Perdidos no tempo…

Hoje não quero perder tempo, quero que o tempo se perca em mim, em ti, em nós…
Hoje quero-te assim, sem limites, nem de tempo…
Todos os limites se encontram na mente, acorrentam-te a alma mas libertam-te, nunca será acorrentando o demónio que o vai tornar inofensivo, pelo contrário, vai acabar por o espicaçar, atiçar e deixar-lhe os desejos à flor da pele acabando por não resistir.
Nessa dança de sentidos entre o bem e o mal, entre tudo o que está mais à vista e o oculto, passo cada segundo a tentar degustar ao pormenor o cheiro da tua pele, a sentir cada poro que transpira a sensualidade inerente de quem se deseja e para quem o toque é o expoente máximo do sentir, e a tentar explorar cada caminho que carregas, cada cicatriz que te marca o corpo e que vou conseguindo suavizar lentamente.
E sem limites me perco, entre o teu corpo e o meu, em línguas entrelaçadas e sôfregas num beijo sem tempo, e o teu olhar tímido mas incendiário, que me derrete a alma quanto mais penetra no meu íntimo, despindo-a, e me faz acreditar que talvez afinal ainda haja tempo.
Deixo-me guiar pelas tuas mãos que adoro, que me agarram como que desde sempre te pertencesse, não com sentido de posse mas como se o lugar delas fosse aqui onde encontram conforto, e que serpenteiam em cada recanto agigantando as vontades e tornando o amor tão urgente.
É nesse momento, em que nos permitimos voar, que tudo passa a fazer sentido, todas as cores e sabores, todos os gestos e aromas se misturam numa amálgama de prazer infindável onde milímetro a milímetro nos tornamos um e os corpos e almas se fundem sem limites até ao almejado êxtase que nos deixa exaustos e trémulos, tamanha é a sua intensidade, e adormecemos assim, entrelaçados e perdidos no tempo porque hoje também ele se perdeu em nós.

© Miss Kitty 2017 #69Letras

Deixar uma resposta