Dona das minhas vontades.

É no toque suave dos teus lábios que a minha loucura acorda, é neles que sinto a lamina de gelo que me trespassa a barriga e que se aloja no meu coração em chama, derretendo de uma só vez a sua carência, precipitando todo o meu corpo num abismo de vontades.
É no toque da tua pele que me sinto vivo, é nela que sinto o meu sangue a correr sem vagar pelas minhas veias dilatadas pela vontade, é nela que me sinto livre, tão livre quanto as águas bravas de Dane Jackson na longínqua Vera Cruz.
É no teu ventre que sinto a mansidão dos teus afectos e é com a cabeça repousada sobre ele que sinto os teus dedos a acariciarem os meus cabelos, deixando-me me sem guarda à tua mercê.
Fazes-me teu, sabes-me teu quando precipitas os teus seios sobre mim, ou quando me mostras o mar revolto do teu desejo que guardas neles e que teimas em despertar na minha presença.
Abusas de mim, fazes-me provar do teu sabor guiando-me ao sabor das tuas vontades, por entre os teus cabelos longos que teimam em tapar-te os seios e as tuas pernas contorcidas de tesão.
Bebo de ti, provo do mel que escorre pela tua vulva latejante, sinto-te minha, nesta entrega em que há muito já sou teu.
És a dona das minhas vontades.
#PSassetti
#69Letras
06.07.2017

Deixar uma resposta