M18 | Visita de médico | Por: Deusa Isthar

 

 

Acordei a pensar que estavas a bater à minha porta e que a tua visita de médico ia começar. Fui tomar banho e juntaste-te a mim e começaste a passar-me a esponja cheia de espuma por todo o meu corpo enquanto beijavas minha boca exigindo paixão, entrega, tesão… Depois, ajudaste a tirar toda a espuma do meu corpo apenas com as mãos, fazendo paragens estratégicas nos meus seios duros e nos meus biquinhos já entesoados com tanta vontade de te sentir. Sem deixares de me beijar, desces a tua mão direita para o meu clitóris e começas uma pequena massagem dedal que me leva logo ao rubro…contorço-me toda com aquela sensação louca de prazer e tu não páras. Desces, sobes, Desces, sobes, e entras sorrateiramente dentro de mim.

 

Solto um gemido alto e peço que não pares e assim o fazes. Delicias-te nos meus seios com a boca e a língua, trincas, Lambes, chupas e com a mão alimentas a minha fome. De repente… páras!!!! Pegas no frasco de óleo corporal e começas a passar por todo o meu corpo ainda molhado. Deslizas as duas mãos pelas costas, pelos seios brilhantes, massageais o meu ventre, Desces afoito para a minha vulva e ao mesmo tempo para o meu buraquinho de trás onde continuas a massagear delicadamente ao mesmo tempo em que com a outra mão exploras o meu clitóris. Não aguento mais de tesão, gemo, grito teu nome alto, agarro-me a ti delirante e imploro-te que me faças tua. – Aqui?!?! – Perguntas tu, com aquela cara de quem sabe exactamente qual vai ser a resposta. – Sim, aqui. Já. Não aguento mais. Mal me deixas acabar de falar e penetras-me até ao fundo com o teu sexo já duro e movimentas-te naquela velocidade rápida e certeira, que sabes que vai-me fazer vir tão depressa quanto o nosso desejo e fome o permitir. Estocadas fortes, profundas, delirantes e que me fazem explodir em poucos minutos e gritar teu nome. Deixas-te estar mais um pouco dentro de mim, estamos abraçados e dás-me aquele beijo demorado que tanto mexe comigo. Depois, juntos, saímos do banho e vamos para a cama, onde nos deitamos para descansar um pouco, mas tuas mãos brincam de passear pelo meu corpo, deslizam por todos os pedacinhos de mim e logo começam a despertar sensações quentes. Sabes que o meu corpo não te resiste. Os gemidos já saiem baixinhos a suplicar que não pares. Que sigas por esses caminhos que tão bem já conheces. De repente páras. Olho-te com surpresa, mas logo percebo porquê. Teu sexo já está duro outra vez, afinal não sou só eu que desperto com tuas carícias. Como te dedicaste tão completamente ao meu prazer à pouco, agora sou eu quem o faz, mas não sem te deixar ocupado. Coloco-me naquela posição que tanto gosto, tu dedicado a minha cona e eu ao teu pau. Sou directa naquilo que quero e naquilo que gosto. Abocanho-o sem reservas e delicio-me lambendo, chupando, sugando sem parar. Sabe tão bem senti-lo duro dentro de mim, sabe também, deliciosamente bem, sentir a tua língua invadir o meu espaço interno, sentir meu corpo tremer ao toque quente da tua língua que mexe e remexe e volta a mexer sem parar. Já estou molhada e não tarda nada, vou explodir em mil pedaços quando juntos alcançarmos o orgasmo. Não demora muito, porque sabes exactamente o que gosto e o que me faz vir. E tu, igual. Está quase…quase… intensifico a velocidade de subida e descida da minha boca sobre ele, chupo e sugo com aquela vontade de te fazer explodir… – Não aguento mais. – dizes tu… – Não é para aguentares. Vem-te para mim. Vem!!! Agora!!!!! E juntos alcançamos o culminar das nossas forças e explodimos juntos, todo este prazer contido. Sorvo cada pedacinho do teu líquido, e tu a veres, e tu delicias-te com o meu. Exaustos deixamos-mos cair um nos braços do outro e adormecemos.”

 

A tua visita de médico foi deliciosa. Deixaste meu corpo alimentado e saciado. Minha energia foi reposta. Meu estado de espírito foi renovado. Eu…eu sinto-me perfeitamente pronta para outra. Vamos?????

 

© Deusa Isthar

10Ago2017

Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de agosto – Código do Autor. A autora autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, desde que mantido no seu formato original, e seja obrigatoriamente mencionada a autoria do mesmo.

Deixar uma resposta