Arquivo da Categoria: A Vizinha

E não me digam que acreditam que só acontece aos outros?

A verdade é que não podemos viver sempre dentro da concha, dentro da nossa cabeça e do nosso coração, devemos abrir a janela e observar o horizonte, mas depois és contaminada com histórias de vida deste e daquele, com mil e uma coisas que acontecem a todo o instante. Do teu prédio à tua rua, do teu bairro à tua cidade, dos teus amigos aos familiares, juntam-se episódios e mais episódios que te fazem temer o amor ou estar apaixonada.

Detesto abrir a janela do meu mundo perfeito (ainda que só o aconteça dentro de mim) e ver a paisagem dos sonhos e confiança ser substituída por cores encobertas.

Por todo o lado, tanta coisa em comum: o desrespeito e o fim do amor. Continuar a lerE não me digam que acreditam que só acontece aos outros?

Que te direi na hora do adeus? Talvez um até já.

Enquanto dormes embalas os meus pensamentos com o teu respirar… perdem-se a antever a nossa despedida. Que te direi na hora do adeus? Talvez um até já.

Não me quero despedir de ti com lágrimas e emoção, dor e vontade que fiques como se fosse a última vez. Mas e se fosse? Não deveria eu querer que ele levasse tudo o que sinto com ele? Não quereria ouvir o que ele teria para me dizer? ( Calma drama queen, ele vai voltar). Continuar a lerQue te direi na hora do adeus? Talvez um até já.

Viver no teu abraço <3

Agora quero o agora.  Muitos até. 

 Impressionante como num gesto tão simples como enrolar o dedo nos meus cabelos cabe um sentimento secreto que de tão profundo pára o tempo para que te possa sentir no rodopio dos meus dedos. 

Continuar a lerAgora quero o agora.  Muitos até. 

És tão mas tão teimosa!

És tão mas tão teimosa!

Irrita-me essa tua nova versão que exibes com tanto orgulho e que simplesmente detesto. Tu só te enganas. Desde quando é que por detrás da tua doce voz esta um coração assim tão azedo? Onde é que nesses olhos de gatinha encaixa essa tua tentativa de seres cruel? Deixa-te de merdas. Essa não é quem és! Porra tu és empenho e dedicação, ternura e coração! A quem pensas que enganas ou a quem enganas? A mim não. Sei bem como sorris num abraço, como a beleza de um céu estrelado te faz chorar. Mulher no teu coração não está a pedra de gelo que tu afirmas agora ter.  Continuar a lerÉs tão mas tão teimosa!

Não és tão valente quanto pareces, tens medo… muito medo

Se calhar não és assim tão destemido ou livre com crês ser.
Do outro lado do vidro está a minha luz e tu não abres as janelas para eu te atravessar de uma vez… vou-te aquecendo a pele nas poucas vezes que levantas as persianas curioso por saber que de mais de mim pode vir. Mas depois tornas a baixar os estores deixando-me fora do teu alcance num fogo perdido e tu arrefecido e saudoso da beleza que reconheço em ti.
Faço-te sentir como te vejo, tal como és, e tu ora gostas disso ora não gostas.
Já te disse que só te quero gostar mal algum te farei.
Continuar a lerNão és tão valente quanto pareces, tens medo… muito medo

Ei! Estou-te a chamar… vens por a música a tocar?

Para onde foi a melodia deliciosa, a banda sonora dos meus dias?
Porque baixaste o volume? Podes aumentar? É que estava gostar de te escutar.

Continuar a lerEi! Estou-te a chamar… vens por a música a tocar?