Arquivo de etiquetas: almas gemeas

Amor não tem data de expiração

Quem disse que o amor tem validade de expiração?
Amar é em qualquer idade,
Amar não tem sexo.
Amar não tem preconceitos, nem etnia.
Amar é gratificante,
Quando duas almas se juntam em sintonia.
Amar é viver, sobreviver
Amar é usufruir de momentos únicos
Amar é sentires que tens o teu porto de abrigo.
Amar é discutir e reconciliar
Amar é partilhar tristezas e alegrias
Amar é apoiar nas quedas e no reerguer.
Amar é assim….
Aprende, deixa-te sucumbir ao que achas impossível.
©Lola 2017 #69Letras

Laços da Alma

Almas condenadas a reviverem vezes sem conta o seu amor
Amor vivido de diferentes formas, diferentes épocas.
Por muito que queiram fugir deste destino,
Desta tortura, acabam sempre por se encontrar.
A sensação de que já se conhecem, mas não sabem de onde.
Pequenos gestos, determinados eventos,
fazem aquelas almas acordar em mais um corpo que não é o deles.
Revivem tudo de novo, não se resignam a estar separados.
Cada época que renascem, tentam fazer tudo diferente,
mas o destino é traiçoeiro.
Separa-os de novo.
São laços da alma condenados ao infinito do seu amor.
©Lola 2017 #69Letras

No teu ser deposito a minha alma

Hoje fiquei assim com vontade de te visitar…
Que tocasses em mim,
que o teu cheiro se misturasse com o meu e ficássemos assim
Num só EU.
Estou assim entorpecida…
Depois de te ter
E seres-me…
Mas que na verdade,
não és meu.
Gosto tanto de ti…
E dos constantes arrepios que me provocas,
ao contemplar-te…
Esse teu ser, que de mim retira o chão, que de mim escraviza.
Esse teu ser, com tantos poderes no meu.
O teu cheiro que me inebria
As tuas mãos que me prendem
O teu abraço que me protege
A tua boca na minha que provoca uma ânsia da vontade de seres meu…
Essa boca que provoca-me o desejo e a minha boca
esse desejo de percorrer o teu corpo quente pelo momento…esse momento,
só nosso…
Devorar-te, seria essa a vontade, esse desejo de ter-te
e não ser tua…
Lambuzar-me nesta minha loucura por ti…
que me deixa insana.
Essa tua respiração ofegante que me excita,
que me enlouquece de desejo de posse…
O teu olhar,
os nossos olhares…
Que se despem um no outro
E falam entre si.
Sentir o teu sabor que nunca me sacia, porque me sabe sempre a pouco…tão pouco.
Fico humedecida de desejo ao escrever-te…
Fico encharcada de desejo quando as tuas mãos me tocam…
No momento, naquele momento, onde o tempo não tem hora, onde o tempo deixou de ter poder e passámos a ser só nós.
Tu e Eu…
Loucos sedutores…
Almas que se encaixam, se conhecem, como num reencontro de sintonia.
Somos um do outro…
Sem poder ser
E a nossa paixão
controla…
Mas é sempre pouco esse tempo, desse tempo controlado e que teima em acordar-nos…
Hoje estou assim com tanta ânsia de ti…
Vem,
fica hoje aqui e mistura o teu cheiro no meu corpo e deixa-o em mim…
Apaixonada por ti.

© #MissLost 2017 #69Letras

Um dia normal…

Um dia normal…

Lembro-me como se fosse ontem, um dia que amanheceu igual a tantos outros dias de Verão, em que o cheiro a maresia vindo do rio acompanhava o estridente chilrear dos pássaros que teimosamente me acordam às 5:30 da manhã, quando o sol começa a antecipar o calor que se irá sentir.

Levanto-me preguiçosamente, tomo um duche, passo creme na pele e visto-me, não preciso de mais para me considerar arranjada, afinal á só mais um dia igual aos outros.

Como ainda tenho tempo tomo o café com calma e com a companhia de um livro e deixo-me levar pelo cheiro do café e pela história que leio avidamente. Quando dou pelas horas já estava atrasadíssima, agarro na mala e no meu livro e saio disparada para o elevador e pela porta do prédio quando esbarro com ele, tendo caído redonda no chão.

Ele prontamente estendeu a mão para me ajudar a levantar mas assim que me toca tenho uma sensação de choque eléctrico que me deixa a tremer e sem forças, é quando olho para cima e me perco. Não sei quanto tempo ficámos assim mas deve ter sido bonito de se ver, eu sentada no chão de mão dada com ele e ambos perdidos num olhar interminável.

Finalmente reagimos, levanto-me inebriada pelo seu perfume e presa no seu toque e olhar, perfume esse que me transporta momentaneamente para o livro que leio “Perfume”, algures espalhado no chão e que ele apanha e me dá com um sorriso, como se adivinhasse o que estava a pensar.

Neste misto de sensações em tudo avassaladoras e inesperadas, ele desculpa-se pois vinha distraído e convida-me para um café. Eu, atrasadíssima, nem me lembro disso e aceito. Passámos horas a falar, como se nos conhecesse-mos, como se fosse-mos parte um do outro.

Tínhamos tudo para além de uma química incontrolável, de repente percebemos que éramos perfeitos um para o outro, coisa impensável e sem explicação, pois nem eu nem ele acreditávamos em amor à primeira vista nem em almas gémeas, talvez pelos passados que tivemos que nos deixaram descrentes.

Uma coisa era certa, sem nos conhecermos amávamo-nos!

E a comprová-lo tivemos o beijo que ele me deu quando nos despedimos. Um beijo em silêncio, que disse tudo sem precisarmos de dizer mais nada. Doce, terno, carregado de sentimento e dado com todos os sentidos numa explosão de gostos, cheiros e desejos. Foi um beijo que não tem explicação, não sei se será possível defini-lo desta forma mas fizemos amor com esse beijo.

Ainda hoje lhe digo “Teria sido um dia normal sim se não te tivesse conhecido”.

© Miss Kitty 2016 #69Letras