Todos os artigos de Helder Briote

Batemos ás portas erradas

12321260_1677667165812347_6079987288469549584_n

“Vivemos anos de solidão, sem saber o que fazer ao seu coração, até ao dia em que descobrimos que o amor nos bate á porta de vez em quando, e que muitas vezes não estamos em casa por andarmos a bater às portas erradas…”

Texto adaptado e gentilmente cedido por nosso leitor
O Vizinho #69Letras

Ama-te com Paixão, apaixona-te pelo Amor!

“Está na hora de me apaixonar!”
Ouço e leio isto constantemente, no entanto acredito que não há hora nem momento ideal para apaixonar. A paixão não pode ser forçada, desejada nem exigida pois dessa forma ela não é natural nem sequer é vivida intensamente. A paixão é perda de sentidos, de razão, de total raciocínio lógico, onde opera o tesão e a vontade constante de estar com aquela pessoa sem olhar a meios ou vontades, só o querer muito importa!
“Será ele/ela a pessoa ideal ou certa para mim?”
Fazemos essa pergunta constantemente mas quase sempre sem obter resposta pois se não arriscar-mos nunca vamos saber, por isso vai, arrisca, deixa-te levar pelo momento e pela vontade de estar com aquela pessoa! Nunca se sabe se no final dessa aventura, dessa vontade e desse tesão não está o Amor da nossa vida!
E percebam, Paixão não é Amor!

Ama-te com Paixão, apaixona-te pelo Amor!

O Vizinho #69Letras

Chuva de Novembro

12928390_1679982502247480_2385643046480294376_n

A chuva caía miudinha naquela noite de Novembro, a rua estava deserta e Sofia embrulhada no meu braço esquerdo. Ainda nos dói a barriga de tanto rir pois a noite no Bar do Lipe foi de relaxe e descontracção total…
Ainda enebriados pela animação constante da noite e dos gins bebidos, nem demos conta que a chuva aumentou! Ainda nos aventuramos a dar mais alguns passos mas a chuva insistiu em ficar intensa obrigando-nos a abrigarmo-nos na entrada daquele prédio rosa! Só até acalmar um pouco! Aconchegaste-te em mim, como que a procurar um pouco de calor!
E foi calor que te dei! É impossível resistir ao teu cheiro, ao toque da tua pele. Nossos lábios se tocam, nossas línguas se enrolam… Tua boca é uma autêntica bomba de prazer, quente e doce, suave e desejável… Este primeiro beijo durou tanto tempo que ficamos ofegantes e a olhar um para outro como quem diz “que é isto? Eu quero isto? Que coisa boa! Quero mais!” Não perdemos tempo e estou de volta aos teus braços.
Aconchego-te mais a mim, e ambos sentimos o desejo que nos consome no momento! No meio de um beijo dizes-me ofegante, “Quero-te, agora! “, e percorres-me o tronco por baixo da camisa com as tuas mãos suaves, sentindo o meu arrepio às tuas palavras! Com a minha mão subo-te o vestido meio húmido, e sinto a tua coxa macia enquanto te levanto a perna, chegando-te a mim! Ai o teu gemido ao sentires-me duro e cheio de vontade de ti!
Sento-me na escadaria, abrindo os botões das calças, e tu, com as tuas mãos delicadas libertas o meu membro já duro e erecto, descendo suavemente o teu corpo no meu… Desvio ligeiramente a tua cueca para o lado, permitindo que tu te sentes no meu tesão… Hum.. Adoro a tua cavalgada…
A mistura do calor do nosso desejo com o som da chuva a cair, e o perigo eminente de sermos descobertos aumenta-nos a vontade um do outro! Estás tão molhada, tão quente!!! Enquanto as minhas mãos no teu quadril dão intensidade á tua cavalgada, mordes o lábio e gemes ao mesmo tempo! Levas as minhas mãos ao teu peito e fazes-me agarrar-te firmemente o peito, nos teus mamilos pouso os meus lábios e a minha língua! Gemes deixando a cabeça cair para trás! Humm!
A chuva cai, aumentando de intensidade ao ritmo do nosso prazer, nossos corpos alimentam-se desta dança húmida e sedutora! Como és deliciosa e viciante!
Olhas-me intensamente e nesse momento sei que o teu clímax está eminente! Libertamos em uníssono os nossos gemidos orgásmicos, quentes e ruidosos! Foda-se! Tão bom!!
Abraças-me e deitas tua cabeça no meu ombro, ficando assim uns largos minutos…
Enquanto recuperamos a respiração a chuva acalma, e compomo-nos um ao outro! Aproveito para mais uma vez sentir a tua coxa macia, e tu olhas-me de soslaio por cima dos óculos esboçando um sorriso maroto!
Encaminhamo-nos até casa!
Hoje a chuva cai miudinha, alguns Novembros depois a rua está deserta, passo pelo prédio rosa e revejo o sorriso maroto de Sofia!
Aiii esse sorriso mata-me!!!

O Vizinho #69Letras

Da minha poltrona…

12924391_1681156785463385_924767221066534054_n

Confortavelmente sentado na minha poltrona, onde muitos corpos foram possuído e tomados pelo tesão, aprecio as minhas musas divinas, deliciosas e famintas… Seus corpos semi-nus, enrolados e entre si encaixados, na cama grande e redonda, as duas belezas do meu libido se beijam apaixonadamente. Gemidos, arfos e olhares intensos tomam posse deste ninho de ninfas gulosas e tesudas.
Chamam por mim mas eu quero apreciar o espectáculo, assistir ao desenrolar da cena quente e deliciosa pois adoro a forma como se beijam, se acariciam, se tomam uma na outra como não houvesse amanhã. Seus gemidos aumentam de intensidade, suas mãos percorrem com mais fulgor e vontade seus corpos, seus dedos desaparecem dentro de suas coxas, seus lábios são gulosos e sedentos do néctar intimo e quente…
Sou puxado pela gravata até à borda da cama e sem perder a compostura ordeno que me dispam, devagar e com sensualidade!
Foda-se! Que desejo e vontade de me perder no meio delas!
Enquanto sou beijado nos lábios por Gisela, meu corpo é percorrido pela boca sedenta de Joana, desde o pescoço até à pélvis, onde depressa suas mãos encontram meu membro já pronto e erecto. Meu corpo sucumbe às suas bocas doces e húmidas… Não aguento!
Tomo Joana pela cintura e de frente para mim, olhos Negros nos olhos Azuis, afasto suas pernas e mergulho neste abismo de prazer e perdição… Gisela senta-se na cara de Joana, de frente para mim, enquanto me beija acaricia o clitóris da sua bela companheira deixando seus peitos à mercê das minhas mãos…. Como é envolvente e saboroso este enredo!!
Levanto Joana, virando-lhe de costas, penetrando com todo a força e vontade, castigando suas nádegas com a palma das minhas mãos… Gisela se deita em frente de Joana, permitindo assim que ela continue o seu manjar de doce pérolas, deixando-me com uma visão soberba!
Num vai e vem ritmado, Joana geme, e eu mantenho a pegada sem diminuir o ritmo, deixando Joana levar-se num orgasmo barulhento e desassossegado! “Agora é a tua vez” digo a Gisela.
De olhar voraz e sentido apurado deito-me, deixando-a se sentar em mim, cavalgando intensamente e desesperadamente!! “Ai, tão bom meu querido! Anda, vem-te comigo! Agora!” Em uníssono nossos orgasmos se encontram sobre o olhar cansado e satisfeito de Joana…
Duas ninfas se abraçam na cama redonda, enquanto eu volto para a minha poltrona, de onde aprecio seus corpos suados e pecaminosos…

O Vizinho ‪#‎69Letras‬