Respeito,Poder e Entrega .

Agora que já conhecem um pouco mais sobre o “Quem é quem?”  já posso falar sobre alguns tipos de relacionamentos que podem encontrar neste meio.

Tudo começa com o conceito de cedência de poder ou como alguns se referem “power exchange”, já tinha dito anteriormente qualquer relação independentemente que possa haver ou não envolvimento pessoal a palavra de ordem é “respeito”
Quando aceitamos ter o controle ,aceitamos a responsabilidade que isso acarreta ,temos de cuidar, aconselhar e proporcionar experiências sempre tendo em conta os desejos de quem a nós se submete.
Qualquer prática seja de humilhação, infligir dor enfim não interessa o que quer que façamos são ferramentas usadas para obter uma reacção no bottom.
Seja de forma de correcção ou apenas prazer,entendam que se um submisso for humilhado não é porque a parte Dominante tem desdém pela pessoa pelo contrario respeita-o.
Se um Top sádico inflige dor na sua submissa não signifique que não a ame.
Pode parecer confuso ,mas é assim mesmo.
Ao meu ver para que um relacionamento desde cariz funcione a parte dominante entende que o verdadeiro poder está sempre na mão do submisso/a.
Pois se formos a ver quem se entrega tem sempre a ultima palavra ao que acontece e é quem escolhe ceder o poder, pois ele não pode ser tirado e não se ganha , é sim como um presente que nos é dado.
Espero que entendam que não falo por todos os praticantes e esta é a minha percepção,a informação que transmito é apenas um mecanismo de aprendizagem para quem quer saber mais sobre este assunto ou está a iniciar.

Já agora alguns de vocês podem ter ouvido falar de BDSM de quarto e como muita gente anda a experimentar trazer o BD e SM para o leito conjugal e que bem que fazem afinal nada melhor que apimentar as coisas , certo?!
Á conversa com várias pessoas acabo sempre por explicar a diferença de ser passivo e activo e ser dominador/a ou submisso/a,aproveito já para pedir que não confundam isso,somos passivos ou ativos não faz de ninguém dominador ou submisso,pode ser?!É que ser dominador/a não é coisa assim que se aprenda em 5 minutos convém fazer TPC´S ehehe e uma mulher não é submissa só porque de longe em longe adora levar uns valentes estalos na cara que lhe puxem o cabelo e chamem de cadela,ok?! Ainda bem que essa parte ficou entendida.
Já para não falar que sexo não está sempre presente nas relações DS ,BDSM não é foda vai bem alem disso .
Desculpem se estraguei aí algumas fantasias lol,mas a verdade é que nem todos os praticantes o fazem isso vai depender de muita coisa.

A verdade é que não há BDSM certo ou errado tudo é válido seja Hard,Soft,Sensual Dominance ,Gore enfim cada um vive á sua maneira eu por exemplo gosto de relacionamentos DS 24/7 significa que mantenho contacto com quem me pertence e crio um relacionamento com a pessoa ou seja não se limita a sessões esporádicas ou praticas regulares, existe quase que um vinculo de amizade a diferença é na postura pois trata-me pelo meu titulo nunca me trata por tu e nunca deixamos o nosso alter ego ou seja assumo sempre postura de Domme e ele de submisso.
Mesmo que seja pra reclamar do tempo ou porque o Sporting perdeu de novo,ehehe.
Não quereria de outra forma,afinal o tipo de submisso que gosto são Pet´s e como qualquer bichinho de estimação cuido, dou atenção , treino e moldo aos meus gostos recebo em troca devoção completa e entrega total , para mim é mais que perfeito.

Por falar em Pet´s outro tipo de relacionamento semelhante a este é o que os Daddys Dom´s ou Mommys têm com os seus Littles também existe um cuidado e proximidade para não falar de intimidade para com este tipo de submissas/os pois neste tipo de relação há carinho não é só castigos e rabinhos vermelhos de levar com chibatas ou réguadas lol.
E os Daddys ou Mommys têm cuidados extras com estes tipos de submissos, dão atenção, cuidam, disciplinam mas ao mesmo tempo faz da dinâmica deste play .

Mas se formos falar de um escrava aí a coisa muda de figura pois as expectativas são completamente diferentes que as de uma baby girl ,uma escrava á partida sabe que o seu propósito de existência é para dar prazer ao seu Dono/Mestre e sem questionar servi-lo da melhor forma que pode, não contraria não há cá quereres ou birras é uma coisa completamente distinta outro tipo de ligação além que é raro um relacionamento genuíno de escrava/o e Mestre/a não se vê aí aos pontapés, pois o envolvimento passa para além de plays e mistura com a vida baunilha é comum ver casais neste tipo de relacionamentos em que vemos num contexto de dia a dia a submissa ou o submisso a usar um adereço que aos olhos alheios pode parecer um simples colar ou pulseira mas que o significado é que pertence a alguém e aquilo que usa simboliza essa união, tal qual uma aliança de casamento, ao meu ver são muito intensos este tipos de relacionamentos onde se pratica o TPE (Total Power Exchange)que resumido é uma entrega total  é de louvar quem tem este estilo de vida.

O escravo/a nunca deixa de o ser seja em contexto familiar,social enfim é escravo dentro e fora das sessões , limites há poucos.

Mas para já acho que já deu para perceber mais umas coisitas,bem Kinksters por esta semana é tudo ,espero por vocês na próxima quarta.
Um valente chupão nesses pescoços , #Misses Kat
#69letras

Deixar uma resposta