Arquivo de etiquetas: anjo

Pecados…

Sou pecadora confessa, embora por estranho que aos demais pareça, gosto tanto de pecar, os prazeres da carne alimentar, regida pela luxúria, que me deixa o corpo em fúria, e o coração descompassado, em virtude deste meu pecado.

Peco por palavras, actos e ilusões, por ceder às tentações, tenho em mim um Demónio ancorado, que me rege desenfreado, sendo nele onde me abrigo, pois de me apaixonar sinto o perigo, e ele sem saber me protege, sendo eu pecadora herege.

Sei que um dia isso irá mudar, um Anjo me virá resgatar, far-me-á conhecer o amor, pondo fim a esta dor, matando o Demónio que em mim habita, de forma tão cruel e tão explicita, que me faz entregar ao pecado, e nesse Anjo irei habitar, enquanto não chega continuo a pecar, julguem-me se quiserem julgar.

Miss Kitty #69Letras

Segredos da Alma…

Noites quentes, manhãs escaldantes, palavras por vezes hesitantes, pelo medo de chocar, demais revelar, mas tanto querer saber, tudo o que te está a corroer, esses teus segredos que teimas esconder.

Entrego-te a Alma, todo o meu ser, de Anjo que te dá calma, os teus medos apazigua, quando sentes o meu toque, e o da minha pele nua, que os teus Demónios tenta, mas acalma e serena, numa entrega total, que não há memória igual, em poesias escritas a pena.

E é neste render, que tudo nos faz esquecer, que as emoções se liquidificam, os sentimentos se multiplicam, tornamo-nos um, e as Almas surpresas, baixam todas as defesas, neste querer tão estranho e fora do comum.

Miss Kitty #69Letras

Anjo Ardente…

És o meu Demónio devasso, levas-me ao abandono do pecado, que trazes no peito ancorado, que me atrai ao desejo aí atracado, no teu porto de abrigo enfeitiçado, que eu como teu Anjo sereno, sossego e faço-te viver em pleno, como Demónio acalentado por este Anjo doce tão desejado. Continuar a lerAnjo Ardente…

Posso…

13457732_10208313710819335_2067141671_n

 

Posso ser simples mas por vezes tão confusa…

Posso gostar de simplicidade e não de ostentação e luxos…

Posso ter qualidades e defeitos como qualquer comum mortal…

Posso ser forte de tão frágil que sou…

Posso ser uma brisa ou virar furacão…

Posso ser doce como mel ou acre como fel…

Posso gostar de ser o motivo do sorriso de alguém…

Posso amar e ser amada porque me permito a isso…

Posso fazer amor com intensidade ou sexo por prazer…

Posso ser Anjo que nas mãos certas vira Demónio…

Posso ser clara como o dia ou negra como a noite…

Posso ser tanta coisa mais, porque quero, porque posso e porque sou eu quem decide…

Sou eu…

Simplesmente porque posso!

 

Miss Kitty

Hoje eu quero ir ao inferno!

12549061_1647591558819908_600538352963403802_n

 

Meu amor…
Como gosto que me banhes de palavras suaves e celestiais…
Meigos gestos em que o tempo congela e faz descer à terra o próprio céu…
Em que cada segundo sinto o sabor das tuas mãos a recitar poesia na minha pele…
Como eu amo a intensidade carinhosa que colocas em tudo… Desde o mais ínfimo pormenor que a qualquer mortal passaria despercebido…
Como eu venero o doce som do silêncio que percorre o meu olhar com o teu… e de quando se encontram, naquele lugar especial, fazem o mundo girar ao contrário numa pausa intemporal e divina…
Mas, meu amor…
Hoje eu quero ir ao inferno!
Brincar com os mais terríveis demónios.
Ser a presa mais fácil no meio dos predadores.
Quero ser agarrada, lambida, chupada, mordida… vencida…
Quero ser puxada e arrancada à força.
Quero ser disputada, agarrada e controlada por esses seres famintos.
Meu amor…
Se não me levares lá… levo-me eu e arrasto-te comigo.
Hoje eu quero ver quem vence…
O teu anjo… ou o teu demónio…

*SyrenA*

Fujo de ti como o diabo foge da cruz

image

Tramaste-me.
Fujo de ti como o diabo foge da cruz não que eu seja um anjo, mas tu és terrivelmente diabólico queres-me aprisionar a ti que deixe de ser minha para ser tua.
«Tu já és minha» Irritas-me quando dizes isso, és convencido, presunçoso e… tens razão! Mas não ta dou, pelos vistos não preciso, tu sabes tudo, sabes antes de mim, mais que eu. Sabes-me.
No instante em que te vi sorrir pela primeira vez eu soube. Apenas soube que me poderia vir a apaixonar por ti e é por isso que te evito.
Escondo-me de ti, privo-me de te olhar, não deixo que me vejas e por isso não te sinto, não te abraço e não sorrio com o teu sorriso.
Tenho de te evitar não me quero apaixonar…mas espera!
Não estarei eu já apaixonada
por ti?

 

A Vizinha

No Words

 

 

 

 

Corpos cansados, cada um para o seu lado, cigarros acesos e olhas-me como se fosse um anjo desprotegido,

a tua ternura fere-me finjo nem te notar e perco-me a olhar para o fumo do meu cigarro enquanto tu continuas

a fitar-me como se fosse a mulher mais bela que alguma vez conheceste,

não permitirei que me faças gaguejar quando dizes o que quão perfeita te pareço despenteada,

nua sem acessórios e maquilhagem na tua cama,

com as pernas encolhidas junto ao peito e o meu jeito tímido de colocar o cabelo atrás da orelha.
Quero a tua companhia e o teu calor,

renova-me a alma mas não ouses quebrar o meu coração com conversa desinteressante,

ou em elogios que estou farta de ouvir.

Não! Não faças isso.

Nada de palavras.
Toma o meu corpo,

é a melhor forma para me levares a ficar.
Sem palavras,

apenas corpos suados que colidem como se o mundo fosse desaparecer,

como se o s3xo fosse o único alimento que nos fará sobreviver.
Silêncio.

© Cátia Teixeira 69 Letras 2015