Aqui deitada…

ūüĒěūüĒě

Estoudeitada, nua. Olho para o tecto e recordo o calor que j√° n√£o sinto no corpo, o toque de seda que faz da minha pele divindade, os beijos… Ai os beijos…

Imposs√≠vel n√£o desejar que te voltes a encaixar em mim qual pe√ßa que me falta para atingir o Nirvana, imposs√≠vel n√£o sentir a falta do que ia sendo meu, do que guardo como meu…

Del√≠cia, a forma como completas as minhas fantasias, como as transp√Ķes para a realidade em forma de electricidade que atravessa o corpo no instante em que me possuis, olhando-me nos olhos s√≥ para me ver cair no abismo do prazer… √Čs viciante, √©s naturalmente saboroso e esse objecto que usas como varinha para me prender em hipnose, fazendo de mim deusa do sexo…

Hum, que deleite √© sabore√°-lo, que perdi√ß√£o √© sugar-te o ju√≠zo e ver-te render, deixar-te pendurado no abismo, deixar-te respirar e montar-te, prender-te no meio das minhas coxas e levar-te a galope para perto de onde os deuses se baqueteiam…

Imposs√≠vel n√£o ansiar mais uma vez, imposs√≠vel n√£o penar esta aus√™ncia… E ficar aqui, deitada, nua, olhando o tecto…

VickyM #69letras

Sigam-me também na minha página pessoal: Place your feelings

Deixar uma resposta