Sem olhar a quem!

Sei que poucos de vós me conhecem a cara, ou mesmo o espirito, mas posso-vos dizer que sou eterna criança. Sinto-me todos os dias como se fosse uma gaiata que descobre tudo pela primeira vez.[…]

Continue reading …

Por favor faz-me valer um bom café…

Sei que com todo o direito pensas que podes invadir e espreitar o meu interior. Aqui é verão todo o ano, Sem restrições e sempre de cabelo solto.. Música pela tarde e libertamos a nossa[…]

Continue reading …

Todos os dias à mesma hora cá estamos nós.

Estranho… Mexo o café na já habitual varanda, está a chover e já sei que não posso esquecer o chapéu de chuva e de calçar botas; o senhor Domingos no seu casaco vermelho passeia o[…]

Continue reading …

“Despertar”

Em todos meus anos de vida, nunca um despertar foi tão vazio. Fugiste de mim, sei que apenas por uns dias, umas longas horas e que provavelmente irá acontecer mais vezes na longa vida, que[…]

Continue reading …

Um daqueles dias…

Hoje estou num daqueles dias. Sabem? Aqueles onde só nos apetece ficar em casa a dormir. Esta tanto frio, e eu tão constipada. O meu nariz parece uma torneira enquanto escrevo isto. Estou fodida –[…]

Continue reading …

Vontades matinais

Vontades matinais Nunca consegui explicar o porquê destas vontades, meras vontades. O teu cheiro pela manhã intriga-me e até sair da cama sem um aconchego em ti me custa. Custa tanto, não ter aquele beijo[…]

Continue reading …

Tudo o que couber num café

Nossa relação teve a duração duma chávena grande de café. Antes de nos tocarmos, pairava a mística das possibilidades no ar. Seria uma relação doce ou amarga… A emancipação duma pinga de leite frio, só[…]

Continue reading …