Ei! Estou-te a chamar… vens por a música a tocar?

Para onde foi a melodia deliciosa, a banda sonora dos meus dias?
Porque baixaste o volume? Podes aumentar? É que estava gostar de te escutar.

Não gosto assim, de ter a minha audição a descoberto sem a voz que me consome por perto. Ignoro os outros sonos, alerto-me e fico à cautela separo todos os sons e abro um caminho de terra batida da cor da promessa dos teus passos entre árvores cerradas no meio de uma floresta perdida. Não te percas e torna a mim enchendo o meu sorriso para que to recite ao ouvido.

Não te estar a escutar é como se o sol tivesse deixado de amanhecer e a lua de crescer. Os oceanos combatem e as estrelas caiem. Onde está o brilho? Onde está o doce calor da tua voz?

Ah! Se meu corpo fosse gigante já teria provocado um abalo por esse mundo fora tal é o tremelicar das minhas pequenas pernas neste soalho flutuante.

Ei!
Estou-te a chamar… vens por a música a tocar?

© 👠Cátia Teixeira, Vizinha 69 Letras 2016

Deixar uma resposta