Arquivo da Categoria: Contos Eróticos

…pedes para que seja tua.

image

Texto Erótico|M18|     Ainda tinhas clientes no bar quando me sentei na mesa no fundo da sala.
Sorris enquanto caminhas até mim pois sabes o porquê de estar ali, sozinha e perto da hora do fecho. Fechas a porta do bar levando contigo os últimos clientes, procuras-me e não me encontras.
Surjo noutro angulo, e enquanto me vês a caminhar até ti, dispo a gabardine, revelando a nudez do meu corpo, em cima dos saltos que me ofereceste. O teu olhar faísca anunciando o quão saudoso estavas das minhas curvas.
Puxas-me pela cintura como só um homem seguro de si o pode fazer. Cheiras-me o pescoço enquanto agarras o meu cabelo pela nuca. Olhas-me nos olhos, e no silêncio das palavras e no grito do desejo, beijámo-nos fervorosamente e sem dares conta, soltaste um gemido de satisfação por estar de volta… desejas-me! Eu sei.
Ataste-me ao pilar junto do balcão, de costas para ti, deixando os meus cabelos loiros e desalinhados cair sobre as costas e ao ouvido prometeste fazer-me pagar por te ter privado do meu corpo. Vibrei com a respiração dessas palavras.
Beijas-te todo o meu corpo apaixonadamente. Tocaste cada canto do meu corpo, como nunca o tinhas feito… percebi que estavas a memorizar cada pormenor, pois sabes que não tenciono voltar.
Afagas a minha nádega, e no meu ouvido afirmas que te pertenço. O teu domínio sobre mim, faz-me palpitar e ansiar pelo passo seguinte. Estava desejosa, que me fizesses tua.
A tua mão, firme, impiedosa e espaçadamente morosa e a tua dedicação ao centro do meu desejo fez com que rapidamente, atordoasses todos os meus sentidos. Perdi totalmente o controlo do meu corpo. Esgotaste o meu corpo, com a dança divina da tua língua e a ajuda dos teus dedos curiosos.
Partilhaste o sabor dos teus lábios num beijo ternurento, fazendo o meu coração bater de forma desconcertada. O que foi aquilo? Aquele calor no peito?
Desatas-me. O teu olhar revelava o brilho e a exaltação de uma criança. De costas sob a mesa de snooker, reconheces o calor que por diversas vezes te fez alcançar o céu e ainda com a respiração a descansar da viagem ancestral, pedes para que seja tua.

 

A Vizinha #69Letras

És Cigano. E eu sei. Eu gosto disso.

 

TEXTO EROTICO | M18|Tum tum pa’ ‘Tum tum pa’ ‘Tum tum pa’

Este, é o ritmo que ecoa na minha mente. Uma estranha vibração percorria o meu corpo cada vez que marcavas o ritmo e acentuavas a intensidade do ‘pa’, …
Disfarçadamente observava os teus movimentos, e quanto mais te olhava, mais me atraías.
Homem Latino. Não sei o que mais me atraiu em ti. Se o teu cabelo apanhado, se o tom moreno caramelo da tua pele, se o teu olhar cigano ou a descontração da tua barba.
‘Tum tum pah ‘Tum tum pa’.

O meu lado racional nunca adivinharia o que viria a seguir…cham-sensual-couples-couples-angeljoypride-passion-black-n-white-me-love-romance-davlo-widescreen-snsl-toi-moi_large_zps63f7a609
Cigano como és, farejaste o desejo que crescia entre as minhas pernas… o que foi que me denunciou? O calor que comecei a libertar quando te entreguei o meu corpo com a desculpa de aprender aquela dança? Apenas aprender… sem segundas intenções, sem desejar estar no pecado dos teus braços. Confessa que também tinhas malicia na angelical intenção de me ensinar?!

És Cigano. E eu sei. Eu gosto disso.

Dominaste o meu corpo. Seria impossível negar esta excitação. A minha respiração não permitia. Nem as minhas garras a perfurar os teus ombros para aliviar a tensão passavam despercebidas…
Rapidamente, quando abri os olhos, estávamos noutro local. Terei ido a levitar?

Desejo animalesco. Descontrolado. Sem limite.

Grava estas palavras Cigano, ‘sem limite’. Beijámo-nos ferozmente como dois animais selvagens, as nossas línguas partilharam o veneno sexual que carregamos no nosso sexo.
Rapidamente cravaste os teus lábios nos meus peitos, sugando-os, enquanto me ordenavas fletir a perna. Trespassaste o meu vestido à velocidade da luz, e fizeste-me sentir a firmeza das tuas mãos, e o quanto elas são insaciáveis… o meu corpo respondeu-te com a mesma fome… fome incurável… fome que só aumentava a cada erupção que escorria pelo teu braço, enquanto me tentava manter em pé, contra a parede….
Naquele chão inundado, ficou a prova do desejo que acordaste no meu corpo. E nos meus lábios… ficou o sabor do teu corpo latino.

‘Tum tum pah’.

©  Cátia Teixeira, Vizinha 69Letras® 2013

Imagem: Via pinterest