A distância que me dá sede

Será sede a mais?
Não há dia que não acorde de boca seca ansiando a tua. São precisos precisos mais quantos dias nisto?
Parece um castigo.
De uma forma ou de outra estamos sempre num espaço só. Temos sempre um cantinho reservado. Mas há algo que nos castiga e nos impede de sentir tudo e nada ao mesmo tempo. Raio da distância.
Sei que não caminhamos sozinhos nem deixamos que isso aconteça. Mas a caminhada é cheia de obstáculos e contratempos que mais parece que fizemos mal a alguém, que nos empurram, que nos bloqueiam, que nos tapam a vista.
No inicio do dia, ao fim da tarde, a meio da noite… Existem aqueles momentos súbitos em que nada tem cor ou nada faz sentido porque esta coisa do espaço se mete entre nós.
Até quando? Só mais hoje? Será já amanhã? Quando?
Quero saciar esta sede. Matá-la de vez. Quero-te sem esta coisa entre nós.

© 100Modos 69 Letras® 21.06.2017

Deixar uma resposta