Beija-me

Beija-me Como se o amanhã Não fosse chegar E hoje fosse o derradeiro dia Para me amar.

Quando os meus olhos se fecham….

Quando a noite cai e os meus olhos se fecham, vejo-te a correr livremente pelo meu pensamento, de cabelo solto ao vento, feliz como as chitas de Shamwari. Vagueias em mim de pés descalços, de seios despidos, de sorriso rasgado e com o sol a clarear esse teu corpo de menina feito mulher. Teimas em…

Eu, tu e uma dúzia de gaivotas…

Deslizo os meus dedos macios pela tua pele eriçada, como que numa dança de cereais maduros nos longos campos livres da Califórnia do Sul, à mercê do vento e com sabor a maresia. Aprecio o teu tremor.  Demoro-me. Dedilho calmamente o teu dorso como numa valsa de Viena, sem pressas, e empenho-me na descoberta incessante do estimulo dos teus sentidos. Perco-me livremente…

Olha o céu e sente-me!

Olha para o céu… Consegues imaginar e calcular a distância entre as estrelas? Consegues medir a intensidade do brilho de cada estrela? Consegues prever em que sítio vai estar cada estrela que vês hoje … mas amanhã ? Há coisas que não podemos definir com certezas … assim,sem métodos científicos!!! E há coisas que nem…

Eu juro que poderia ser feliz

Prometeram-me a felicidade, continuo sentado pacientemente à espera, numa espera sem esperança, como quem espera por quem invariavelmente não vem. Será a vida mesmo assim? Será a felicidade um momento e apenas isso? Um conjunto deles? Uma mão cheia de “ais”? Ou será algo que só está ao alcance dos escolhidos pelo criador? Sabes, eu…

Escuta, amor

Quando damos as mãos, somos um barco feito de oceano, a agitar-se sobre as ondas, mas ancorado ao oceano pelo próprio oceano. Pode estar toda a espécie de tempo, o céu pode estar limpo, verão e vozes de crianças, o céu pode segurar nuvens e chumbo, nevoeiro ou madrugada, pode ser de noite, mas, sempre…

Fogo que arde sem se ver!

  Foi a Janela entre-aberta … que arrefeceu os nossos corpos! Queimei-te sim, como me queimaste! Desde que te aproximas-te de mim, que a minha pele reagiu! Eu queimava e tu ardias comigo … As tuas mãos deslizaram em mim, despiam-me e tocavam-me como quem beija, a tua boca , colada em mim,sôfrega e perdida…