Eu, tu e uma dúzia de gaivotas…

Deslizo os meus dedos macios pela tua pele eriçada, como que numa dança de cereais maduros nos longos campos livres da Califórnia do Sul, à mercê do vento e com sabor a maresia. Aprecio o teu tremor.  Demoro-me. Dedilho calmamente o teu[…]

Continue reading …

De Banguecoque com saudade

Sabes meu doce, acabo de chegar de Banguecoque. Não rias por favor, não me faças corar. Fui sozinho desta vez (Com quem mais poderia eu ter ido, senão sozinho…?).

Continue reading …

Não me tentes por favor….

Raios!!! … Raios!!! … RAIOS MULHER!!!! Porque teimas em sorrir assim para mim? Porque lanças esse teu charme carregado de pecado no olhar e pronuncias os teus mamilos quando chegas fresca pela manhã? Porque continuas[…]

Continue reading …

Eu juro que poderia ser feliz

Prometeram-me a felicidade, continuo sentado pacientemente à espera, numa espera sem esperança, como quem espera por quem invariavelmente não vem. Será a vida mesmo assim? Será a felicidade um momento e apenas isso? Um conjunto[…]

Continue reading …

Sinto-te minha, no silêncio da manhã

Quando cheguei, tu já la estavas. Na minha mesa, tudo estava perfeitamente alinhado como eu gosto. A agenda de hoje é extensa, os assuntos são delicados, complicados até, mas o teu empenho na organização do[…]

Continue reading …

Finjo…

Finjo não reparar, mas escondo em mim este anseio crepitante de te ter. Vivo como que numa ânsia encenada que me corroí as vísceras, e que me expõe sem apelo em chagas flamejantes nos planaltos perdidos de afrodisia. Estou num cárcere.[…]

Continue reading …

Estou farto de te falar em amor

Estou farto de te falar em amor, de beijos arrebatadores, do por do sol, de almas que se cruzam por aí em noites de nevoeiro e que se amam, que se entregam e que prometem invariavelmente[…]

Continue reading …