(…)Perdi-me naquele azul, tal qual um veleiro no meio do Atlântico.

Mais um 14 de Fevereiro.
Para uns considerado o dia dos namorados, para outros o dia de São Valentim, para outros a Lupercalia e para mim, um dia como outro qualquer.
Não que não seja interessante, mas a verdade é que sempre o passei sozinho.
Até este ano! Este ano será diferente. Tenho a certeza!
Chego à loja mais cedo. Arrumar material, limpar o pó, ligar o computador, a rotina usual, mas desta feita, mais cedo para que consiga contemplar (como tem sido hábito…) a rapariga da loja em frente.
Depois de tudo preparado, fico encostado ao balcão…à espera do momento!
E passado um pouco, lá vem ela.
Nos seus saltos altos pretos, saia preta de pregas e camisa branca, com o seu cabelo loiro e os seus lábios com um baton vermelho que me deixa extasiado!
Na mão, um pano para limpar a montra.
E enquanto o faz no seu jeito sensual, ali estou eu…
Perplexo! Quase de boca aberta e olhos vidrados a contemplar aquele quadro!
Diz-me bom dia e eu balbucio qualquer coisa ao que ela sorri…
Hoje vai ter de ser “O” dia em que a vou convidar para jantar!
Encho-me de coragem e decido aproximar-me!

Tinha acordado chateada, mal humorada mesmo.
Mas o dever obrigava-me a ir para a minha rotina diária, o trabalho.
Cheguei cedo, como habitual, ligo as luzes, e sacudo algum pó por ali espalhado…
Tomara que ninguém me olhasse, hoje não queria mesmo lidar com pessoas…nem ver ninguém!
Mas quando… e sem que me apercebesse, estava o rapaz do stand ao lado, especado a olhar-me! Como boa cortesia dei-lhe os bons dias…
( subtilmente, desabotoei um botão da camisa ), este não era um rapaz qualquer.

-Olá, sou o Sin. O teu nome é..?
-Lost. Miss Lost.
Os nossos olhares entrelaçaram-se! Perdi-me naquele azul, tal qual um veleiro no meio do Atlântico.
Nem sei bem definir o que se passou naquele momento.
Sinceramente nem dei conta que a loja já estava aberta e cheia de clientes.
Nada mais importava naquele momento.
Era eu e ela!
-Saio às 20. Queres ir jantar comigo?
Fiquei atordoado com a sua pergunta. Acenei com a cabeça pois a voz nem sequer saía!
E tal como eu previra, hoje seria um dia diferente!

Não era mesmo um rapaz qualquer, já há muito que algo me fazia sentir diferente quando o via, sempre tão compenetrado no seu trabalho. Nossos olhares já há muito se perdiam um no outro, mas nada mais…
Fazia tudo para que ele reparasse em mim, quando por ali passava.
Mas nesse dia, porque não era um dia qualquer, enchi-me de coragem e convidei-o para jantar.

Às 20 em ponto lá estava eu!
E ela também!
Ninguém se atrasou!
Talvez ansiosos pelo momento vindouro!
Sorrimos um para o outro…
Avancei para ela…e sem receio, beijei-a!
Um tocar de lábios e ao mesmo tempo de almas!
Tudo parou à nossa volta.
Silêncio total!
Olhámos um para o outro e timidamente sorrimos.
-Gostas de sushi? – perguntei.

Não houve atrasos…
Chegámos no mesmo momento…
Sorrimos, e inconscientemente as nossas bocas se calaram uma na outra deliciosamente
desejadas. Irresistível!
Como o sushi que me oferecias…
Fomos embalados pelo momento, embevecidos desse desejo e voltámos a beijar-nos.
Não perdemos mais tempo, pois a noite prometia ser longa e levaste-me para o restaurante.
Se há noites que ficarão marcadas, esta certamente será uma delas!
O seu sorriso mostrava-me o pecado…
O meu sorriso mostrava-lhe que se perderia em mim…

Miss Lost 69 Letras®
7thSin✟ 69 Letras® 07.02.2017

Deixar uma resposta