Arquivo de etiquetas: amigas

Conversas fiadas, conselhos dados…

Minha amiga,
De peito,
De rabo,
De pernas,
De coração.
Tanta noite louca,
Tanta bebida desperdiçada no nosso corpo…
Meu bem obrigado, por seres parte de mim.
Fantasia escondida,
Beijinho inocente… quem nunca?
Não fujas.
Preciso de ti sempre.
Para chorar, rir e cantar.
Abraços e gargalhadas.
Conversas fiadas,
Conselhos dados…
Vira mais uma garrafa e chega-te a mim amiga.
Prevejo uma noite longa…
Mais uma não é?
Já viste… somos desejo de tantos, juntas ou separadas.
O terror da noite,
O ideal da sedução juntas.
Se soubessem de metade… nem queriam imaginar mais.
©Krishna 2017    #69Letras

Sou Put@, e que? (Parte 1)

Estou num daqueles dias mesmo caóticos. Tudo me corre mal desde que acordei.

Acabei de chegar a casa e tenho de me despachar, pois tenho uma saída marcada com umas amigas. Tiro a roupa e entro para o duche. Abro a agua e: “Ahhh!” Merda não tenho agua quente. Mas que mal fiz eu para merecer este dia tão mau? La tenho eu de me lavar em agua fria. Saio do duche e vou me vestir. Cueca de renda, sutiã com details rendados. Liga? Hum não. Assim como me corre o dia hoje, não vou precisar de liga. Pego no creme hidratante e começo a passar pela perna esquerda. Começo de baixo para cima. Depois de esfregar lentamente pelo corpo fora, meto um pouco de creme na mão direita para poder esfregar no peito e pescoço. Estou quase a acabar quando olho para a janela e vejo um vizinho do outro lado da rua de binóculos na mão esquerda e o seu sexo na direita.

Preciso do vestido. Onde raio esta o vestido? Na sala! Vou lá sem me preocupar se os vizinhos estão a janela e visto. Impecável! Pode ser que a noite me corra melhor. Olho para o relógio: “Merda!” Já estou mais que atrasada.

Peregrinus #69Letras

Fotógrafo: Helder Mendes Photography

Amigas…!

Amigas.

Esta palavra não assenta bem…
São as minhas put@s, as minhas vacas, as minhas atrasadas.
São parte de mim… Umas em activo, outras em passivo.
Não são muitas, mais que suficientes.
Enchem-me a alma, por vezes fod3m-me a cabeça.
É difícil viver sem alguém que nos apoie, são e serão sempre apoios diferentes.
Todas elas distintas e de gostos refinados à maneira delas, alegria nos jantares e ombros na hora do choro.
Heroinas sem capa, de ténis e sorriso esbarrado na cara…
Meus amores de saia… brindemos à amizade!
À eternidade de todas nós que adoramos aterrorizar as mal amadas.
Entre os 4 cantos do mundo, que da distância se faça um Gin tónico e festejemos a reunião desta amizade.

 

                                                                                                                                                                        © Krishna 69Letras 2017 

Comer-te por amizade…

Texto erótico M/18

Não sou grande fã da cena dos amigos coloridos, acho isso uma panisgada de parte a parte… ou temos amor ou temos fod@.

E é por isso que hoje me apetece discorrer sobre o sexo e a amizade e levantar aqui a questão tão pertinente… Porque é que não te posso comer só por amizade?

Só porque sim, só porque nos apetece? Só porque estamos a olhar para o horizonte e já agora… Se andas no engate e comes um gajo qualquer que mal conheces e nem sabes se toma banho todos os dias, porque é que não nos podemos comer só porque somos amigos e não há outro sentimento que a amizade?

Amiga, vamos fod€r?

É basicamente isto que muitas vezes me apetece perguntar. Assim, sem mais. Não é preciso filosofar sobre o tema ou meter impedimentos ou entraves. Uma simples pergunta e uma simples resposta. Sim ou não. Mas porquê?

Porque estou a precisar, ou porque sinto que estás a precisar, porque é bonito, porque me apetece dar-te carinho e fofuras e sim, porque tenho inveja que comas outros e a mim, que te aturo as neuras e os dramas de vida e os dilemas com gajos que apanhas por aí, nem a porra dum bico tens a decência de me fazer.

É claro que eu retribuo na mesma moeda. Não tenho problemas com isso. Sim, posso dar-te uma massagem e masturbar-te porque queres e me pedes. A minha mão está sempre disponível.

Agora que é Natal

Não me dês um par de meias, um livro ou um cd… dá-me uma, se faz favor, deixa-te de tretas e atira-te a mim à bruta. No fim vamos tomar um café e levar a vida mais feliz porque na nossa amizade cabe tudo, e os amigos é para isso mesmo.

Amigas dos outros, façam o mesmo, deixem-se de m&rdas. O tempo que perdem a comer gajos estragados, comam antes os vossos amigos de sempre. Vão ver que a vossa vida melhora, comem menos gelado no sofá e choram menos a ver comédias românticas de carregar pela boca.

E é isto… Boas Festas, onde vos apetecer.

 

Ups, fiz asneira outra vez!

-Embora Steel! O cinema começa às 8 em ponto! 
Convidei a Miss Kitty para um programa só de mulheres. Pelos vistos, as amigas fazem esse tipo de saídas na grande cidade cosmopolita. Tenho tudo sob controle! JURO! Para os leitores mais cépticos aqui vai: reservei os bilhetes para a sessão das 20 horas via Web, guardei a morada do cinema e escolhi uma comédia;  pois romântico para ir ver com uma amiga não é aconselhável. Não fosse ela ficar com a ideia errada.
-OK ok, vamos lá. 
-Então ao qual cinema vamos Steel?

Quê? Há mais que um? Essa é nova…
-Bom deve ser aqui perto mas é melhor pôr a morada no GPS! 
Uma hora e meia depois…
-Steel tens a certeza da morada? Já estamos do outro lado da cidade!
-Kitty está descansada! Está tudo sob controle!

Não, não está . Se eu soubesse que era assim tão longe preferia lhe pagar o jantar na Pizzeria da esquina.
Chegamos! Do outro lado da cidade . Numa rua duvidosa, com transeuntes duvidosos e o cinema com um aspecto mais duvidoso ainda. Mas a Kitty acha tudo muito excitante e já que aqui estamos, vamos lá ver o filme.
– Queria levantar os dois bilhetes em nome de Steel e Kitty por favor. Para ver o ‘ Aonde pára a polícia 10’ 

O tipo da bilheteira desmancha-se em gargalhadas mas passa-me os bilhetes para a mão. O que é que ele consumiu?!?
Lá entramos! Todas entusiasmadas e prontas para umas boas gargalhadas sem consumo alcoólico ou outras coisas…
Curioso. Só homens na sala e olham-nos todos com uns olhos gigantes como se fossemos extraterrestres. Cá para mim foi consumo colectivo…é isso mesmo! Wow Steel  que perspicácia!
Kitty tira da bolsa dois lenços de papel para nós sentarmos em cima.
-Steel nunca vi cadeiras de cinema tão nojentas pah!
-Despacha-te o filme já começou!
Em uníssono ouve-se o som de vários fechos eclairs de calças a abrirem se.
Título do filme ‘ Ninguém pára a Polícia…do orgasmo’ .
Kitty e eu ficamos congeladas. Queríamos sair dali o mais depressa possível.  Mas passar por aquela gente toda de calças no chão e ‘ material ‘  na mão a estiar bandeira?  NÃO!
Foram os 110 minutos mais embaraçosos mas também mais engraçados que passei com a Kitty.
Mas Kitty nunca mais confiou em mim para organizar saídas…

©Miss Steel 69Letras 2017 

“… estás-te a babar toda!”

Texto Erótico|M18

Há uns meses atrás combinei ir beber um copo com alguns amigos meus. Fomos até a um bar e dai para um salão de jogos. Chegando ao salão reparei num homem esbelto. A cara dele não me era estranha, mas não me conseguia lembrar de onde o conhecia.

Os meus amigos decidiram ir jogar snooker… Eu sentei-me perto da mesa e fiquei a escrever para vos. Estávamos todos animados. Os que não estavam a jogar foram jogar as setas. Eu continuava ali sentada quando olhei para a mesa dos meus amigos e vi-o. Ele estava com o olhar fixo em mim e a falar para um dos meus amigos. Fiquei completamente parada no tempo. Aquele olhar penetrava-me alma e deixou-me com as pernas a tremer. Fiquei a olhar para ele, enquanto ele se preparava para uma partida contra os meus.

Eu estava tão enfeitiçada que já não dava fé das outras pessoas. E foi ai que ele se virou para mim e me começou a provocar. Sentia as minhas cuecas a molharem-se. Ele chamou-me para ir jogar com ele, mas eu negava dizendo que não sabia jogar. Ele pegou na minha mão e levou-me até a mesa dizendo que me ia ensinar. Deu-me o taco para as mãos. O toque de seus dedos na minha pele me deixou arrepiada. Chegou-se por trás de mim e encostou-se para também poder posicionar as suas mãos no taco. Senti de imediato o seu pénis a roçar no meu rabo. As minha pernas tremiam e as minhas cuecas já estavam encharcadas…

Com um movimento rápido ele largou o taco e fez me larga-lo também para me virar de frente para ele. Estávamos agora cara a cara e eu sentia a minha respiração a acelerar. Depois de me penetrar com aquele olhar misterioso e sedutor agarra-me pelo pescoço e beija-me com intensidade. Sinto a sua mão percorrer o meu corpo… Parando nas ancas também a sua outra mão percorre o meu corpo. A minha camisola desliza para cima deixando os meus fartos seios envoltos de um sutiã vermelho de renda aparecer. Ele para de me beijar e aprecia o que agora esta a vista. Com um olhar maroto desliza o seu polegar direito para dentro da copa e começa a fazer círculos a volta de um dos meus bicos e este fica rijo com aquele toque suave o que me faz soltar um gemido. A sua mão esquerda desliza para as minhas costas. Enquanto isso ele se encosta mais contra mim e eu sito a sua tesão enorme a fazer pressão contra a minha vulva inchada… O sutiã cai.

“Peregrinus! Peregrinus!”… “Ah?” Oiço alguém a chamar por mim. Viro-me e dou de caras com uma das minhas amigas. “Peregrinus, estás-te a babar toda.” Literalmente! Que vergonha. Saio dali a correr…

Peregrinus #69Letras

 


Regista o  teu cartão de cliente e obtém 10% de desconto em todas as tuas encomendas!

www.aubaci.com/69letras

Falaram pouco sorriram muito. Eram um do outro.

12189918_1622675584644839_6550063342478242560_n

De 1 a 10

Foi no dia 1 deste que mês que ele lhe ofereceu 2 rosas vermelhas. Mandou-as entregar no local de trabalho às 3 da tarde. 4 amigas roeram-se de inveja enquanto ela corada, sorria feliz por aquele ato. Já não se falavam há 5 dias, pelas 6 horas ela mandou-lhe uma mensagem a convida-lo para jantar no restaurante onde jantaram no 7º encontro. Ela vestiu aquele vestido preto que tão bem lhe assentava, colocou os saltos prateados e um colar que descia pelo decote.
Já dentro do carro ela observou-o à sua espera à porta do restaurante. 8h em ponto como fora combinado, pontual como sempre. Jantaram tranquilamente e notava-se como estavam felizes por se verem novamente, deram as mãos sobre a mesa, e saborearam o vinho imaginando absorver o sabor nos lábios um do outro. Falaram pouco sorriram muito. Eram um do outro. Uma mesa com 9 pessoas olhavam-nos encantados conseguiam sentir que estavam num mundo diferente daquele casal, podiam gargalhar e brindar, mas aquele amor não o teriam. Era tão deles. Pagaram o jantar e partiram num só carro, já no elevador o fecho do vestido fora aberto e as calças dele desapertadas. Foi num 10º andar que se uniram pela primeira vez.

?A Vizinha #69Letras