Arquivo de etiquetas: blind date

Voltei a sentir-te com a alma.

615448_10152277488229132_8095765461350871392_oImagem: Fabian Perez

Ainda estávamos na café quando te sussurrei o meu desejo para mais logo, tomar um duche às escuras contigo.
o me perguntaste porquê apesar do teu olhar incrédulo apenas limitaste-te a sorrir e a consentir o meu pedido.
Foi no hall de entrada, com as luzes apagadas que nos despimos sem presas. Segurei a tua mão e atravessamos os corredores até à casa de banho.
Reencontrei-te naquele duche às cegas…
Foi assim que nos amamos naquele banho quente – à descoberta. Sem luzes, sem contornos iluminados, sem olhares, tu e eu, a água e o som da mesma a correr sobre nós e o vapor da temperatura a envolver-nos.
As minhas mãos pintaram o teu corpo na minha mente, as tuas mãos à descoberta dos meus traços leram o desejo da minha alma.
O amor é cego, surdo e mudo. Três sentidos que dissimulam a pureza dos sentimentos.
Sentir-te através do toque com a tua pele a esfregar-se na minha, limpou a minha cabeça poluída pelos outros sentidos.
Voltei a sentir-te com a alma.
Foi na escuridão daquele duche a dois que te voltei a sentir em mim.

Um convite para ver um filme em tua casa.

38014de8a2e61f43cfbd28f3c0c7dc96Lenara Choudhury

Um convite para ver um filme em tua casa.
Pois claro!
Um filme,
Em tua casa…
Ver ou fazer?
Convite inocente sem segundas intenções que tão inocentemente aceitei.
Recebes-me de robe, e preparas o espumante de morangos que tanto jeito deu.
Apanhaste-me desprevenida com as tuas reais intenções para essa noite, mas deixei-me alinhar nos teus planos.
Despes-te e entras no jacuzzi, já pronto para nos receber – que corpo!
Timidamente dispo o vestido e mentalmente praguejo contra mim mesma, por ter a mania de deixar o soutien em casa, e assim só de cuecas revelo-me a ti. Descalço as sandálias e junto-me a ti.
Noite agradável, com o arvoredo a envolver-nos e nós dois a combater o calor da agua com copos que se mantinham cheios por pouco tempo… de todas as palavras que dizemos as que ecoaram e prevaleceram foi o dialogo de desejo entre os nossos corpos…
Rapidamente os nossos lábios apresentaram-se, o meu corpo procurou encaixe no teu corpo e o que poderia ter sido uma noite de sexo casual foi uma noite de dança entre almas.
‘Vamos sair daqui. Quero-te na cama.’
Mais palavras porquê?
As nossas almas uniram-se essa noite, e pequenas doses de ti, já não me chegam… quero-te!