Arquivo de etiquetas: agitar

Coitada. Está apaixonada.

image

É-lhe muito mais fácil negar do que admitir que o quer e que sem ele não quer mais estar. É como se ao admitir não houvesse volta a dar, como se ela se pegasse ao colo e aos braços dele se entregasse: Toma! Sou tua.
Só a ideia de ela dizer que está apaixonada fá-la chorar. Diz ela que a faz sentir fraca, vulnerável, despida. Como se se abandonasse a sim mesma para se dar a ele.
Parece uma presa encurralada, mal consegue respirar o medo impera no olhar e o corpo não pode estar de tão agitado. É irônico vê-la assim. Ela que sabe sempre o chão que pisa e porque o pisa, ela que tem sempre respostas prontas e opinião sobre tudo. Agora não sabe nada. Não sabe que fazer, está desorientada, desnorteada. Sente-se louca.
Está apaixonada. O que poderia ser bom, só é pena aquele não teimoso, aquela cobardia em arriscar.
Sim, sou cobarde.

 

A Vizinha

Além da tesão ou a da chamada química.

f6deaad303da6c61c9501f8aabfb59ec.jpg

Fotografia: Via Pinterest

Houve uma altura em que realmente duvidei que um dia fosse capaz de voltar a sentir algo por alguém. Algo além da tesão ou a da chamada química.
Estava convicta que em mim tinha esgotado qualquer capacidade de voltar a gostar de alguém.
Um dia, esta minha crença tornou-se numa anedota.
Aconteceu numa localidade que detesto, numa tasca que apenas servia para comprar tabaco.
Aproximei-me do balcão, fiz o meu pedido e senti-me observada por uma figura que apenas identifiquei quando estava de saída.
Olhos nos olhos, a pele suou, o corpo vibrou, a alma agitou e o coração pulou. Repito: o coração pulou, ou seja, mexeu, ou seja reagiu ao fim de anos de dormência, ou seja, afinal ainda existia amor em mim!! E no meio disto tudo, a melhor parte é que senti que ele sentiu também naquele imediato todos estes sintomas de vida.
E naquela localidade cinzenta, que ambos detestamos, deu-se um encontro, entre duas pessoas que nada eram, mas que tudo foram desde o instante em que deram as mãos com o olhar.

 

A Vizinha