Wax Play

󾬥 󾬥  Texto Erótico|M18 󾬥 󾬥
Manter uma chama viva numa relação às vezes torna-se difícil, mas não impossível.
Posso dizer que nestes anos que estamos juntos a nossa imaginação foi para além do que qualquer um de nós pensava.
Cometemos tantas loucuras saudáveis, que parecíamos e ainda parecemos dois teenagers à descoberta um do outro.
Depois daquela experiência louca com o ovo vibratório, resolvi dar-lhe outra noite diferente.
Desta vez seria eu a comandar e iria experimentar as velas, Wax Play

Liguei-lhe a perguntar a que horas chegava. Respondeu que iria chegar um pouco tarde que o habitual.
Fiz-me um pouco triste, mas estava adorar que assim fosse. assim teria tempo para preparar tudo, como já tinha imaginado.
Comecei pelo quarto. Coloquei lençóis de seda preto, espalhei pétalas de rosas pela cama e chão e deixei velas com aroma maçã verde e canela.
Fui-me dedicar ao jantar. De entrada fiz espetadas de Uvas com nozes, queijo e mel e camarão grelhado. Para o prato principal Frango com Champanhe acompanhado de Vinho Frisante e para sobremesa morangos com chocolate.
Deixei tudo pronto, olhei para para o relógio estava quase a chegar.
Fui tomar banho e vestir o meu fato da noite, Vestido cabedal curto, justo e costas abertas, meia de liga de renda, sapato de agulha. Vesti o robe por cima para não estragar a surpresa.
Ah!! já me ia esquecendo da trela.
Aguardei ansiosa deitada no sofá a fingir que via TV,  a chegada dele. Mal ouvi as chaves à porta, resolvi ir ter com ele a porta e recebe-lo.
– De robe?? Não esperaste por mim? -Olhou intrigado.
– Vai tomar um duche e veste o que deixei na casa de banho. -Respondi-lhe com um ar malicioso e safado.
-Que andas aprontar???? Esse teu ar lascivo… Hummm.
Esperei-o regressar com o calção de cabedal preto com suspensórios. Olhou-me como a perguntar o que era aquilo.
-Logo verás!! – Disse-lhe.
Com ar de desafio e mandona, mandei-o trazer as iguarias para a mesa. Ia refilar, quando…
– Nem uma palavra!! Só quando eu disser. Agora vai buscar as iguarias que estão na banca da cozinha, e vem jantar.
O jantar decorreu com olhares provocadores, mãos apalpar terreno e aumentar desejos.
Chegou altura da sobremesa, pedi-lhe para irmos para a sala, já tinha preparado o espaço com almofadas e uma coberta seda. Coloquei a colectânea de Gary Moore, que adoramos.
Ele trouxe os morangos e o chocolate, para minha surpresa atrás das costas uma garrafa champanhe. Viu o meu olhar de surpresa.
– Pode não ser todos os dias, mas lembro-me sempre da minha Rainha.
Óbvio que a minha imaginação começou a fervilhar. Peguei na trela e selei-a na coleira que trazia.
– Põe-te de 4!! Já! Se queres sobremesa.
Obedeceu! – Peguei nos morangos embebi-os no chocolate e comecei a deixar rasto pelo meu corpo. Lambuzei os lábios dele, forcei-o a comer e obriguei-o a lamber o rasto que tinha deixado, mas bem devagar…
Acendi as velas e deixei derramar a cera em pontos específicos das costas dele.
Ouvi-o gemer.
– Já sabes o que tens de fazer!! Dá-me prazer!!
Sentir aquela língua a subir pelas minhas pernas, atingir os alvos. Ver aquele olhar voraz de desejo. Não podia deixar que atingisse o objectivo. Fazia cair mais pingos de cera, fazendo-o gemer e retrair-se.
Mas isso não o demovia e provocava-me ainda mais. Eu lutava para que não notasse a minha vontade.
Quando me sentia atingir o orgasmo, puxava a rédea e continuava a torturá-lo com os pingos de cera, no peito, no membro que tinha deixado a descoberto.
A brincadeira durou até o meu corpo involuntariamente entrar em espasmo convulsivos e largar um gemido como se tivesse a uivar.
Ia castiga-lo, mas fui surpreendida por ele.
Saltou-me em cima como se fosse um animal atacar-me.
Envolveu-me entre beijos e mordidas nos bicos dos seios.Prendeu-me as mãos e libertou-se da trela.
Senti o membro dele bem rijo de encontro à minha c@na.
– Lamento minha Dona. Mas o desejo é superior a qualquer obediência. Amanhã serei seu escravo o dia todo. Deixai-me deliciar neste mar de odores, que me põe louco.
Fui fraca. Não consegui resistir ao olhar suplicante do meu cachorro. Desta vez cedi.
– Só desta vez. Nem penses fazer brincadeira igual.- Disse-lhe.
Perdemos-nos na escuridão da noite até ao raiar do dia..
©Lola 2017 #69Letras

Deixar uma resposta