Arquivo de etiquetas: amanhecer

Amanheço…

Amanheço vazia, de grito preso na garganta, sem alegria, numa profunda apatia, que ao mundo espanta, e esse grito que calo, essa vontade de te chamar, é dor que arde, me faz dormir tarde, com a ânsia de amar.

Preciso de ti, que me despertes e acordes, no corpo que é meu, agora tão teu, me inundes e transbordes, com um suave acordar, a ouvir os pássaros cantar, em doces acordes que me despertam os sentidos, há muito adormecidos.

Despe-me de defeitos, entrego-me nua, com a pele que é tua, entre toques e beijos, instinto carnal, sacia-me desejos, vontades sem igual, numa química explosiva, um do outro somos eleitos, sem ser corrosiva, vivemos momentos perfeitos.

Preciso amanhecer, com este acordar, ao amor me render, tudo esquecer e voltar a amar.

 

Miss Kitty #69Letras

…retornarei à cama onde o meu amor ainda não amanheceu.

12316092_1630115537234177_5233766661692719461_n

 

Pode até nem acontecer, ainda assim não deixo que os meus sonhos murchem nem que meu olhar se torne baço.
Que não se engane quem me vê absorta pela paisagem não é os prédios que me rodeiam que observo, nada disso, estou mais à frente, mais adiante, numa viajem que só eu embarco.
Sorrio de coração cheio mas não é porque vejo as pessoas que caminham lá fora mas sim avisto como se quase conseguisse palpar aquele dia em que quando acordar estarei eu em outro lugar. Onde poderei inspirar profundamente o ar frio dos melancólicos invernos e as árvores serão a pauta com que o vento e a chuva vão tocar e dentro do meu lar vive um silêncio absoluto violado pelo delicioso crepitar da lareira, onde caminho pelo soalho de madeira com os pés embrulhados numas meias de lã e nos ombros carrego a velha manta que está na família por três gerações, nas mãos a porcelana onde me servi de chá aquece o meu toque e saboreio cada trago como se o tempo fosse infinito e o relógio a minha vontade.
Um dia destes acordarei com outra paisagem e depois de a contemplar retornarei à cama onde o meu amor ainda não amanheceu.
?A Vizinha #69Letras

 

DÓI TANTO!

received_1204755372891402.jpeg

Dói tanto, mas tanto…
Conduzir em direcção diferente…
E no banco do pendura…
Ter-te de mim tão ausente…
Dói tanto, mas tanto…
Não poder inverter a marcha…
Que vontade de te esperar…
À porta de tua casa…
Dói tanto, mas tanto…
Conduzir em sentido oposto…
E não poder controlar…
As lágrimas no meu rosto…
Dói tanto, mas tanto…
O caminho que agora faço…
Que me distancia…
Cada vez mais do teu abraço…
Dói tanto, mas tanto…
Enfrentar esta noite vazia…
Onde eu só penso em ti…
Até ao amanhecer do dia…
Dói tanto, mas tanto…
Não consigo suportar…
Saber que amanhã…
Não te vou poder beijar…

POETA SOLITÁRIO

Duelo entre a Raven vs Ela. Tema: Amor

12552992_1650059735239757_6815701802394497273_n.jpg

Duelo entre a Raven vs Ela.
Tema: Amor

Amor de outras vidas , reencontro karmico , não é o esplendor apregoado em belas histórias e melodias , é voltar a conceber um Amor temporalmente desfasado , é reconhecer o cheiro , cada linha da face , cada reentrância da Alma , é fusão imediata de todos os sentidos , é deixar de ser dois e passar a ser Uno . Quando se tenta explicar esta dimensão as palavras falham , não chegam , perdem se no ar , pois não existem . Quando um Amor assim se reencontra é reviver um passado sem espaço no presente e sem encaixe no futuro , pois não é daqui nem de agora . A Alma fica cheia para depois ser vaporizada em mil fragmentos .

Raven

Sentir que os passos que vamos dando têm chão…
Que as palavras soltas se juntam num verdadeiro cantar das cigarras
Alimentando cada raio de sol com a plenitude de um amanhecer,
E esculpir..
Esculpir em nuvens de algodão a palavra amor!
Como quem quer falar com a lua em tom suave, calmo…
Chorar de alegria ao ver que até as estrelas partilham o seu brilho.
Umas com as outras..
Numa partilha tão única, tão verdadeira…
Como a nossa…
A nossa partilha…
Nos sonhos, nos momentos, na vida, na saliva…
No encontro e desencontro de seres que se completam.
A metade e a metade da laranja….
Que dará o sumo de uma só!!!
Os corpos que relaxam na paz de uma tarde…
Que perdura na mente criando a noite…
Salpicando de chuva uma madrugada quente…
De um qualquer país tropical onde até a terra cheira…
Sentir…
O cheiro da terra e o toque dos teus lábios…
Na pele molhada da chuva que cai sobre nós…
Que nos molha o cabelo…pingando suavemente
por nós dois…de mãos amarradas e firmes!!
Parece que levitamos no tal cantar das cigarras
Na noite de lua cheia…
Onde as corujas de olhos esbugalhados nos
miram espantadas por presenciarem tal cena…
De amor!!…
Os nossos pés cheios de lama vão deixando pegadas
pela estrada fora, como prova que ali estivemos
ávidos de desejo e de paixão..
Num virar de página que nos mostra o início..
De uma longa e profunda caminhada
Que vamos fazer…de mãos dadas …
Partilhando…
Os sonhos, os momentos, a vida e a saliva…
Bebendo juntos o cálice…
Com o sumo da nossa própria laranja!!!
Eu e tu!
Tu e eu!

Ela

 

Reclamo a tua ausência

cf17bd898effef449adcb44969ed0bde.jpg

Fotografia: Via Pinterest

A claridade que rompe da janela do quarto não deixa dúvidas: mais um dia. Mais um dia que desperto e encontro a cama vazia do teu lado.
Lembro-me de abrir os olhos pela manhã e ver-te dormir, enroscar-me ao teu corpo e assim ficar por tempo indeterminado mas agora tudo o que vejo é vazio, é ausência da tua silhueta.
É logo pela manhã que começa a minha luta contra a inércia de continuar na cama, voltar a adormecer e assim te alcançar noutro plano: no mundo dos sonhos.
Mas a vida segue, então respiro fundo e aceito mais um dia sem ti
Não consigo traduzir a tristeza de nunca mais cheirar o perfume da tua pele… o coração encolhe aperta e reclama!
E como reclama a tua ausência!
O amanhecer é então a altura do dia mais difícil de suportar pois afasta-me de ti, ja adormecer leva-me a ti…

A Vizinha