ESTAR-SE ENTRE…

Poema Erótico | M18 🔞

De perto e de longe

entre os espaços deixados por entre os sons do bater das ondas

entre o lamber da areia levemente salgada

talvez até agridoce

como a tua pele

entre pensamentos nús

estavam dois grãos entre uma multidão imensurável

de outros tantos formando aquela areia

esse chão movediço que afaga os pés

que nela se afundam ao nosso andar

naquele passeio

que aconteceu na realidade, do passado

que acontece no agora, do imaginário

 

dois grãos de areia,

pesados na vida, leves no querer viver

chocaram e abraçaram-se

sem braços, unidos pela vontade,

pela força do desejo,

sentiram-se

 

dois seres,

por fora pareciam pedra,

por dentro carne que fraquejou,

redondos, mas cheios de angulosidades

partilharam memórias,  estados e sentimentos

riram e sucumbiram…

abandonaram-se

à volúpia que transcendeu

por entre o dormitar do sol e o acordar da lua,

ofertando-se e dando liberdade

de se tocarem,

de se saborearem

de se sentirem fundo no desconhecido.

 

mãos comandadas pelo pensamento,

que não pensa mas mais age,

querendo e procurando os eflúvios da correnteza,

elétrica, do rio húmido que corre entre…

que corre devagar no galope do arrepio,

abandono…

ao esquecimento do ser-se, para se ser,

outro e outra,

um e dois, dois em um…

sentiram-se fundidos, por vezes

 

seios turgidos,

mamilos enrugados,

preocupados

por querem sentir mais,

rígidos

como o que a tua mão sentiu

quando abocanhou aquilo que os teus dedos abraçaram,

com força, vontade e carinho quente

fecharam, moveram, acariciaram

meus dedos, irrequietos também, adentraram

perderam-se no teu abismo interior

cálido e escorregadio

como aqueles beijos que se soltavam,

armas nessa guerra a dois,

arremessados sem pudor

procurando calar aqueles pequenos gemidos

que de ti arranquei a cada investida tímida

entrando antes de sair, para sentir mais ao entrar de novo

estremecimentos

vontades

sentidos

gosto…

 

…dois grãos de areia,

rolando no sonho de um crepúsculo

querendo ser gente

e voar com o vento do momento

o vento que esculpe o desejo,

grão a grão

roliços

para melhor poder caminhar

rolando,

nos trilhos agudos da vida

Do teu e do meu mundo.

 

Estar-se entre…

 

© Rei de Espadas
Intemporal, algures em 2017

 

Deixar uma resposta