Arquivo de etiquetas: árvores

Por ti o tempo que o sol demora a dar lugar à lua, compensa a espera.

fbef2af8472750f9301f241f30a385a7

Espero.
Por ti!
Por ti o tempo que o sol demora a dar lugar à lua, compensa a espera.
Por ti eu espero.
Logo
Logo, tu vais chegar com o brilho das estrelas a reflectir no teu olhar.
Daqui a pouco a lua sobe ao céu e tu vens com o teu sorriso encantado.
Por ti, controlo as saudades mas só até me colar ao teu corpo, aí, solto a respiração desenfreada no teu pescoço.
Por ti, eu espero.
Por ti, vejo as árvores despirem-se, o vento a levar as suas roupas e a chuva a devastá-las, pois tu vens com o primeiro raiar do sol apaixonado da primavera.
Tu és a primavera, neste inverno.
Por ti, espero e sorrio, mesmo quando o frio gela a minha pele e à minha volta todas as sombras têm o calor de um abraço.
Eu não quero um abraço, quero o teu abraço.
Por ti, a eternidade é o tempo certo para te esperar.
Sabes?
Já consigo ouvir os teus passos num cantinho do meu coração.
Não tardas!
Eu, não vou a lado nenhum, e aqui sentada a observar a mudança das estações, espero a primavera, vestida de paixão para te tornar verão.
Quando chegares seremos mais quentes que o sol.

as horas transformaram-se em minutos

image

Troçamos do tempo!
Juntos transformamos horas em minutos com conversa que fluía quase por si só.
A conversa desenrolou-se como um novelo se desenrola quando cai ao chão e é caçado pelo traquinas do gato que puxa e puxa, decompondo aquele mundo de lã, e assim foi a nossa conversa.
Lá fora, o tempo exibe a sua rebelião. Nunca tinha visto o vento com tanto fôlego e empenho a despir e expor a nudez das árvores. As folhas voavam beijadas pela chuva e espalhavam-se por todo o lado húmidas pelo toque das gotas.
O mundo seguia o seu curso, mas a nós, apenas nos interessava aquele instante.
Partilhei
Despi-me
Ouviste
E seguras-te as minhas roupas como se peças raras se tratassem.
Lá fora o inverno imperava, lá dentro contrariamos a natureza e no nosso espaço cheirava a primavera.
Partilhamos sorrisos felizes como o chilrear de jovens passarinhos, o calor confortante dos primeiros raios de sol da primavera, as cores doces e claras no tom com que as nossas almas se entendiam.
Ali era primavera. Lá fora o mundo revoltava-se contra a indiferença com que o tratamos, e assim, as horas transformaram-se em minutos.

?A vizinha #69Letras