Sessão de Cinema

TEXTO ERÓTICO| M18A  󾬥 󾬥  󾬥 󾬥  󾬥 󾬥
Ultima sessão, apeteceu-me ir ao cinema sozinha.
Ultima fila para poder ter a perspectiva toda da sala.
Meia dúzia de pessoas para ir ver um filme erótico-romântico.
As luzes diminuíram… e senti um casal sentar-se ao meu lado.
Pensei..,- Fogo queria estar só!!
O filme começou.

As cenas de sedução, as caricias faziam vibrar qualquer espectador da sala.
Mas o que a mim me fez vibrar e ficar em estado de alerta foi a mão do homem do casal que estava ao meu lado.
Para não ser muito indelicada, olhei para ele e com a minha mão retirei a dele da minha perna.
Fiquei alarmada, porque nunca tinha experimentado tal situação, o meu coração disparou a mil.
Ele voltou a insistir, ia barafustar mas, quando olhei ela estava a sorrir com olhar malicioso para mim e ao mesmo tempo ele silenciou-me com um beijo.
Senti-me a ferver toda por dentro, mas não era de raiva, mas sim de excitação.
Recuei.
Naquela escuridão da sala olhei para o casal, indignada, excitada. Ia-me levantar para mudar de lugar senti duas mãos agarrar a minha. Eram eles.
– Podem me deixar sossegada a ver o filme ou chamo o segurança? – Retorqui.
– Não vá! Queríamos lhe pedir um favor e de certeza que irá gostar. – Afirmou ela.
– Duvido!
Regressei ao meu lugar e explicaram-me que gostavam de assistir a este género de filmes e procurar fosse homem ou mulher para satisfazerem as suas fetiches.
Não fiquei admirada, pois eu também tinha fetiches de ter uma aventura na sala de cinema.
Fiquei por alguns minutos pensativa a pensar na proposta deles e acabei por aceitar.
Que se lixe!
Quase que não dava para verem o meu rosto, não me conheciam de lado nenhum e provavelmente nunca mais nos iríamos cruzar.
Tentei relaxar, mas os nervos e a excitação ultrapassava tudo. Ele apercebeu-se e voltou a beijar-me, só que desta vez, senti as suas mãos percorrer o meu corpo.
Medir cada centímetro dele, abriu-me as pernas e senti as suas mãos bem no centro. Pulei mas ele intensificou o beijo.
Já estava encharcada e isso deu-lhe mais t@são. Retirou a mão e conduziu-a até à boca da mulher e vi-a a saborear a minha essência e ele juntou-se aquela dança na boca dela.
Cada vez estava mais excitada, quase em ponto de ruptura.
Reparei que ele começou a masturbar a mulher dele e voltou a deslizar a mão para o meio das minhas pernas.
Ele fazia em sintonia o circulo dos dedos, arrancando gemidos das duas.
Mordia-me toda para não gritar, pois era a vontade que tinha de tanta excitação.
Atingimos em simultâneo o orgasmo e ele deu-nos a provar o mel de cada uma.
Trocou de lugar com a mulher. Ela sentou-se ao meu lado e segredou-me para eu saborear melhor o seu mel.
Agachei-me entre os bancos e senti aquele odor adocicado de quando estamos no ponto.
Passei a minha língua naquele orifício perfeito, o sabor despertou o animal em mim. Lambuzei a minha boca toda nela, até ouvi-la de novo a gemer. Sentir aquele doce na boca, descontrolou-me.
Levantei-me e beijei-a sofregamente. Ela não se fez de rogada e retribuiu o beijo.
Não foi preciso lhe pedir pois ela baixou-se logo e retribuiu-me o prazer que lhe tinha dado.
O meu corpo tinha entrado em erupção, já não aguentava mais. Dei-lhe todo a minha essência naquela boca gulosa.
O marido estava deliciado com a visão que estava a ter.
Ela perguntou-me se não queria sair dali e ir a casa deles. Não resisti, pois o meu corpo impelia-me a mais.
Queria soltar este fogo que tinha.
Saímos a meio da sessão e fomos para casa deles.
Ela foi comigo no banco de trás atiçar-me e provocá-lo.
Mal chegamos ao elevador, fui atacada pelos dois. Perdi-me por completo nessa noite.
Acordei nua, no meio deles.
Sei que aquela sessão de cinema foi a primeira de muitas..
©Lola 2017 #69Letras

Deixar uma resposta