Arquivo da Categoria: Misses Kat

Fetiches Incomuns

Olá olá, cá estou eu mais uma vez na continuação da semana seguinte para vos trazer mais uns fetiches bem catitas.

Decidi só vos mostrar os que acho mais estranhos e fora do comum, vamos a isso?

Acrotomofilia – Pois bem quem tem acrotomofilia sente atração por pessoas que tiveram partes do corpo amputadas ou que simulem que tenham uma parte do corpo amputada. Continuar a lerFetiches Incomuns

Fetiches

Olá cambada de taradinhos como vai isso?

Está um calor que não se pode né? Por falar em calor resolvi esquentar o tema da semana e focar num assunto apenas.

FETICHES….Yeahh, são uma carradas deles mas antes de vos mostrar uma listinha catita vou explicar a definição da palavra, pois muita gente confunde fantasias com fetiches e para que a coisa fique clara e não se enganem mais cá vai.

Fetiche- (francês fétiche, do português feitiço) Continuar a lerFetiches

Perigos do BDSM

Oiiiiiiiiii pessoal, como vai isso?
Mais uma quarta feira, né?
Vocês ainda não se fartaram disto?!
Como fiquei sem assunto tava a pensar começar a escrever poemas sobre BDSM, que acham?
Nahhhhh tava no gozo, vocês não queiram que escreva coisas dessas, isso fica para as autoras do blog como a Lola e a Lilith que percebem disto.
Eu sou mais de acção que de escrita, por isso é que a rubrica é um desafio.
Juroooooo que estou a fazer um esforço para não dizer muitos disparates e manter alguma seriedade no que vos trago semanalmente, apesar de ser difícil pois a minha vontade era avacalhar.
Mas vá, eu já estico a corda demasiado qualquer dia recebo um raspanete aqui da Dona do condomínio e lá fico eu de malas à porta e depois? O que vai ser de mim?!
Quem vai ler os meus devaneios das quartas-feiras?!
Pois bem, tá na hora de falar sobre assuntos sérios, malta ponham as vossas caras de jogador de Poker que o assunto assim o exige.

PERIGOS DO BDSM.
Sim em caps lock e tudo que é pra ser mais visível e não meto em Bold porque já era demasiado.

Agora fora de brincadeiras, sim o BDSM pode ser perigoso já vos falei de práticas que tinham advertências do género “Não fazer isto em casa”
E sempre que possível dei conselhos de como podem minimizar os perigos se resolverem experimentar por vossa conta e risco, quem é amiguinha?Quem é?!
A ideia é que se tente não correr riscos desnecessários, a não ser que seja propositado, ehehe aí pronto temos pena e vão se queixar ao Tota.
Mas ir ao supermercado também pode ser perigoso, já vi muito boa gente a provar uvas antes de comprar que nem lavadas estão com paletes, resmas de germes.
Pahhh até andar de metro hoje em dia é um perigo.
Por isso podem praticar BDSM que às tantas aleijam-se menos.
NOT, a não ser que sejam Top´s aí não se aleijam muito é verdade, bem eu fico com as mãos negras das palmadas que dou e fico ás vezes com nódoas negras em sítios estranhos, mas é do entusiasmo nem dou conta que me estou a aleijar.

Se eu fosse falar de todos os perigos que envolve a prática de BDSM tinha de escrever um testamento daqueles, por isso vou resumir um pouco.

Definir limites e Contratos.
Pois bem se formos a ver uma das formas de uma pessoa se proteger também passa por saber ao certo os seus limites físicos, psicológicos, emocionais e éticos.
À partida se isso estiver bem estipulado entre participantes a coisa corre bem, caso não estejam pode dar para os dois lados.
Ou a parte dominante opta por ir aos poucos testando limites sempre com bom senso e tomando as devidas precauções ou então se for assim tudo abandalhado dá merd@, desculpem a franqueza.
Eu pessoalmente não faço contratos, não porque ache desnecessário muito pelo contrario mas sinceramente acho que não se aplica, como o tipo de relacionamentos D/s que gosto existe muito diálogo então facilita bastante nesse aspecto.
Tenho contratos verbais vá.
Além que para efeitos legais os contratos não têm qualquer legitimidade.
Mas voltando aos limites, é a base de tudo e de qualquer tipo de relação que possam encontrar neste meio.
Limites são isso mesmo, limites e serve para serem respeitados.
Claro que existem limites ultrapassáveis e limites intransponíveis acho que não preciso explicar a diferença de ambos.
Agora caso já tenham lido sobre relacionamentos TPE (total troca de poder) como relações D/s de Dono/a e Escrava/o podem ter ficado com a impressão que limites não há nenhuns mas ao meu ver, sim, têm limites dentro do que se considera legal.
Pois mesmo dentro do BDSM , abuso é isso mesmo abuso logo é crime, qualquer tipo de relação se algo for feito contra a vontade de um dos participantes não deixa de ser criminoso.
Dou-vos um exemplo, imaginem que se trata de uma relação Dono e Escrava e supostamente não existem limites nenhuns, certo dia ao Dominante dava-lhe na cabeça de prender e forçar a Escrava a ter relações sexuais recorrendo a violência contra a vontade da mesma.
Isso não deixa de ser uma violação, dentro de uma relação sim mas temos de dar nomes às coisas.

É crime.
Não é por uma pessoa aceitar uma relação TPE que deixa de ter palavra no que lhe acontece.
A ultima palavra é sempre de quem se entrega, acho que já disse isto várias vezes.
Talvez alguns praticantes de BDSM Hard discordem de mim, mas heiiiii quem escreve aqui sou eu.
Não sou a Dona da razão mas é este o meu ponto de vista.

Perigos silenciosos.
Depois existem aqueles tipo de perigos que uma pessoa nem dá conta que pode se dar mal.
A importância da palavra SEGURO.
Pois já falei várias vezes na importância de ter o material limpo e etc e  tal wiskas saquetas para prevenir fungos, infecções bacterianas entre outras.
Mas e coisas mais importantes como fazer exames regulares, principalmente se existirem mais que um parceiro sexual e se forem praticantes de BloodPlay.
Não partilhar brinquedos ou material como floggers, canas chicotes e afins.
Pois bem, muitas vezes em espaços de BDSM como bares e afins é comum haver plays com material fornecido pela casa, não acho piada nenhuma a isto.
Quem vos garante que aquele objecto já não foi usado em alguém até rasgar a pele?! Quem vos garante que não vos faça um rasgo em vocês?! Entendem onde quero chegar?!
É uma questão de bom senso NADA DE PARTILHAR material faz favoriiiiii, e se por ventura acharem por bem irem numa brincadeira onde é usado um objecto que possa resultar em ferimento que não saibam que foi devidamente higienizado pahhh deixem lá isso de lado.

Pessoal, claro que perigos existem, muitos sim, é um facto mas claro que quando se tem acesso a informação não há desculpa para cometer erros básicos que podem pôr em risco a integridade física, mental ou emocional de cada um.
Por isso tenham cuidado, acima de tudo tenham a certeza que confiam o vosso corpo e alma à pessoa a quem se entregam, isto para Bottom´s, quanto aos Top´s falo para quem está ainda no começo, leiam, aprendam, não tem mal nenhum dizer.
“-Eu não sei muito sobre isso, mas vou me informar.”
Humildade para assumir os seus pontos fracos e respeito pela pessoa que confia em vocês.

E com esta vou encerrar por aqui a conversa que já dei muito assunto para lerem.

Uma valente lambidela no nariz pra todos.
Até prós ranhosos que torcem o nariz com as coisas que escrevo.
©MissesKat #69letras

 

E porque falei em abuso  e violência deixo aqui os contactos da APAV porque falar pode fazer a diferença.

Podem contactar através da Rede Nacional de Gabinetes de Apoio à Vítima e da Linha de Apoio à Vítima: 116 006 (chamada gratuita, dias úteis 09h-19h) ou www.apav.ptapav.sede@apav.pt

 

Sexo e BDSM

Olá cambada, como vai isso nesta bela quarta feira?
Cá estamos nós para mais umas #ConversasSemMordaças, a vossa rubrica semanal de BDSM e afins.

Bora falar de sexo?! Sim eu sei que existe uma rubrica aqui na pagina para este tipo de conversas, já agora façam favor de espreitar.
Chama-se – É preciso falar de sexo
Mas hoje deu-me para isto fazer o quê?! Como já escrevi mais que uma vez sexo e BDSM nem sempre andam de mãos dadas mas a verdade é que quando se juntam é algo bastante intenso.
Nem que seja porque logo á partida existem poucos entraves ou limites entre ambas as partes, já para não falar que existe mais cumplicidade que nos casais normais vá ou fod@s ocasionais.
No mundo do FemDom sexo não é de todo o objetivo posso ate dizer que pelo simples facto de a maioria das Dommes se achar superior a qualquer submisso logo esse tipo de intimidade é simplesmente algo inatingível para um submisso .
Para não falar que para alguns até seria anti clímax, a sua Deusa ser vista como uma simples mulher com desejos carnais e banais.
Enfim já tive a oportunidade de falar com vários tipos de submissos alguns até nem sonham ser tocados no órgão genital por uma Dominadora.
Olha que bela chatice lolololololol.
Vá vou deixar de ser ruim, gostos e desejos não se discutem.
Mas se formos falar de dominação masculina na minha ótica parece que é quase implícito que haja sexo mas claro depende das práticas né?!
Além que pode nem existir um relacionamento D\s para que haja abertura para isso.
Isto não tem grande ciência ou fazemos sexo ou não, pode ser assumindo os papéis de Top\Bottom ou acabando a sessão optar por ter sexo convencional apenas para libertar a tesão acumulada .
Eu gosto de sexo, acho que já gostava mesmo antes de o fazer.
Mas a minha relação com o sexo sempre foi complicada pelo facto de ter sempre de envolver algo de masoquismo/sadismo mesmo que os parceiros não fossem praticantes.
Tive de esconder bastantes vezes os meus gostos e me adaptar para sentir prazer.
Porque o orgasmo não é para mim o mais importante, nunca foi e creio que nunca será.
Talvez seja assim para outros praticantes, não faço ideia.
Eu custa-me separar as águas e f@der por f@der é coisa super aborrecida lol dispenso, sou mais dada a maratonas e odeio perder tempo a aquecer motores pra rapidinhas.
Recentemente houve uma enchentes dos supostos dominadores da net lol como carinhosamente alguns chamam a quem se veio meter neste meio para caçar submissas a pensar que ia dar fod@s brutais sem a parte “chata” dos relacionamentos baunilha.
Topam-se a léguas pela péssima abordagem que têm, seja com Bottoms ou Tops.

Muitas mulheres também se meteram nisto á procura de um Grey, e deram se mal porque de romance isto tem pouco e acabou por deixar muita gente frustrada porque se meteram pelos motivos errados.
Uma coisa que me tira do sério é pessoas que não sabem ao que vêem sem minimamente se informarem onde se estão a meter.
Pois se não conseguem ser sinceras consigo mesmas como podem ser sinceras com os outros?!
É como quando alguém se intitula de Dom\Domme ou submisso\a e não o ser, começar não tem mal nenhum e todos temos que nos iniciar de alguma forma mas para mim demonstra falta de humildade se comparar com outras pessoas que o são genuinamente.
Atenção que não é o facto de estar ativo no meio ou frequentar espaços alusivos ou ter alguém que faz uma pessoa Top ou Bottom isso é conversa fiada.
Conheço pessoas que não praticam faz anos mas não deixam de ser como são, genuínos e sabem que independentemente dos anos que passem não mudam e vão ser sempre assim.

Mas pronto  amores depravados e kinkys isto hoje era para desmistificar o assunto sexo no bdsm …
Porque a modos que á conta das 50 sombras de grey os praticantes de Bdsm parecem uns fodilhões de primeira, obvio que nem todos são como eu né?!!!
Eheeheh tava no gozo.
Vá fiquem bem, portem-se mal um pontapé nas bolas aos machos e para as meninas lindas uns arranhões nas costas.

©MissesKat #69letras


Obtém 10% de desconto em todas as tuas encomendas! 69 novas formas de prazer!

Regista-te em www.aubaci/69letras

Sex Toys

Olá gente gira e depravada!

(Ou não, os não depravados também são bem-vindos aqui)

Hoje estou animada! Vou falar de coisas boas e divertidas que não são exclusivas à BDSM, já falei muitas vezes de brinquedos que uso e tal e coisa, mas hoje é uma compilação de brinquedos fixolas para usar e cuidados a ter etc. e tal… Continuar a lerSex Toys

Perguntas para a Kat

Oi malta gira cá estou de novo para a segunda parte das “perguntas para a Kat ” adorei poder responder a algumas questões colocadas por vocês, estava à espera de perguntas assim do arco da velha, mas até que todas foram pertinentes.
Para a próxima semana as #ConversasSemMordaças já voltam ao normal.
Mas espero que com estas perguntas e respostas os leitores fiquem a conhecer um pouco mais deste mundo que é o BDSM.

– Como mulher é fácil separar a Domme do roleplay para a vida real? Continuar a lerPerguntas para a Kat

Perguntas para a Kat

Oiiiii como vai isso gente depravada? Tudo em cima?!
Vá nem todos são depravados lol.
Pois é as conversas sem mordaças de hoje são um pouco diferentes, andei a recolher perguntas que me fizeram sobre BDSM ou sobre a minha pessoa.
Vou repartir em duas vezes este desafio que vos fiz das perguntas e respostas.
Algumas foram bem lixadas de responder, mas espero que gostem tanto desta troca de ideias como eu gostei de responder.

A Dominação Psicológica é interessante para si?

Claro que sim, a meu ver se não existir dominação psicológica não faria sentido nenhum ser praticante de BDSM.
Algo que todos temos em comum é o prazer que temos em ter poder ou ceder o poder a alguém.
Controlar e ser controlado.
Mas claro que tudo tem de ser feito dentro dos limites de cada um, dominação psicológica pode deixar marcas.
Ambas as partes têm de ter consciência que pode ter um efeito negativo, mas cabe a cada um saber lidar com isso da melhor forma.

Qual a sua prática favorita?

pahhhh são tantas resumir a uma tenho que pensar muito.
Talvez Tease and Denial ou CBT, a pessoa que me fez esta pergunta sabe o que são estas práticas.
Mas para quem não sabe cá fica um resumo:

Tease and Denial– É uma prática que consiste em deixar alguém num estado extremo de excitação sexual por um período longo de tempo, sem que se permita ter a satisfação de ter um orgasmo.
Nesta prática a Dominadora pode recorrer a um pouco de tudo para que a parte submissa mantenha a excitação ao máximo e tenha de se controlar muito para não se vir.
Como costumo dizer é uma “doce tortura”.
Além do Tease and Denial também se faz controlo de orgasmo, ou seja privar a pessoa de se masturbar ou ter relações mesmo estando longe, pode ser com dominação psicológica ou com uso de cintos de castidade como este 
Aqui

 

CBT- As siglas significam
Cock- Pénis, Balls- Testículos, T- Torture
Basicamente torturar bolinhas e paus lololol, de várias maneiras diferentes, pode ser com spanking, elásticos, pontapés, pisar, com electroestimulação, entre outras coisas divertidas.

 

O que distingue um/a dominador/a de um companheiro ou companheira possessiva e violenta?

Essa pergunta por acaso é muito boa.
Claro que existem vários tipos de relacionamentos dentro do BDSM, alguns com afecto e proximidade, outros nem por isso, são completamente o oposto e não há envolvimento afectivo nenhum.
A relação que se tem com um Dominador/a nada tem a ver com uma relação dita baunilha de casal onde uma das partes mostra comportamentos abusivos psicologicamente ou mesmo físicos.
À partida o que difere é a consensualidade, quando um homem ou mulher é praticante de BDSM sabe bem o que quer e o que não quer para si, pode até nem saber todos os seus limites mas a qualquer altura termina a relação que tem com a parte Dominante.
Alguém que tenha um companheiro abusivo vive preso/a numa relação tóxica e claramente não tem prazer com isso.
Enquanto um submisso/a pode sim ter uma relação com um Top que envolva violência e sentimento de posse sobre ele, mas tem prazer nisso, em servir, em pertencer, dar tudo de si.
O sofrimento trás prazer…Para mim é essa a diferença.
Claro que também existem relações 24/7 em que o Top além de ser Dominador/a também é marido ou namorado e pode sim confundir as situações e abusar do seu estatuto e quando por exemplo numa discussão de casal normal usa o seu poder sobre a pessoa no mau sentindo.
Esperemos que o discernimento de cada um prevaleça e que não queiram manter uma relação desse género, envolva BDSM ou não.

O que é uma dominatrix?
Uma Dominatrix é uma Domme profissional ou Tributada também chamadas de ProDomme, alguém que tem conhecimentos de todas as vertentes e práticas de BDSM, conhecimento prático e teórico e que é paga para fazer seja sessões ou espectáculos como por exemplo eventos alusivos a BDSM.
Como disse anteriormente de todas as Dommes serão as mais completas pois conhecem de tudo, claro que também têm práticas que não fazem, por vários motivos.
Já agora um pequeno reparo, quando o título de Dominatrix tem XXX no fim significa que nas sessões pode haver sexo com penetração.
Por acaso já tinha escrito sobre os diversos títulos que existem para Dominadoras, se quiseres
espreitar fica aqui o texto.
Tipos de Dommes
A moça da foto sou eu, só assim naquela lolol…

 

O que pensa sobre a castidade masculina e, enquanto Domme, que sentimentos ou sensações associa a esta prática? E se já tiver sido key holder de algum submisso pode partilhar alguns pormenores da história?

Hummm pois bem já me fizeram esta pergunta umas quantas vezes, apesar de gostar de Tease and Denial a parte de controlo com o uso de um CB ou cinto de castidade nunca me trouxe nenhuma satisfação.
É me um pouco indiferente saber que um submisso está condicionado estando longe de mim.
Sou uma pessoa muito física, não gosto de dominação virtual por exemplo.
Tudo o que seja longe e que não seja feito durante a sessão não me interessa muito.
Posso sim ordenar que um submisso não se masturbe alguns dias ou tenha relações sexuais durante X tempo.
Mas muito esporadicamente o faço.
Já me foi oferecida uma chave sim, mas declinei pois eu sabia que a pessoa em questão dificilmente me iria pertencer, então preferi recusar.

Voltarias a te submeter a alguém? Homem ou mulher?

Epahh e eu na esperança que não tivessem lido o texto em que falava do meu começo nestas andanças.
Essa resposta não é daquelas que está na ponta da língua, a mulheres eu sei que jamais o faria.
Não tenho perfil de submissa e dificilmente uma mulher tem paciência para insolência e mulheres igualmente dominantes lol, tendem a gostar de pessoas submissas mesmo e subserviente coisas que não sou eheheh.
Já um homem acaba por ter sempre aquela coisinha que diz: “Vá eu consigo domar esta fera.”
Não é fácil ter alguém compatível comigo nesse aspecto, naquela altura estava mais disponível a conhecer e passei por uma fase experimentalista, agora sei bem o que quero e principalmente o que não quero.
Tenho sim prazer com dor e nunca escondi isso mas quem sabe, se a pessoa certa aparecer.
A resposta é Nim.

Acha possível haver uma relação D/s num relacionamento “baunilha”??  Quando digo isto não é terem uma vida normal e depois de vez em quando fazem jogos ou sessões estou a falar viverem mesmo nessa condição.


Sim claro que é possível a isso se chama relacionamentos 24/7 pessoas que além de terem relacionamento DS têm também relacionamento  baunilha.
Podem começar primeiramente como DS e apaixonarem-se e depois trazem isso para o mundo baunilha ou começar como baunilha e ir apimentando as coisas até terem um relacionamento DS.
De ambas as formas deve ser divertido.

 

 

Bem 69´nrs espero que se tenham divertido esta é a primeira parte das perguntas feitas aqui á Kat para a semana tenho mais.
Uma lambidela enorme na orelha esquerda, ouvi dizer que são as melhores.
Até quarta, à próxima quarta.

©  #MissesKat #69letras