasmo!
“- A culpa é tua. Não tinhas nada de trazer esse vestido transparente.” – digo-lhe a recuperar a respiração.
“- Agora que sei que adoras vou o vestir mais vezes…” – diz-me ela com o seu olhar safado e tesudo.
“- Veste, já sabes o que te acontece de seguida…
– Um saboroso e intenso castigo…
– Gostas pouco gostas…”

 

O Vizinho #69Letras

 


Hoje queres-me em ti, dentro de ti…

Que belo dia para sair de casa, vestir os calções e a camisa de Linho, usares aquele vestido leve e florido que compraste nas férias em Ibiza.
O Sol quente e iluminado que nos enche de Vitamina D, a leve e cheirosa brisa de Maio com toques de Alecrim e Malmequeres, a frescura de uma Imperial numa esplanada junto ao mar… Certeza não há melhor que isto para dias como o de hoje…
Mas não… Não é isso que queremos fazer… Nada de roupa, somente a nossa pele… Nada de sol nem brisa cheirosa, apenas a luz do candeeiro e a odor do nosso corpo… Nada de sabor refrescante, somente o salgado e quente da nossa pele…
Hoje ficamos no sofá, na marquise, na cozinha, na casa de banho, na cama… Percorremos todas as divisões e cantos da casa, ora húmidos de vontade, ora molhados do banho; ora famintos de prazer, ora desejosos um do outro…
Hoje queres-me em ti, dentro de ti, em cima de ti, debaixo de ti… E eu em mim te quero, onde nus e desprovidos de quaisquer pudor ou vergonha gritamos em uníssono o nome um do outro…

O Vizinho #69Letras

Amores desencontrados…

ELE anda cansado das baladas e dos casos furtivos sem sentimentos. Aprendeu a gostar da sua própria companhia, sem precisar estar num grupo de amigos todos os sábados. Decidiu que quer um amor verdadeiro… que pode nem ser eterno mas que traga um sabor doce às suas manhãs, que seja a melhor companhia para olhar a lua, que ele possa exibir os seus dons na cozinha e o seu conhecimento em vinhos, só para ela.
Quer uma mulher que ele reconheça pelo cheiro dos cabelos, pelo toque dos dedos, pela gargalhada que vai ecoar pela casa transformando um domingo sem graça, no melhor dia da semana. Quer viver uma paixão tranqüila e turbulenta de desejos… quer ter para quem voltar depois de estar com os amigos, sem precisar ficar “caçando” companhias vazias e encontros efêmeros. Quer deitar no tapete da sala e ficar observando enquanto ela, de calção de algodão, com a minha T-Shirt e um rabo de cavalo, lê um livro no sofá. Quer deitar na cama desejando que ela entre no quarto em lingerie de tirar o fôlego.
Quer guerra de travesseiros, até que o vencido vá á cozinha buscar água para saciar a sua sede. Quer o poder que nenhum dos seus super heróis da infância tiveram… o poder de amar sem medo, sem perigo e sem ir embora no dia seguinte.
Quer provar que pode fazer essa mulher feliz!

ELA quase deixou de acreditar que seria possível ter vontade de se envolver novamente. Foram tantas dores, finais, recomeços e frustrações que pensou em seguir sozinha para não mais se magoar. Então percebeu que a vida de solteira já não faz tanto sentido. Decidiu que quer um amor verdadeiro… que pode nem ser eterno mas que possa acordá-la com um abraço que fará o seu dia feliz. Quer um homem que ela possa cuidar e amar sem receios de que está sendo enganada. Quer a alegria dos finais de semana juntinhos, as expectativas dos planos construídos, o grito de “golo” estremecendo a casa quando o equipa dele estiver a ganhar… a cumplicidade em dividir os segredos.
Quer observá-lo sem camisa, a ler o jornal na varanda… quer reclamar da bagunça da casa de banho, rindo e gritando quando ele responde puxando-a para o chuveiro, completamente vestida.
Quer a certeza de abrir a porta de casa e saber que mesmo ele não estando, chegará a qualquer momento trazendo o brigadeiro da confeitaria que ela gosta tanto. Quer beijar, cheirar, morder, beliscar e apertar para ter certeza que a felicidade está ali mesmo… materializada nele.
Quer provar que pode fazer esse homem feliz!

ELES estão por aí… sonhando um com o outro… talvez ainda nem se conheçam… mas é só uma questão de tempo, até o destino unir essas vidas que se complementam e estão ávidas para amar e fazer o outro feliz.
Ou alguém duvida que o universo traz aquilo que desejamos?

Autor desconhecido

O Vizinho #69Letras

Camisa

13177949_1695569687355428_4593070396632507168_n

Como ficarás tu…
Em camisa de dormir…
Quantos botões preciso desapertar…
Para te conseguir despir…
E debaixo dessa camisa…
Trazes mais algo vestido…
Esta dúvida que tenho…
Já se tornou castigo…
E se eu te tocasse…
Por debaixo dessa camisa…
Procurando o calor…
Que o meu corpo precisa…
E aos poucos nossas roupas…
Espalhadas pelo chão…
Nossos corpos encostados…
Sedentos de Paixão…
Arrepio-te a pele com o meu toque…
Nossas bocas, sôfregas uma da outra…
Amo-te em cima da cama…
E no chão… A nossa roupa…
E fundimos nossos corpos um no outro…
Olhas-me… Chamas-me louco…
Mas a minha loucura és só tu…
E esse teu corpo… Agora nu…

Poeta Solitário

Segredos de um Tejo silencioso.

12494830_1646006908978373_7426443251064588769_n

 

Finalizei o dia exausto, e aguardei a tua chegada. Levaste-me então nesse teu carro, pensado eu que íamos jantar um belo repasto, paraste junto ao tejo, vi no teu olhar o desejo brilhar e num ápice saltaste para o meu colo, e retiras a minha gravata ferozmente atando-me na porta, a camisa foi-me arrancada num só golpe, a minha exaustão depressa desvaneceu e senti uma descarga de adrenalina, a tua subjugação tornou-me energético, fizeste-me provar o teu corpo aos poucos, deixando-me desejoso e acabas cavalgando em mim, sem piedade, e terminamos admirando as luzes de lisboa refletir no rio, satisfeitos partimos e esta ceia saciou-nos. Segredos de um Tejo silencioso.

Ricco #69Letras

Nunca quis saber se pertencias a alguém , nesses momentos eras meu.

12366263_1635752816670449_6629524952185916015_n
Já não me lembrava de ti , sinceramente já não passavas de uma memória arrumada na gaveta .
Mas hoje tive um bom dia teu , olhei para o tlm e pensei … Humm tu?
Respondi te secamente ao bom dia
: disseste me …
-Voltei.
Mas que raio me interessa saber se voltaste ou não … Pensei eu .
Não me saíste da cabeça
: comentaste tu .
– Lá vamos nós outra vez , sabia eu .
Foste uma história para arquivar , mas que valia a pena recordar era um facto inquestionável .
Lá me lembrei eu do Sr Doutor , dos seus fatos feitos à medida , as camisas perfeitamente engomadas com a respectiva gravata , que tantas vezes me tiraram do sério.
As vezes que vinhas ao Norte e imploravas para me ver .
Eu , que me fazia sempre de indiferente , mas cada vez que saiamos para jantar me fazias sentir uma rainha , que me presenteavas com tudo que uma mulher deseja .
Claro que me fazia de difícil , até me levares para a tua cama e me despires sem qualquer cuidado , ardente sempre de desejo que demonstravas sem qualquer pudor .
Ficava a admirar te enquanto te despias , deixando à vista o teu corpo fabuloso , fruto de ginásio depois das reuniões cansativas .
Ah as reuniões onde durante tantas vezes te destabilizei por SMS , dizendo te que seria a tua apanha lápis , deixava te louco de tesão com palavras , sabendo que não me podias responder .
Na tua cama reagia a ti instantaneamente , adorava contornar te o peito musculado com as minhas mãos e sentir te ofegar de desejo .
Acariciar te as pernas e sentir o teu tesão todo , num apogeu que sabia só meu .
Nunca quis saber se pertencias a alguém , nesses momentos eras meu , o meu Sr Doutor .
Quando entravas em mim era me indiferente todo o resto , ah como gozamos os dois , como nos satisfazemos mutuamente .
Sim foi bom recordar te , mas apenas isso nada mais , já não gosto de fatos e gravatas .

Raven

Desafio sabes o que é?

 

f196c3685a41eac75626a4fb55909b68

 

Fotografia: Via Pinterest
É fingir que não me interessas
Que a tua presença não me afeta
E que um simples sorriso teu não me convence!
É negar-te um sorriso de volta
Manter a voz firme e pausada
É controlar a temperatura do corpo para não te querer.
É não suar quando pousas o olhar em mim
É não perder a postura enquanto tremo na tua presença.

Desafio sabes o que é?
Não responder ao teu beijo com desejo e vontade
Controlar as minhas mãos para não desabotoar os botões da tua camisa
É não arquear a minha cintura na direção da tua!
É negar o quanto te quero te desejo e venero
É tentar não cair aos teus pés quando sussurras o meu nome
É não estremecer quando em mim tocas de surdina apenas para me provocar….

Desafio é negar que não sou tua fiel devota e que a ti não pertenço!