Atenção! Não ler na diagonal!

Não é novidade que vivemos num mundo onde a opinião e a crítica são gratuitas. Não é novidade que hoje em dia e por força dos meios de comunicação e das redes sociais todos têm uma opinião formada sobre tudo, por mais ignorantes que sejam nesta ou naquela matéria. Também não é novo o facto de que ser diferente ainda choca uma gente tão aberta a toda a informação que a sociedade global tem para oferecer, ainda que filtrada pelos velhos preconceitos, pelos velhos estigmas sem sentido…

Confesso que eu própria me abstive de escrever este texto durante um tempo para não destilar veneno desnecessário…
Mas enfim, tinha que ser…

Para alguns o lugar da mulher ainda é no lar e dar-lhe espaço significa aumentar a cozinha, para alguns o trabalho dos bombeiros é tão limitado quanto um trabalho sazonal no Algarve, dura três mesitos de calor e pronto…
E nem vamos falar acerca de tudo o que se escreve e fala sobre sexo e pior um pouco sobre tudo o que não se diz por medos e vergonhas descabidas…
A pornografia entra-nos pelos olhos mesmo que não tenhamos pedido e clicamos no x no canto superior direito, mas se uma mulher escreve que fantasia em despir um desconhecido e ter uma noite de prazer com ele já é uma valente javarda que devia mas é ficar quieta, quiçá levar um corretivo do marido… Ah espera, não tem marido, deve ser uma frustrada ou pior que isso, lésbica…

O botão denunciar é tão utilizado quanto o like, o love e o emoji da Ira. Virar a cara é fácil quando interessa, mas se faz comichão à primeira vista, nem se dedica algum tempo a ler, a ver raízes, para quê?! Denuncia que não quero ver isto e esta gente devia ser toda presa… (Mas o vizinho do lado continua a bater na mulher e não se faz nada porque entre marido e mulher não se mete a colher...)

Usando uma analogia de um colega, imaginem uma rua cheia de restaurantes e um grupo de 200 pessoas que quer almoçar. Dá para todos, nas 200 pessoas com certeza há palatos diferentes e distribuidos pelos Restaurantes de toda a rua, todos ficarão satisfeitos. Mas há sempre um que quererá ficar com a facturação de 200 pessoas num serviço de almoço e arranja esquemas para tal… Se vacilar muito faz uma queixa a dizer que o restaurante da frente está a grelhar ratazanas a céu aberto… Assim é no mundo da escrita, há quem ande nisto por paixão pura, há quem o faça para ganhar a vida, há quem o faça para alimentar o ego e arranjar alimento também para a libido aqui e ali… Há quem se alegre com o sucesso de outros, há quem não o suporte e transforme a concorrência em alvos a abater…

Estou enjoada, enojada com a pequenez de algumas mentes, sabem? Há muitas coisas das quais não gosto, há um ou outro que não tem qualquer ponta de talento, ainda que tenha uma legião de fãs mas eu apenas os deixo ser… Não olho, não vejo, não como. Ponto! Se eu não gosto, há quem goste. Dá para todos!

Vivam e deixem viver, criem e deixem criar… Já que olham essencialmente para o próprio umbigo, foquem nesse egoísmo sem perturbar os outros… A gerência agradece…

Não, não quero saber se feri susceptibilidades, não me interessa que me denunciem, vou continuar a escrever o que escrevo, como escrevo porque é isto que sou… Só saímos mais fortes… Porque a paixão é um motor mais potente que a inveja…

©VickyM 07.07.2017 #69letras

Deixar uma resposta