Posso te conhecer?

Um dia igual a tantos outros e no entanto bastou um toque que o diferenciou de todos os outros. 

Numa esplanada vulgar. Eu sentada com um chá frio à frente e um livro na mão.  

Cenário habitual num dia que marcou toda a diferença. Embrenhada num romance de outros tempos, nem me apercebi que se aproximam da minha mesa. 

Sinto um toque na minha mão. Electrifica-me! Arranca-me do mundo encantado sem pedir licença.

-Posso conhecer-te? 

Não consigo gesticular uma palavra que fosse. Já há muito que não era surpreendida assim. Preciso de um momento para me orientar. 

No entanto não quero acreditar na boa sorte que me tocou à porta e recuso.

-Já conheço pessoas que chegue, obrigado. 

Como se fosse um ser não merecedor de atenção alheia.

-Posso ao menos provar-te do contrário? Aposto que nunca conheceste ninguém assim como eu. 

E tinha toda a razão. Constantei o facto ao observá-lo enquanto se sentava sem pudor na mesa já ocupada por minha pessoa. 

E ficou à minha frente, desafiando o meu muro a cair e incitando o meu baixar de guarda munido apenas dum sorriso. 

-Mas o que quer de mim? 

Apenas isso, conhecer-te. Podes até me tratar por tu, como eu já faço contigo. E depois, quem sabe, podíamos fazer algo mais perigoso! Tipo partilharmos um chá frio, trocarmos livros ou até se formos mesmo muito rebeldes mesmo, passearmos juntos enquanto conversamos sobre o tempo. Que dizes?

E completamente desarmada, caí. Escapou-se me um sorriso que depressa se intensificou numa gargalhada partilhada com aquele estranho. 

Conhecemo-nos naquele dia e partilhamos muito mais que meras gargalhadas. 

Depressa nos tornamos confidentes enquanto os dias que se seguiram se tornaram mais diferentes e marcantes nas nossas vidas. 

Tudo porque me deixei levar numa ousadia estranha de dar-me a conhecer a alguém. 

 

©Miss Steel 69letras 2017

 

 

 

 

 

 

Deixar uma resposta