Arquivo de etiquetas: Baile de máscaras

Baile de máscaras 69letras

Miss Steel

Dispo meu vestido branco junto com a ingenuidade e tranquilidade do meu corpo. Hoje à noite serei uma versão de mim mais ousada, sensual e curiosa. Para matar a curiosidade e apaziguar o desejo incontrolável em mim, envergo um vestido negro como a minha alma e uma máscara para me expor à mercê de quem me desejar.

Krishna

Depois de um dia agitado, quero dançar. Uma noite tranquilo de problemas, sem interferências de conhecidos. Cansada que me chamem pelo meu nome verdadeiro. Esta noite vou envergar um novo eu. Por detrás de uma máscara vou me esconder… Mas nunca sozinha…

Peregrinus

Dou por mim numa sala cheia de pessoas com uns corpos fantásticos. Todos tem a cara tapada mas só de ver estes corpos irresistíveis fico excitada. Continuo em direção a uma porta fechada. Já ia para empurrar quando esta se abre e me apresenta algo que me fascina de imediato. Encontrei a parte secreta da festa. Uma verdadeira orgia. Estou molhada de tanta excitação. Onde estarão as outras? Elas tem de ver isto!

Vicky M
Lá estava eu, produzida quase ao ponto de não ser reconhecida… À espera das meninas que nunca mais chegavam para começar a diversão! A noite começa com elas mas não sei onde vai terminar… Estou com a lua, preciso de beber e pior que isso de fod£r… Já senti dois toques no rabo e não gosto da sensação de não ter comido nada ainda.

Vizinha

Mascarada de _________________ entro festa adentro atrás de uma bebida. O fato de napa é super quente e estou a ferver pois não encontro as minhas gajas. Aonde andam elas? Encontrei uma fonte de sangria tinta com pedaços de fruta a chamar por ti. Enquanto me sirvo de uma taça recebo um palmada no rabo da Miss Steel.
– Vizinha conheci-te pelo rabo. Anda para junto de nós. Estamos todas num cantinho cheio de almofadas com um grupo de rapazes… ui! Que nem te conto!

Misses kat

Não está fácil andar com estes saltos de um lado pro outro à procura delas, antes de entrar tinha um SMS da Steel a dizer para ir ter à sala púrpura …
Lá dei com elas e como aquilo estava animado nem esperaram por mim ,gosto pouco disso .
Entro e vejo a Vicky toda deliciada sentada no colo de um homem lindíssimo apenas lhe vejo os olhos e a barba e os peitorais esculpidos , aiii também quero. Não era a única entre taças de champanhe e já não sabia quem era quem, alguém se chega ao pé de mim e diz :

-Anda Kat estás à espera de quê?!

Miss Steel

Agarro na Kat pela mão, toda ela treme de ansiedade do que lhe espera.
Se ela soubesse…
Empurro-a para um sofá, onde a espera um bom amigo meu, fã incondicional da Misses Kat.
A Kat literalmente cai no seu colo.
– Olá Misses Kat! Estava à sua espera.
Ela olhou para mim com um ar de menina que recebeu finalmente um Ken para brincar com a sua Barbie.
Satisfeita sigo o meu caminho para a sala púrpura até que sinto uns braços por trás a agarrarem-me, impedindo-me de seguir o meu caminho…
– Onde julgas que vais com esse rabo a bambolear no meu desejo…

Krishna

Se eu tivesse um deus… coitadinho! Hoje precisava seriamente de estar cego! Pois a noite já ia cheia de pecados e não estava com aspeto de parar…! Perdida no meio da fantasia vi a Peregrinus, aquelas curvas não enganam. Junto dela estavam todas menos a Misses Kat e a Steel. Rapidamente olho para o lado e lá estão elas! Já quase de barriga cheia e nós esfomeadas.. não pode ser!
-Vamos meninas, circular.
Deparamo-nos com algo soberbo.
Eles bem que podiam andar sem máscara pois não queríamos saber! Lá estavam eles, apenas de boxer e máscaras, corpos esculpidos e barba cerrada a passear os corpos e os copos. Morremos 10x e fomos para o céu..
-Meninas saiu-nos a sorte grande!

Lola

Estava num canto da sala meio obscura, entretida com um monumento de homem, género viking. Estava tão perdida naquele corpo e naqueles beijos que me tiravam o folego, que não dei conta da chegada delas.
Presa aquela fantasia rude e excitante, não me consegui conter. Puxei-o para sentir a masculinidade dele. Ó God!!!
Só lhe segredei, possui-me, arrebata me. Quero sentir-te em mim. Não se fez de rogado e tira-o, levanta-me uma das pernas e deixa o deslizar como se já conhecesse o caminho.
Saiu-me um gemido, que foi abafado por um beijo dele, por cada estocada que me dava.
As minhas unhas cravaram-se nas costas dele enquanto nos vínhamos. Não diferimos mais nenhuma palavra mas o olhar e sorriso disse tudo.
Ouvi ao longe a voz da Steel e da Vicky. Ajeitei-me e deixei-o com uma suave caricia minha na sua face e fui ter com elas.
A noite até nem começou mal, espero terminar bem melhor.
-Olá meninas!

Vicky M

A Lola pensa que não percebi que ela já andou a “pintar a manta”. Enfim…

Agora que estamos todas juntas e sabemos o nosso ponto de encontro, vou tratar de dar de beber a esta gente. Faço sinal para que nos tragam Kir Royal e dirijo-me ao bar para regatear a melhor garrafa de gin e um private Bartender para as minhas meninas esta noite.
Esta moda do kit lenhador acaba com a minha raça. Junto ao bar está um moreno barbudo com olhos claros mascarado de algo que se parece com um soldado espartano. Não o conheço, acho que nunca vi aqueles peitorais. Quero lá saber! Vou ver e tocar… Sem o mínimo pudor chego e beijo os lábios carnudos por baixo da barba farta e bem cuidada. Toco o membro por baixo da vestimenta. É avantajado, será suficiente se o souber usar… Meto-lhe a mão por entre as minhas pernas e sussurro-lhe “daqui a meia hora, à entrada da sala púrpura”.
Faço o meu trabalhinho e volto à sala com a garrafa de gin numa mão e o Bartender noutra…

Misses Kat

Confesso que fiquei nervosa quando sou literalmente jogada no colo daquele homem que não conheço de lado algum, ele diz-me que me conhece bem e que tem ordens para fazer o que eu desejar…
Isto promete, saio do colo dele e digo-lhe para se pôr aos meus pés e tirar-me os saltos que me estavam a matar .
Reparo que ele gostou em particular do pedido que lhe fiz pois quando me sentei no seu colo não senti nada assim para o volumoso e logo que me tocou nos pés isso mudou de figura .
Enquanto ele me beija um dos pés, com o outro pé muito rapidamente fui ver o estado em que estava .
Disse-me que se continuasse a fazer aquilo que não se ia controlar .
-Ótimo! É isso que quero. E que te venhas nas calças à frente desta gente toda .
-E depois?
-Bem, depois logo vejo o que faço contigo.

Miss Steel

Todas estavam a devorar alguém ou a serem decoradas por alguém. E eu e a Krishna estávamos a devorar o Buffet!
– Oh! Olha Krishna, Oreos!!!
– Miss Steel? Temos uma situação na porta principal que exige a sua atenção. Meu deus que o segurança era lindo de morrer e a Krishna não tardou  a tocar na carne. Enquanto eu escondo uma bolacha no soutien para mais tarde.

Dirijo-me à porta onde me esperava um tumulto de homens. Todos queriam entrar e na linha de frente duas caras conhecidas bem conhecidas. Vizinho e 100modos. Todos exaltados a implorarem-me para entrar.

-Calma meninos. Vou deixar um de vocês entrar!

O Vizinho começa de imediato a seduzir-me com a sua língua brincalhona a deixar-me em fogo. 100modos puxa-me a atenção ao rasgar a camisa e exibe os seus músculos em tom dourado. Oh que visão!
Dirijo-me a eles insinuando cada centímetro de desejo deste meu corpo ardente. Olho para cada um deles nos olhos. É vê-los babarem-se e os membros crescerem nas calças!
-Escolho a ti!
E aponto o meu dedo para um loiro de cara lavadinha e abdominais torneados, mesmo atrás deles!
Eles ficam de rastos mas pior ficam quando tiro a oreo do soutien e ponho-me a lamber mesmo de frente a eles…

Lola

-Psiiiiuuuu!!!! Meninas! Ten o’clock.
Elas sem parar o que estavam a fazer, olharam.
– Vamos deixá-los à porta ou fazemos um dó li tá?
Todas sorrimos e dirigimos nos a porta. Qual não foi o nosso espanto ao ver a Steel fazer um show de Cookie  lick  e eles babavam…
Mais ficaram quando nos viram chegar. Incharam pareciam galos da índia..
Tomamos a nossa pose altiva e dominadora e com os nossos olhares ávidos perscrutamos todos e escolhemos, deixando os meninos do condomínio à porta. Quer dizer quase todos, a vizinha sacou do Anonimo para dentro.
Já tínhamos o nosso harém pronto.
Agora é que a noite ia realmente começar…

Krishna

Depois de uma bela e sra f@da… Lá fui ter com elas, meio alucinada e com efeitos daquele… enorme!! Esqueci-me completamente do buffet…
Poderosas e com olhares provocadores, nesta noite não queríamos nada de tradicional. Queremos diferente. Queremos novo! Entramos num mundo completamente surreal, sensual, erótico! Meu deus que tesão!! Ainda agora tinha estado a lambuzar-me num e eu já queria outro…e não era a única!

Vicky

Estava mais libidinosa que o costume. Se possível for…

As meninas on fire, a quantidade de bocas que já tinha beijado, a quantidade de bocas que já me tinham provado naquela noite de loucas, as vezes que já tinha cavalgado e as vezes que fui encostada a uma parede sem pedir licença.

Foram incontáveis… Mas ainda não tinha acabado para mim… Alguém no condomínio ia ser alvo do meu desejo…

Tinha que durar a noite toda… Toda eu era um mar e cheguei a provar dos outros rios que jorravam ao meu redor sem pudor….

Peregrinus

Esta noite está a ser linda. Já cheguei vezes sem conta a êxtase sem saber quem eram as pessoas que me proporcionaram o prazer. Mas ainda há duas Mulheres que esta noite não me escapam. O prometido é devido, e elas me prometeram imenso prazer.

Encontrei-as!

A noite continua… assim como o mistério!

Miss Steel 69letras

Krishna 69letras

Vizinha 69letras

Lola 69letras

Peregrinus 69letras

Misses Kat 69letras

Vicky M 69letras

Ainda hoje…

Texto Erótico|M18Uma festa em que era obrigatório o uso de máscara e à qual não poderia faltar. O aniversário da minha melhor amiga. Optei por uma viseira vermelha e um vestido longo, estilo grego, solto com um grande decote nas costas. Eu mulher de cores muito neutras, naquela noite escolhi uma cor vibrante….

Enquanto deambulava pela, enorme, casa reparei numa porta entreaberta com uma luz ténue. Achei estranho e entrei. O quarto estava iluminado com velas, dispostas em semi circulo perto da parede onde estava um espelho antigo, com uma moldura dourada. Dos seus lados saíam uns suportes estranhos. Aproximei-me para observar…

– Aqui estás tu! – disse uma voz profunda.

– Demoraste muito…. – voltou a voz a dizer.

Tentei voltar-me para lhe dizer que deveria ser engano, mas nem me deu tempo de o fazer… Encostou-se em mim e senti o seu cheiro profundo a especiarias, a rigidez do seu corpo sob o smoking.

– Estás perfeita…

As mãos dele voaram para os meus ombros e desnudaram a parte de cima do meu corpo, deixando o meu peito exposto. Sem avisar empurrou-me de encontro ao espelho e colocou os meus pulsos nos suportes, que me tinham despertado curiosidade, e prendeu-me a eles. Não conseguia emitir um som… A excitação sobrepunha-se ao medo…. Sentia-me molhada, respiração ofegante….

O vestido acabou de cair no chão. Os dedos hábeis deslizaram a tanga rendada pelas minhas pernas e voltaram a fazer o caminho inverso, detendo-se no meu clítoris, latejante, pulsante de desejo.

– O teu castigo, por teres me teres feito esperar, é não poderes emitir um som, um único gemido, e não teres nada mais de mim do que o meu pénis. Não me vou despir, por ti, hoje!

Contorci-me, quando o ouvi e, senti o fecho das calças a abrir. Afastou-me as pernas,

e senti a sua mão abater-se sobre o meu rabo e sobre a minha cona com força .

– É assim que tu gostas, lembras-te?

Não lhe podia dizer que não era quem ele pensava. Nunca tinha sentido nada assim…

Voltou a abrir-me mais as pernas e entrou em mim com força.

Senti-o tão justo em mim, tão poderoso…. O meu corpo aguentou cada estocada profunda, cada palmada dada. E aguentou quando me desatou, agarrou-me nos cabelos, e me fez ajoelhar para receber cada gota de si….

Correu o fecho das calças e caminhou para a porta.

Ainda hoje não sei quem ele é….

The Oyster #69Letras