A minha SOLIDÃO tão minha

Hoje para variar um pouco vou-vos abrir a minha alma, parte dela pelo menos.
Aqui há pouco tempo, alguém que nos segue na página e conhece a minha verdadeira identidade, pessoa que muito estimo questionou-me se não me sentia Só.
Quem me lê com alguma regularidade deve-me achar um tarado ou pervertido, quem me conhece intimamente sabe que apesar de florear algumas situações e, nunca mencionar nomes todas elas são biográficas e realmente aconteceram em algum momento da minha vida.
Posto isto passo a responder à questão.
A solidão para mim é uma escolha felizmente, não o resultado de algo nefasto ou cruel, como é óbvio.
Não nasci Bastardo.
Desde muito cedo que me sinto um homem de paixões, ou era tudo ou nada, entreguei-me sem restrições nem limites a todos os amores que tive fosse de forma inocente ou deliberada, tentava aprender com os erros anteriores e fazer melhor.
Todos nós sabemos que acabamos involuntariamente por cair nas mesmas armadilhas, nas repetições mais ou menos dissimuladas mas com igual resultado. Mágoa, dor, isolamento, incompreensão, perda de confiança.
Depois do meu último divórcio resultado da minha incontrolável libido e excesso de traições coloquei um basta. Fiz celibato durante perto de um ano e, resolvi renascer para mim próprio, Comecei por isolar o meu coração da mágoa, não falo em erguer muros e paredes que mais cedo ou tarde vão fracturar e cair. Refiro-me exclusivamente à parte dolorosa, alimento o meu coração com as amizades verdadeiras que me têm nutrido o espírito. Com novas amizades como as que descobri neste grupo, que me recebeu de braços abertos a mim e à minha mente devassa.
Alimento-me dos seres magníficos com os quais vou cruzando ao longo do dia a dia e que me mostram, que a humanidade não está totalmente perdida, perguntam-me.
E as mulheres?
As mulheres para mim são algo de maravilhoso, único, amo cada uma intensamente, a minha intenção é, e será sempre o seu prazer e dedico-me com todo o meu ser a esse objectivo, seja uma loura de manhã e uma ruiva ou morena há tarde ou à noite.
E…, não! Não é qualquer uma!
Essa fase passou-me logo aos vinte anos, agora no presente, têm que ter algo que me atice. Seja o olhar ou o sorriso, o cheiro ou o som da sua voz, a malícia ou provocação dos seus trejeitos.
Em dias de sorte tudo isto combinado com o órgão mais sexy que conheço e penso, que as meninas concordaram comigo.
O cérebro.
Vibro com a inteligência, excita-me a incrível capacidade que elas têm de dialogar quase sem falar, a forma delicada do olhar e a expressão corporal que quase inconscientemente me seduz.
É divinal!, Na verdade nem sozinho me sinto só, em casa tenho imensos diálogos unilaterais.
A minha loira de 4 patas ora concorda com os meus desabafos lambendo-me a cara efusivamente ora, discorda e dá-me pequenas marradinhas no toutiço, enquanto observo a imensidão da lua ou plenitude do oceano e absorvo deles a sua energia e paz.
Na verdade, sou uma mente plena de sentidos como todos nós mas no meu caso, meu corpo é uma prostituta de Elite que se dá, não por dinheiro mas algo muito mais valioso.
O prazer de dar prazer.
Grato por me aturarem.
©Bastardo 2017 #69Letras

Deixar uma resposta