Arquivo de etiquetas: almas

Laços da Alma

Almas condenadas a reviverem vezes sem conta o seu amor
Amor vivido de diferentes formas, diferentes épocas.
Por muito que queiram fugir deste destino,
Desta tortura, acabam sempre por se encontrar.
A sensação de que já se conhecem, mas não sabem de onde.
Pequenos gestos, determinados eventos,
fazem aquelas almas acordar em mais um corpo que não é o deles.
Revivem tudo de novo, não se resignam a estar separados.
Cada época que renascem, tentam fazer tudo diferente,
mas o destino é traiçoeiro.
Separa-os de novo.
São laços da alma condenados ao infinito do seu amor.
©Lola 2017 #69Letras

Estou a precisar de ti meu jovem…

Enquanto olhamos um para o outro,
Nesse horizonte, as ondas quebram o silêncio.
Apenas os dois, entregues a monotonia do momento.
Rotina de uma vida.
Apercebo-me que o relógio estagnou em nós, com tantas recordações.
Noites perdidas,
O nosso sangue bombeava álcool pelas nossas veias…
O fumo alucinava a nossa mente,
De forma bruta e crua.
Era nua contigo, sem rodeios.
As noites tornavam-se dias,
Ressacas infinitas nos braços um dos outro.
Acorda, toma um banho e repete.
Não percas o balanço e salta para mais um apagão.
Perdias-te em mim tantas vezes,
Ainda hoje conheces o meu corpo com o toque leve desses dedos maravilhosos.
Estou a ressacar de juventude,
Adrenalina, sexo sem rodeios.
Estou a precisar de ti meu jovem…
Vamos voltar?

© Krishna 2017 #69Letras

QUALIDADES E DEFEITOS!

received_1208459322521007

Corpos carentes…
Que tanto se desejam…
Almas que falam…
Por mais longe que estejam…
Rendem-se ao prazer…
Às loucuras sem fim…
E embora distante…
Sinto-te em mim…
Despes-me a alma…
Tens-me por inteiro…
Não sei ignorar…
Este sentimento verdadeiro…
Este sentir-te…
Na pele tatuado…
Sentir o teu beijo…
À tanto desejado…
Roubaste-me a alma…
Para ti é transparente…
Conheces loucuras e desejos…
Não preciso ser diferente…
Tens-me como sou…
Despida de preconceitos…
Menina, mulher…
Com qualidades e defeitos…

Miss Kitty

SINTO-TE…

received_10208281844022685

Escrevo como te sinto…

Sinto-te em mim, sem me tocares e, não precisamos de dizer nada, pois basta um olhar, para sabermos como e quanto nos queremos e precisamos um do outro. Olhares que se trocam e sem querer dizem tudo, traem-nos, revelam os nossos desejos, por mais íntimos e secretos que sejam, e aos quais deixamos de resistir.

Sinto a tua respiração no meu ouvido enquanto proferes palavras doces que me inibiram e me derretem por dentro fazendo o teu coração que bater acelerado. Sinto o calor da tua boca na minha quando me beijas com sofreguidão, e me reclamas como tua. Beijos calados que falam por nós com esta cumplicidade que nos caracteriza.

Sinto o toque dos teus dedos na minha pele enquanto me tiras a roupa lentamente, toque esse que provoca um arrepio gostoso que traduz toda a química explosiva que nos envolve, um misto de dois componentes num jogo de acção-reacção que nos cativa deixando-nos tão rendidos.

Sinto-te quando te toco, cada poro, cada centímetro, cada pedaço teu se contrai à minha passagem, provocando, seduzindo, querendo mais de ti e de mim, nessa dança de sentidos e de corpos, de toques, de cheiros, que nos fica na memória. Corpos que se veneram, completam e falam entre si sem ser necessário dizer uma única palavra, só mesmo o toque, para se compreenderem e saberem saciar desejos.

Sinto o teu gosto doce e salgado, a gota de prazer que sem querer libertas por não a conseguires conter. Levo-te ao limite, sei que gostas, que te deixo louco, sem reacção, faço-te esquecer do mundo e de ti próprio, deixas de resistir e entregas-te a mim satisfazendo os teus desejos e os meus, quando me sentes, me provas e me deixas sem fôlego de tanto prazer e urgência de te ter dentro de mim e, sem nada precisar de dizer, te apressas a satisfazer.

Sinto os nossos corpos ansiosos por libertarem as almas. Corpos que se dominam, falando por nós como nenhum poema o poderia descrever. O calor do teu corpo por traz do meu quando me envolve num abraço urgente e lentamente me possui, centímetro a centímetro, com tanta doçura e suavidade, preenchendo-me, completando-me, tornando-nos num só. Sintonia perfeita entre corpo, alma, amor, paixão, tão incondicional e natural como se tivéssemos sido feitos por medida. É nesse momento que deixamos de existir, somos um, esquecemos todas as cicatrizes do passado, as dores do presente e o futuro que não conhecemos, e vivemos esse momento, tão íntimo, tão sentido e tão nosso. Amamo-nos, pertencemo-nos, possuímo-nos e nada mais importa, só nós.

Olhos nos olhos, entre toques, beijos e gemidos, testemunhamos o nosso prazer, que nos preenche e inunda de tão intenso e sentido que é. São breves momentos, inexplicáveis e tão insanos que se tornam eternos em segundos. Momentos que teimamos em prolongar com carícias e beijos, por não nos querermos separar, ficando cada toque tatuado na pele e gravado na mente para sempre.

Por fim adormecemos, tal como estamos, exaustos de tanta entrega mas tão saciados, transbordando amor. Sentimo-nos e protegemo-nos, mais nada importa… Como vês, sinto-te como escrevo…

Miss Kitty

 

A escuridão é o meu templo , a minha casa , o meu mundo mais perfeito , onde encho o peito …. A cama onde me deito.

12417966_1644965812415816_6940441926262207291_n

 

Perdi-me algures na escuridão, deixei me ir por caminhos desconhecidos , Cruzei me com viajantes à muito perdidos , vivi vidas de vários , senti frio , senti calor , senti me em casa ou por vezes desfasada .
Mas voltarei a perder me na escuridão vezes sem fim , lá encontro paz , encontro conforto , encontro me , sinto as pedras da calçada , as paredes molhadas , a noite passada , a porta de entrada para o desconhecido ou para dimensões que reconheço , já lá estive , já lá vivi.
Já resgatei Almas , deixei me resgatar , já amei por lá e por lá me deixei Amar , já por lá bebi as mais ricas castas , já por lá comi nas mesas mais bastas , já dei e recebi sexo nu e cru assim como Amor passageiro .
Conheço a escuridão , gosto dela , gosto das minhas asas negras como breu , gosto de olhar o céu , falar com a Lua , correr na praia nua , gritar para as estrelas , pisar a areia da praia , de perder a saia , de deixar o cabelo ao vento , deixar para trás todo o desalento …. Gosto de viver o momento .
A escuridão é o meu templo , a minha casa , o meu mundo mais perfeito , onde encho o peito …. A cama onde me deito.

Raven #69Letras

Tu vestes a minha felicidade…

3bc46d1de559ed779e1e6da7047d0134.jpg

Fotografia: Via Pinterest
Entrei na tua vida com a suavidade de quem quer ficar e quando percebi que era o que queria, saí bruscamente. Arranquei-me de ti sem explicações, sem respostas ou justificações, e se não fosse as fotografias que confirmam a nossa história ou as marcas que deixámos na alma um do outro poderíamos negar que um dia fomos um do outro.
Simplicidade seria descobrirmos que nada somos um ao outro ao invés da cruel verdade. Somos a casa onde mora a felicidade um do outro… e impedi-te de mim… e de sermos nós.
É doloroso olhar-te e saber que um dia a minha escolha certa foi a mais errada de todas e que tu vestes a minha felicidade… e eu a tua…

A Vizinha

Fui finalmente paz.

Fotorafia: Via Pinterest4e2d4da85a3ae49389196f9c5c6e09d4.jpg

Sobre aquela noite, apenas um titulo me vem à cabeça: ” eu e tu fomos água!”.

Na dança do nosso desejo deixamos de ser dois corpos para nos transformarmos na água que libertou a vontade à muito contida.
Fomos a água benta sob o olhar atento daquela igreja que lavou nossas peles e levou à purificação destas almas que ardiam de pecado um pelo outro.
Não fomos gotas de suor, fomos maré salgada que nos oleou a pele num vai e vem de corpos acessos que nem com o cansaço se apagaram.
Fui nascente e afluente fonte do néctar divino por ti extraído,
fui força dominante e fraqueza por ti dominada,
fui vida e luz no olhar…
fui finalmente paz.