Todos os artigos de Marie69letras

I am, am I not? Marie

Ando fugida das letras… A rotina come-me os dias como se fossem smarties e as frestas são breves e o que sinto é tanto…. 

Na verdade sou uma mentirosa… Daquelas a sério, que acredita nas próprias mentiras como se fossem a salvação…. Mas não são…. E o resultado é uma menina perdida no mundo dos grandes…. Dos que dominam as emoções e fazem da comunicação uma verdadeira arte….

Porra… Não sabia nada, eu….

De que me vale arrancar folhas do calendário que nem uma louca, jorrando frases da treta…. De que me vale dizer em voz alta em frente ao espelho “que se foda o amor”, ” a mim já ninguém me chega ao coração” e sei lá que mais tenho escrito por aqui…. Tretas….

Cai-me na vida de pára quedas um gajo qualquer e faz de mim o que quer. 

Taus! Já foste!!

Agora deita-te em posição fetal e chama a mãezinha até que percebas e assumas que afinal és apenas mais uma Gaja, lixada com a vida porque o marido arranjou outra, à mercê de todos quantos te finjam afecto…. Carente que nem uma idiota…..

Aaah….. Foda-se.…..

Será?

Não…. Não é…..de facto não é e eu não sou essa…. Nunca fui, nem quando era menina perdida…. Seria agora por alma de quem? 

Não mendigo…. E se parece que o faço, é artimanha minha…. Quero inverter os papeis…. Tomar as rédeas… De ti…. E esta é a luta com que me tenho entretido…. Nas horas vagas, no tédio do fim de dia, sabes? É que na verdade és  apenas mais um…. Tu… Franzes o sobrolho quando eu quero…

Em pouco tempo mais um qualquer…. E eu andarei na minha vidinha… Na minha…. 

E é disto que eu gosto….

The game…..

E gosto apenas enquanto me diverte me distrai, me ocupa a mente das coisas que não dependem de mim…

Ainda sou eu a coisa que mais me importa.

Apenas isso…..

Por hoje… E sempre….

Ámen!

 

©  Marie 69Letras 06-03-2017

Aah…. os contos de fadas….

©  Marie 69Letras 01-03-2017

 

“Luta pelo teu conto de fadas.”

Mas não te ponhas em causa. Não o faças, se não estiveres preparado para correr mal. Luta, mas apenas até ao ponto em que achas que é possível. Não vás tão longe que acabes  magoado.

Os contos de fadas existem, mas os dramas também.

Deixa saber que amas, mas define os limites, os teus, deixa saber que sobrevives.

Ha pessoas que não lidam bem com as tuas lutas, pessoas que amas e por quem lutas. Pessoas que não se coíbem de usar essa tua fraqueza, e descartar….

Luta pelo TEU conto de fadas… Aquele em que tu brilhas e fazes magia…. Não lutes por uma merda qualquer que te pareça. Define. Resiste. Ergue-te para alem dos preconceitos…..

Luta, se for preciso, contra ti próprio, em tua defesa. Rejeita, vira costas, levanta-te.

Luta por ti. Pelos que te amam, pelos que lutam por ti.

A vida é breve. As coisas são simples.

Se é um conto de fadas, não tens que lutar por ele…

 

Foto JulieLaperrierre

Será pecado?

Texto Erotico/ M18

Quando saí  do meu carro, à porta de casa dele, senti as pernas fracas.  Aquele torpor em que já não estamos bem conscientes do que se está a passar. Já não me lembro dos passos, do toque, da escada, da porta… lembro-me do momento em que me tomaste nos braços. Em que me fizeste lutar pelo teu beijo, do momento mo deste, apertando-me com força contra ti, do arrepio que me atravessou.
Ficaste mais selvagem quando me passaste a mão pelo rabo e viste a menina obediente que sou… trouxe o plug como pediste… mereci outro beijo dessa tua boca faminta…

Por uma mão puxas-me para o espaço onde melhor nos conhecemos, onde nos tornamos selvagens escravos dos nossos instintos, onde vale tudo sem moderação. Despiste-me com urgência de me beber. No meio das minhas coxas húmidas sinto-te a fome com me vais devorar. A boca quente, língua sábia, e eu rendida, talvez me morda a cada orgasmo que me arrancas. Vale tudo. Nesse transe em que me pões, vale tudo… sinto a boca vazia, seguras-me pelo pescoço, com força, não… não te vou provar … ainda não. .. abres-me as pernas, queres entrar, fundo, louco, viril, quando me penetras sinto-me vir de novo… estou naquele ponto em que cada toque é muito intenso…  já não sei o que sinto… embriagada … de ti… o meu corpo não me reage, é teu… fazes de mim tudo o que queres. Tiras-me o plug, fico exposta.. este rabo agora é teu e tu começas a fodê-lo com um prazer que sinto crescer…. ponho os dedos do outro lado, quero sentir -te… mas desta vez um orgasmo bem visível. Encharco-te a cama… talvez cansado, deitas-te. Agora sou eu. A minha boca procura-te, lambo-te, chupo-te, quero tudo… sou gulosa .. ainda mais quando estou assim, fora de mim…somos selvagens e cada vez que estamos juntos o mundo pára à nossa volta….
Que loucura…
Ponho-me de quatro, puxo-te…. anda, quero mais desse caralho… deixas as mãos marcadas no meu rabo branco, fodes com força, sinto a carne trepidar…  quero que te venhas dentro de mim… mas não…. sabemos que não cumpri todas as ordens… quero o teu leitinho quente… dá -mo…. puxas-me pelos cabelos, perguntas por que não fiz o que mandaste…. não fiz, não explico… encosto a boca ao teu caralho…. quero tudo…. lambo-te o rabo, ponho um dedo, vais-te vir na minha cara, explode… dá -me tudo…. e quando vejo que te vens abocanho-te o caralho… céus!…. como adoro o teu sabor….
Suspiramos. Descansamos uns minutos e com uma frieza fingida resolvemos tomar um café. Um cigarro à janela. Atordoados pelo que somos juntos.
Saio.
Sento-me no carro sem pensar em nada.
Assoberbada. Ainda ausente numa dimensão qualquer extra terrestre.
Os dias passam mas os momentos vivem na memória.
Quero mais.

Marie #69Letras

Foram os botões de punho

Texto Erótico|M18

Quando te vi a primeira vez, a tua postura autoconfiante atraiu-me. Nas horas seguintes detive-me em cada detalhe teu. Cuidado ao pormenor. Perfeito. A tua voz doce. O teu cheiro inebriante. Os teus botões de punho. Coelhinhas playboy… uma mulher sabe que quando um homem se apresenta assim é porque gosta de dar prazer às mulheres. Isto sente-se. Talvez seja de mim. Talvez tenha um radar apurado pela experiência. A verdade é que cada vez que me deliciava olhando para ti, os mamilos acusavam mais do que o cérebro podia alcançar.
Trocamos número de telefone. Impulsiva como sou liguei-te nessa tarde. Como não? Não consigo deixar passar uma oportunidade. O prazer é uma coisa cara… no sentido de querida… no sentido de que é um vício muito doce… demasiado doce ..
Combinamos um encontro para me dares um papel. Sei lá agora que papel foi o pretexto… sei que quando chegaste no teu carro eu saí do meu e entrei no teu. Olhei-te nos olhos. Nesses teus olhos onde me afundo cada vez que me olhas… senti o corpo tremer.
“Tomamos café?” Perguntaste, sabendo bem que não era nada disso mas tateando a minha vontade.
“Café? Não. Quero-te a ti” …. saiu-me da boca para fora porque há sempre aquela hora que perco controlo de mim…
Um beijo longo. As nossas bocas tão certas como se se conhecessem há anos… o teu sabor… és feito de não sei quê que me transtorna completamente…. foi tudo rápido… tornou-se urgente… pegaste no carro em busca de um canto escondido… terra batida, cheiro a eucaliptos . Tarde quente ….
Retomaste-me inteira num outro beijo. Mãos de cruzado em busca dos mares que tinha para te dar… e tinha… e os teus dedos doces nesta minha carne acesa … perdi-me ali…
Deitaste o meu banco, no teu carro amplo. Olhando para mim abriste-me as pernas, como quem pede licença… e depois, sem mais avisos, a tua boca… meu deus a tua boca… senti-te fazendo amor com a minha cona, sentiste-a entregue às delícias que me fizeste… eu levitei, embebedada com a arte que tens em ti…. e eu pedi… “fode-me” “anda, fode-me toda” “quero o teu caralho duro nesta cona” … saí do carro, pernas fora, puxei a saia para cima, baixei as cuecas, vieste por trás. Agarraste a carne branca do meu rabo, com força, numa  estocada certeira senti-me atravessada de um orgasmo. O meu. O primeiro. O primeiro desse primeiro dia.
Não aguentaste a invasão escaldante dos meus fluidos rebeldes, inesperados e inesperadamente sinto-te explodir dentro de mim. O teu calor.
Como se o tremendo prazer não fosse suficiente para me deixar prostrada, ainda um abraço, um beijo doce. As tuas carícias antes de saires de mim…. e uma lágrima que me corre pela cara abaixo.
Momento perfeito. Imensamente perfeito, como se o sentido de tudo estivesse ali, nos nossos corpos suados.
Voltei a ver-te. Voltarei sempre.
Sem falar muito fizeste de mim tua.
Não sei quantas tuas existem, não me importa. Sei-te comigo quando me sei contigo e sei que nós os dois estamos ligados para além de tudo o que nos sobra.
E sei a profundidade desse teu olhar.

Marie #69Letras