Vem, deixa-me sonhar

Vem sem demoras, bem sei que tudo não passa de um sonho quando vejo os nossos corpos nus a dançarem livres pelas ruas nas noites chuvosas de Dezembro.
Não hesites, não te retraias, deixa a minha imaginação fluir enquanto que sinto os teus lábios quentes a morderem-me a pele sequiosos de prazer.
Deixa-me sonhar.
Deixa-me alimentar-me no teu corpo, beber nos teus mamilos em chama, perder a razão nos teus sinais, vaguear sem sentido pelos teus ais e mostrar-te os caminhos sinuosos do prazer.
Deixa-me beber em cada um dos teus orgasmos como se fosse o ultimo, sentar-me e assistir à dança provocadora da tua língua no meu corpo e mergulhar na doçura imensa desse teu olhar azul celeste.
Vem sem demoras, bem sei o quanto tudo isto parece inventado, imaginado, inexistente até,  quando teimosamente, com esse olhar carinhoso de mel me chamas de “amor”, ou quando de mãos dadas passeamos livremente pelos jardins encantados da vida, ou ainda quando abraçados choramos as mesmas lágrimas de sal abraçados ao por do sol.
Sabes querida, a verdade é que sinto cada um dos teus suspiros, cada um dos teus ais, cada uma das tuas preces que me incendeiam o corpo quando ousas passar por perto. 
Sabes querida,… vem….. desejo-te….
vamos fazer amor na areia ainda quente de uma praia de céu iluminado e sentir a alegria das estrelas quando os nossos corpos se entrelaçarem e jorrarmos juntos o orgasmo de uma vida.
Vem querida, deixa-me misturar os meus beijos nos teus.
#pSassetti 

Deixar uma resposta