Arquivo de etiquetas: café

Sem olhar a quem!

Sei que poucos de vós me conhecem a cara, ou mesmo o espirito, mas posso-vos dizer que sou eterna criança.
Sinto-me todos os dias como se fosse uma gaiata que descobre tudo pela primeira vez.
Sou leve, levinha a quem me olha e pesada quem me quer mal.
Vibro com cores, formas e feitios.
Estudo todos os recantos da vida, pois sem ela seriamos inúteis.
Abraço assim tudo o que me conforta o coração e de certa forma rejuvenesce a alma, desde do nascer do sol à sua ida, apanho todas as manhas e segredos que o dia me oferece.
Bom dia, boa tarde e um como vai? São tão importantes que muitos não se apercebem do preenchimento de alegria que nós dá, da satisfação que é sentir a simpatia da alma humana.
Sou tão isto e tanto mais…
Espero que todos vós assim sejam, e se não forem…
Troquem a pressa pela calma de uma chávena de café à janela da vossa humilde casa, não deixem que a maldade da sociedade vos devore e sejam amáveis, troquei o telemóvel por uma sangria na praia com amigos de pés na areia e agarrem as noites quentes no campo com um piquenique!
Partilhem um “olá” com aquele senhor de olhar cansado que vai no barco convosco, de certo que com isto o dia dele irá ser melhor.
Porque alguém se interessou, reparou na existência de quem ali está.
Custa tão pouco ser humano, e felizmente consegui acordar para a vida simples e singela que me rodeia antes que a vida industrializada me levasse para longe.
Pratiquem a bondade,
Rezem à alma, seja qual for a alma.
Digam “olá”,
Não se esqueçam do “dorme bem”,
Sem olhar a quem!

©Krishna 2017 #69Letras

Por favor faz-me valer um bom café…

Sei que com todo o direito pensas que podes invadir e espreitar o meu interior.
Aqui é verão todo o ano,
Sem restrições e sempre de cabelo solto..
Música pela tarde e libertamos a nossa mente!
Muitos dizem que sou estranha, 
Mas digo-te que vale a pena conhecer.
Não gosto de me deitar cedo.
Gosto de manhãs apressadas e cafés saborosos.
Arrasto os saltos pela noite, tal e qual como canto sem medos.
Anda que só estamos aqui os dois e tudo de bom que entre nós existe.
Vem, que não me quero deitar já e vender a minha alma barata.
Por favor faz-me valer um bom café…

©Krishna 2017 #69Letras

Todos os dias à mesma hora cá estamos nós.

Estranho…

Mexo o café na já habitual varanda, está a chover e já sei que não posso esquecer o chapéu de chuva e de calçar botas; o senhor Domingos no seu casaco vermelho passeia o Boris o seu fiel amigo. Todos os dias à mesma hora cá estamos nós.
Mas alguma coisa está diferente, torno a mexer e a remexer o café e inspiro profundamente este divino aroma. Mmmm! Volto a olhar para a janela. Sim. Algo mudou!
Continuo a rodopiar a colher no café e descubro-me com saudades de quem virtualmente beijei e desejei boa noite com aquela sensação que poderia estar aqui a amanhecer comigo…

Estranho-me…
Entranhas-te…

E divago… O meu pensamento tira-te de onde estás e sinto-te do meu lado. Fecho os olhos e imagino-te a beijar o meu pescoço dando-me os bons dias…!
Bebo o café
Saboreio os lábios
e sorrio.

Não foi real mas adoçou o meu amanhecer.

 © Cátia Teixeira, Vizinha 69 Letras 2016


Obtém 10% de desconto em todas as tuas encomendas! 69 novas formas de prazer!

Regista-te em www.aubaci/69letras

“Despertar”

Em todos meus anos de vida, nunca um despertar foi tão vazio.

Fugiste de mim, sei que apenas por uns dias, umas longas horas e que provavelmente irá acontecer mais vezes na longa vida, que ambos queremos ter juntos!!

Caminho pela casa, ainda meio perdido de sono, com os músculos entorpecidos da cama e o coração apertado.

Não consigo conter as lágrimas de saudades tuas e sinto o sabor salgado delas no meu café matinal.

Contarei todos os minutos, ansioso, pelo momento de te ver aqui novamente, com o teu sorriso tão perfeito, capaz de iluminar toda esta casa e poder agarrar-te e prender-te no meu abraço.

Ouvir tua voz de manhã foi sem duvida o momento alto do meu dia e o relembrar que te AMO e te quero para sempre.

Sim, para sempre.

Sei que costumo dizer que o para sempre é eterno e impossível mas, sim, quero-te para sempre!!

Teu, saudoso e loucamente apaixonado..

© Anónimo 69Letras 2017-05-17

 


 

Um daqueles dias…

Hoje estou num daqueles dias. Sabem? Aqueles onde só nos apetece ficar em casa a dormir. Esta tanto frio, e eu tão constipada. O meu nariz parece uma torneira enquanto escrevo isto. Estou fodida – e não no bom sentido. Tenho o meu corpo todo a pedir a cama, a cabeça a latejar de dor. E neste dia até me arrependo de ter um piercing no nariz – entendem porque, não? Só de pensar que me tenho de levantar, vestir, passear o cão e ir trabalhar até fico doente. Ah não espera, doente já estou! Bem mas sabem que mais?

Hoje é dia da mulher!

Por isso vou-me arranjar, passear o meu amor e vou trabalhar. Mas só depois de beber o meu café e preparar um chã de gengibre e limão com um pouco de mel. (Receita sagrada da minha mãe para todos os males.) Sou mulher e sou forte. E se esta constipação não piorar eu vou ultrapassar este dia.

Um bom dia a todas as mulheres!

xo

© Peregrinus 2017 #69Letras

Vontades matinais

Vontades matinais

Nunca consegui explicar o porquê destas vontades, meras vontades.
O teu cheiro pela manhã intriga-me e até sair da cama sem um aconchego em ti me custa.

Custa tanto, não ter aquele beijo inconsciente…

Mas sou corajosa e saio da cama! Sem demoras, apanho-te no meu radar.
Quero-te perto, o meu corpo precisa de café pela manhã assim como precisa de ti o dia inteiro.
Bons dias e um beijo apertado,
Palmada na minha cueca e rabo em cima da bancada.

Ensina-me que a primeira refeição do dia é a mais importante,
Deixa-me saciada e esfomeada por ti o resto do dia.

© Krishna 2017 #69Letras

Tudo o que couber num café

Nossa relação teve a duração duma chávena grande de café.

Antes de nos tocarmos, pairava a mística das possibilidades no ar.

Seria uma relação doce ou amarga… A emancipação duma pinga de leite frio, só para aliviar um pouco a densidade do nosso sabor… 

Depois da espera, finalmente o primeiro gole. 

E se me sabias bem… 

Viciada ao primeiro toque. 

Sentia o despertar de todos os meus sentidos enquanto a tua cafeína me percorria o corpo mais depressa que a adrenalina.

E o teu cheiro… 

Hummm! 

 Meu corpo simplesmente não te resistia. Ganhava vida própria e reactivava cada centímetro do meu ser com um simples propósito, dar-te prazer. 

A nossa relação acabou com o avistar do fundo da caneca de café. 

Deixou-me de ressaca inanimada implorando por mais. 

Na minha chávena de café colorida com leite frio, adocicado com teu amor, relembro os meus dias de alegria com nostalgia … 

Posso tomar outra chávena de café, por favor? 

©Miss Steel 69letras 2017