Arquivo de etiquetas: bela

O Teu Perfume…

Senti…
Senti o teu perfume e fiquei sem jeito, sem palavras e sem reacção… Simplesmente deixei de falar, de pensar e fiquei imóvel… Ainda bem que ninguém reparou em mim nem na forma como te fiquei a olhar, pois naquele momento a minha imaginação voou para bem longe dali onde apenas nós os dois pertencemos aos meus mais devassos e sinceros pensamentos.

Queres saber por onde viajamos? Anda comigo, eu conto tudo!

Sem ninguém se aperceber fugimos entre a multidão de gente que nos rodeava naquele festival e por fim estávamos no Jardim da Virtudes. Com o Rio Douro à nossa frente ficamos imóveis e a contemplar a vista. As luzes brandas e ténues dos candeeiros permitiu um canto meio escondido onde dificilmente nos conseguiriam ver, onde a pouca luz que te insidia permitiu-me ficar imóvel a deslumbrar-te. Os teus cabelos escuros e encaracolados, o brilho dos teus olhos enquanto deslumbravas a bela paisagem, o teu sorriso aberto de felicidade por estarmos ali a sós e sossegados, onde preferes as palavras “Lindo, não é?”, ás quais eu respondo “Sim, és muito bela!” Coras, sorris e baixas a cabeça de vergonha. Suavemente com a meu dedo indicador te levanto o queixo, e te viro para mim. Abrindo suavemente a boca sustens a respiração, olhando-me fixamente. É impossível resistir aos teus lábios escarlate… Aproximo-me de ti e de imediato sinto um leve aroma maracujá que me conquista as narinas e me pára o raciocínio, a suavidade da tua pele é de uma doçura tal que não te resisto.. tenho que te beijar… Encosto os meus lábios aos teus e naquele momento sinto que devia te ter beijado à mais  tempo! Como és doce e saborosa! Os nossos lábios se alimentam e nossas línguas se cruzam com uma vontade extrema de não se largar! Coloco as minha mão nas tuas costas e ali sinto o toque da tua camisa azul. Desço até ao teu rabo firme, apertando com vigor, e daqui libertas um leve gemido. Com a outra mão seguro na tua face com carinho, passando com o polegar nos teus lábios… Deixas o teu pescoço à minha mercê e aqui sim, provo o sabor do maracujá na tua pele… Hum… És tão doce e maravilhosa… Não te consigo largar, parar de te beijar, de ter abraçar, e naquele momento só anseio sentir o relevo da tua lingerie preta nos meus lábios… Desaperto o botão da tua camisa e vou descendo os meus lábios até ao teu peito… “Não é pah?” Fico confuso… “Não verdade o que estou a dizer?” Onde estou? Ups… Fui interrompido pela pergunta do meu amigo e ali soube que estava a sonhar contigo… Oh, que pena.. Na despedida deste-me um beijo longo e suave na face, deixando-me arrepiado e de sorriso nos lábios… Fixei o teu aroma no meu pensamento e naquele momento soube que tenho que te voltar a ver…

© O Vizinho 2016 #69Letras

Conto – Parte 1

Começou com uma mensagem provocadora, conversas banais. Estando ele tão longe dela eram as mensagens que lhe restavam. Ela bem tentava ignorar o “bip” do telemóvel quando entrava uma mensagem. Mas ela não resistia em ver se tinha sido ele ou não. Assim que via, ter sido dele ela lutava consigo mesma para não abrir e ler o que ele escreveu. Essa “luta” não demorava muito. Ganhava sempre a tentação. Era um vai e vêm de mensagens quentes. Arrepios e as cuecinhas molhadas era uma reação constante lendo as palavras escritas por ele – Aquele homem tão seguro de si mesmo, tão mais velho que ela. Tão bom que já a tinha na palma da mão. – Passavam os dias a conversar sobre tudo um pouco.

Um dia ela ouve o som do seu telemóvel à tocar, sem ver quem era ela atendeu. Uma voz masculina, bonita – que lhe causou um arrepio imediato entre as pernas – cumprimenta-à. Era ele. Ela nunca tinha ouvido aquela voz tão sensual. Sem saber o que dizer ou fazer ela simplesmente sorriu. Passados alguns segundos ele pergunta se ela esta lá. Apercebendo que ainda não tinha dito nada ela cumprimenta-o. “O que estas a fazer neste preciso momento” pergunta ele. A resposta dela é quase imediata: “A vestir-me.” Ela ouve um curto gemido. “Muito bem. Despacha-te e sai para fora. Hoje não vais dormir em casa.” O mundo a volta para. Será que ouvi bem? – pensa ela. Como se ele lhe tivesse ouvido os pensamentos ele responde: “Sim ouviste bem. Estou a tua porta. Despacha-te.” Ele desliga. Incrédula ela fica olhando para o seu telemóvel. Passados alguns minutos ela começa a vestir o resto da roupa e olha-se no espelho. Calças rasgadas e um T-Shirt de andar em casa. Eu não posso sair assim – pensa ela. Estando calor na rua ela despe a roupa novamente e veste um vestido lindo que nunca usou por vergonha. É um vestido que lhe destaca as curvas sensuais. É provocador e encantador. Ficando a ver o seu reflexo no espelho ela começa a pensar se ele realmente estará à espera ou não. Passa um batom vermelho nos seus lábios carnudos e cheios. Puxando o elástico que lhe prendia o cabelo começa a cair o seu cabelo ondulado sobre seu rosto e costas. Ajeita um bocado o cabelo para trás. E sai do quarto com a sua bolsa. Calça umas belas sandálias e sai porta fora. Lá esta ele. Aquele homem tão seguro de si mesmo, tão mais velho que ela. O homem mais bonito que ela alguma vez viu. Sentindo suas pernas a tremer e suas cuecas a molhar ela segue em frente e para quando estão cara à cara. Tocando no rosto dela e puxando-a contra si ele beija os lábios dela que a tanto desejava. Com uma mão na sinta dela ele puxa-a ainda mais contra ele. Ele quer que ela sinta à tesão dele. À tesão que ela lhe causou no momento em que a viu. “Foda-se és tão bela.” Diz ele enquanto a beija. “Quero-te possuir aqui mesmo.”

…. continua..

Peregrinus #69Letras

Podes ir

Podes ir, já te ajeitei o caminho, das pedras que transformei em flores, não precisas o olho franzir porque no teu passo devagarinho o que te cruzas não são amores senão as pedras do caminho que afasto do teu sorrir. Podes ir, já te ajeitei o banho para quando chegares, cansada dos lugares eu numa esponja te acompanho regar te de um sossego tamanho, num gesto em que ao colo te pego para te por a descansar. Podes ir, já preparei o roupão, regulei no teu canal a televisão, aconchego o teu corpo de pirilampo na minha mão fico a teu lado a ver te bela adormecida no campo a dormir e sinto me em paz nessa tranquilidade que a tua presença me traz adormecida a sorrir.

O Inquilino #69Letras

Os teus lábios são o teu cartão de visita.

fda37f41257416b8e85fff7f5352677b

Impossível esquecer a bela Margarida, morena magra com curvas deliciosas, olhos doces e penetrantes, lábios perfeitamente desenhados, sorriso escondido pela timidez mas impossível de resistir, cabelos negros e suaves como a seda que lhe escondem o rosto, e subtilmente discreta.
Foi quando ela estava a picar o gelo para as bebidas que me aguçou a curiosidade.
O jeito como a bela Margarida colocou o cabelo atrás da orelha acordou os meus instintos de predadora, revelou um delicioso pescoço acompanhado por uns ombros que dão vontade de morder, o que me fez perguntar o que mais esconde aquela Margarida.
‘vou-te beijar’, deixei escapar quando me levantei e fui para junto dela. Retornei ao meu lugar e deixei-a estar entre o gelo e as palavras que lhe deixei.
A festa estava animada e o som das pessoas satisfeitas ecoava no ar, mas ela deixou se estar ali, perto de mim, encostada à bancada da cozinha sem nada dizer.
‘és minha’ pensei.
Fui para junto dela, levanto-lhe o rosto escondido pela timidez, com a mão esquerda seguro-lhe os cabelos na nuca e exponho a beleza daquele rosto com a mão direita trago a boca dela à minha… Doce e intensa Margarida de fazer ferver o sangue ao sentir a ansiedade dela no peito a arfar contra o meu. Deliciosa morena que se rendeu aos meus caprichos.
Beijo doce e delicioso… Fui provar o resto….

No meu peito… apenas uma cor o veste.

0628f2b18788b355879660168939fb9c

Li por aí que a cor preta absorve todos os raios luminosos e que não reflecte nenhum.
Até pode ser, mas o tom da tua pele, faz engrandecer a minha pele branca.
A minha pele pálida, ganha vida e calor quando misturada com a tua. Tu fazes emergir beleza à minha pele, tu tornas-me bela quando me rodeias com a tua cor de verão!
Nas tuas mãos, sou uma pequena pérola branca, que acresce valor sob o contraste da tua pele.
Tu libertas a minha luz, e tu, és a excepção do que se diz, pois vejo na tua pele o reflexo da minha luz!
A tua pele, é das peles mais belas que alguma vez tive o prazer de tocar.
Toco-te como se eu fosse a tua criadora. Como se das minhas mãos a tua silhueta tivesse resultado. Percorro o teu corpo, e admiro a tua textura… textura de seda, que brilha sobre o meu olhar… Provo cada pedaço de ti…. sabor doce que lava a pele, e eu deleito-me, sugando o teu aroma nos meus lábios de pérola branca.
No meu peito… apenas uma cor o veste.
O meu coração veste o tom da pérola negra.