Arquivo da Categoria: Conversas sem Mordaças

A,B,C do BDSM

Oi kinksters hoje resolvi escrever sobre a base e explicar um pouco o que realmente é o BDSM, contrariamente ao que muitos pensam não se resume a palmadões, algemas, velas, cordas e sexo violento.

Para conhecerem há que saber o que o acrónimo significa, por isso bora lá, isto não é ciência espacial.

Bondage e Disciplina (BD), Dominação e Submissão (DS), Sadismo e Masoquismo (SM).

Por isso quando me referir a um relacionamento DS, não estou a falar no amor que tenho à minha Nintendo e sim de um relacionamento de Dominação e Submissão ou de Dominador/a e Submisso/a.

E quando falar em BD, estou mesmo a falar de Banda desenhada, esta parte ficou percebida lol.

O que é o BDSM ???

Para mim é uma forma de expressão sexual, e atenção, que pode não ter qualquer ligação directa ao acto sexual em si, isso vai variar de pessoa para pessoa.

Mas o principal é a cedência de poder entre participantes, em que cada um vive o BDSM à sua maneira, mediante as suas próprias regras e conduta .

Não há manual do que é certo ou errado existe, sim preparação, estudo e acima de tudo conhecimento dos seus próprios limites, e desejos assim como das restantes pessoas envolvidas.

Por falar em limites devo referir o que quase todos os praticantes têm como mantra são siglas que representam o que à partida todos temos de ter em conta em actos e praticas.

SSC – São ,Seguro e Consensual.

As palavras dizem tudo, à que estar em estado de alerta por isso estar sobre influências que possa deturpar ou alterar o poder de decisão está fora de questão.

Seguro, falamos de coisas como preparação de material desde higienização, verificar se está apto e preparado, tomando as devidas precauções para evitar que haja ferimentos graves e não planeados.

A parte do seguro não se resume apenas a preparação do espaço ou do material a ser utilizado é mais que isso, no que toca ao papel de Dominante temos de ter algum conhecimento sobre o que fazer em situações que possam ocorrer durante as praticas como descargas adrenergicas, ataques de pânico… enfim, inúmeras coisas que podem surgir e para cada uma delas existe uma forma de minimizar o desconforto que a parte submissa esteja a passar e reconfortar quando é necessário.

Consensual, para que qualquer relação avance logo de  inicio tem de existir uma negociação prévia para que fique definido que qualquer pratica efectuada entre ambas as partes é consentida.

Agora, caso estejam vocês a pensar que isto é muito relativo e varia de pessoa para pessoa.

Sim, têm razão, existem práticas que faço que aos olhos de outros praticantes não é de todo seguro logo estaria a ir contra a ideologia do SSC, mas também temos o R.A.C.K (Risk Aware Consensual Kink) que ao meu ver e a melhor forma de explicar é ter noção dos riscos ou seja consentir e ter consciência que certas atividades poderão por em risco algum dos intervenientes.

Para dar uma ideia, álcool à partida o SSC dita que não devemos estar sobre influências que possam deturpar os nossos sentidos mas se ficar acordado entre ambos que isso poderá acontecer o Bottom está ciente logo consentiu e tem noção do risco, espero ter-me feito entender .

Mas voltando à pergunta inicial, devo dizer que é complicada e daria pano para mangas pois cada um tem a sua interpretação e que eu saiba ninguém me proclamou “Expert” além que existem várias opiniões contraditórias no que toca a assuntos referentes a BDSM no meio, tanto que existe um termo de praticantes de velha guarda e nova guarda .

Para vos dar um exemplo que vem sempre à baila nas conversas que “exemplifica” o conflito de ideias.
Praticantes da velha guarda acham que a nomenclatura do BDSM nada mais é que totalmente desnecessário e é tudo modernices a mais .

Temos TOP’s e Bottoms e basicamente é isso.

Enquanto a Nova Guarda é apologista de tudo tem um nome existem vários tipos de TOP´s e Bottoms

Eu entendo ambos os lados e identifico me com as duas formas de pensar, concordo com a teoria da velha guarda que tudo está a ser um pouco banalizado e comercial e cada vez há mais nichos e terminologias e muito blá blá e pouca acção .

Isto deu origem a termos como Dominadores da NET, Geração filhos de Grey, Pseudo Dominadores/as e Submissos/as, apelidos fofinhos para o BOOM de supostos praticantes que não saem por detrás dos Pc e telemóveis e vêm realmente experimentar o BDSM.

E também  concordo com a nova guarda que existem sim categorias e faz sentido pois nem todas as pessoas são iguais é normal que nem todos os Top´s ou Bottom´s assim o sejam .

 

O que é um TOP, Bottom ou Switch(er)

TOP – é quem assume a posição Dominante.

Bottom – quem assume posição submissa.

Switch(er) – alguém que assume tanto posição Dominante como Submissa, pode ser com outro Switcher ou com parceiros de posição diferente .

O que significa o termo Baunilha?

Fácil, tudo o que não tenha a ver com práticas BDSM, Fetichismo e afins…

É usada essa palavra para identificar tudo o que não pertence a este mundo como vida baunilha, relacionamento baunilha, sexo baunilha.

(e não tem nada a ver com gelado de baunilha lol um dia explico).

Depois existem várias subcategorias para os Bottom´s como Brat, Baby girl/Boy ou também chamados de Litlle´s, Pet, Slave, Sissy´s, SAM´s, Money Slave etc..

Estas subcategorias vão variar dos “Plays” que se faz seja por gosto do Top ou preferência do próprio Bottom.

Afinal cada um tem os seus gostos, eu pessoalmente gosto de Pet play faz todo o sentido que procure alguém que partilhe do mesmo gosto que eu não tinha lógica ter um Little por exemplo.

Numa próxima publicação vou explicar o significado de cada tipo de Bottoms e os plays associados .

Mas por hoje é tudo.

Cuspidelas onde preferirem,

#Misses Kat #69Letras

 


BDSM, Chonézice e Coisas Assim Assim…

Correndo já o risco de perder a credibilidade como alguém que supostamente é entendida na matéria, tenho de alertar de antemão que comigo tem de haver boa disposição, por isso palavras estranhas serão usadas com frequência.
Pretendo nesta primeira publicação fazer uma breve apresentação e explicação do que podem vir a encontrar nesta rubrica. E para que não se percam vamos por pontos.

BDSM – Todos sabem o que significa ou ouviram falar, e parece que a moda veio para ficar. Yeahhhhhhh!!
Para mim é algo que faz parte da minha vida, em que adoro, respeito e acima de tudo levo com seriedade quando a situação assim o requer.
Sou uma Domme e para quem não sabe Dominadora resume tudo (ou não, por isso mais para frente será explicado). Adoro o que faço e posso dizer sem falsa modéstia que tenho algum conhecimento prático e teórico sobre este maravilhoso mundo do qual vos vou mostrar.
Tenho intenções de fornecer informações, desmistificar certas práticas, dar dicas, esclarecer duvidas e relatar experiências vividas por mim ou por amigos praticantes.

Chonézice – Também faz parte de mim e de quem me rodeia, tenho um sentido de humor meio estranho e adoro estar rodeada de pessoas igualmente estranhas, pessoas essas que regularmente chamo de “ohhhhh meu granda choné!”

Coisas assim assim – Bem, essa parte é a tal dita apresentação em que para já não vou debitar Gigabytes de informação em cima de vocês, pois afinal não quero que adormeçam, por isso bora lá então.
Sou a Misses Kat, Misses como diminuitivo de Mistress e Kat porque a minha alcunha em miúda era Gata e foi ficando até aos dias de hoje para alguns.

Sou praticante de Bdsm além de Fetichista, adoro falar sobre este meu lado mais Kinky e espero conseguir trazer o vosso ao de cima

E é assim caríssimos, apresentações feitas e não percam os próximos episódios porque nós também não.

Lambidelas onde mais gostarem.

Misses Kat #69Letras

PS: Tinha que haver uma referência ao Dragon Ball, pois claro…