Nós também gostamos disso…

“Tarado!”

Ultimamente só recebo elogios destes. Sim elogios, leste bem pois eu considero que quando o fazem é sempre com um sorriso safado nos lábios. E confesso que me aproximo muito desse registo de safadeza mas sempre com a subtileza que me é característica.

E tu, Mulher, Tu gostas disso, não é? Tu, mulher madura e segura das tuas decisões, deusa de vontades e musa de desejos. Sabes, entendo que não queiras uma pessoa de baixo autoestima, que te olhe como um bicho-de-sete-cabeças, alguém que não sabe quando estás triste ou mesmo com vontade e desejo sexual, entendo que queiras ser apreciada com delicadeza e glamour como um prato gourmet daqueles servidos nos restaurantes de Estrelas Michelin, mas ao mesmo tempo queres ser devorada com toda a vontade e de forma voraz como quem come um naco de entrecosto com as mãos.
Entendo que te queiras sentir amada, bem cuidada e compreendida, queres ouvir um “Bom dia Princesa” pela manhã, um “Amo-te” ao almoço e um “És tão linda” ao deitar (não necessariamente nesta ordem cronológica), entendo que tens dias em que só te apetece ficar no sofá enrolada no teu homem, como de repente o seu simples respirar te incomoda, entendo que nem sempre te apetece sair de casa como de repente já só queres sair com as tuas amigas. Eu entendo isso tudo, assim como a maioria dos homens, mas (há sempre o mas) nós também gostamos disso.
Man have feelings.
E não somos todos farinha do mesmo saco, nem temos todos os mesmos gostos.

E que tem a minha taradice a ver com isto tudo? Tem tudo e nada!

Tu que me vês como um homem desejável, sempre com apetites vorazes e vontades teimosas, tenho os meus momentos de desejo como de repente bate aqui aquela vontade de me sentir abraçado e mimado. Também gosto de sentir a reciprocidade nas palavras e nos gestos da mulher quando eu a provoco, e como gosto de ficar a olhar nos olhos a ouvir o que ela tem para me dizer, ou simplesmente ficar ali no silêncio dos nossos sorrisos.

A cada dia que passa tenho mais dificuldade em encontrar alguém com quem consiga baixar as defesas e ser todo este ser de meiguice e carinho, de desejo amoroso e carnal ao mesmo tempo.
“Tens que confiar”.
Tenho, eu sei, mas não encontro aquelas mulheres autênticas, aquelas de verdade com quem eu me entregaria sem receio… e sabem porquê que não encontro? Porque essas mulheres andam como eu, receosas e escondidas daqueles que se aproveitam da boa vontade e do bom coração, daqueles chupadores de amor, cheios de egoísmo e narcisismo, sedentos por atenção e de baixo autoestima. É desses que fogem, não é? Assim como as mulheres, eu fujo das pessoas dessa “categoria” mas lá pelo meio aparecem umas lobas disfarçadas de cordeiros que me vão deixando ainda mais de alerta. Amar é cada vez mais um ato de coragem e não tão natural como deveria ser. A falta de Amor provoca um efeito bola de neve e arrasta-nos cada vez mais para baixo, deixando-nos desmotivados e sem forças para nos erguer, e é por isso mesmo que temos que tomar a decisão correta com a pessoa certa, seja ela abrir nosso coração e aceitar essa pessoa ou então saber dizer não para não continuar a sofrer e a tratar mal o nosso intimo… se correr mal só temos que ter a coragem e força para levantar, guardar a experiência adquirida e começar de novo, entregando-nos à pessoa que estiver connosco.

© O Vizinho 2017 @69letras

Deixar uma resposta