Não me largues

Sei que sou intensa, inconstante e de efeitos colaterais graves. Mas não te impede de me gravares no teu peito a tinta permanente, com toda a loucura que desperto em ti.

Desejas-me demasiado, mais do que o teu corpo te permite. Tanto me largas abandonada na valeta, como me resgatas no teu abraço.

Loucura desmedida, é a nossa melhor descrição. Uma paixão  suicida que partilhamos.

Mas só nos sentimos vivos assim…

Sempre à beira do abismo dos sentidos com a tesão da adrenalina a correr-nos nas veias.

E como já me disseste, se tiver que morrer agora, morro feliz.

Porque te conheci, saboreei o néctar dos deuses na tua boca e me senti forte no teu abraço proibido e frágil.

No caos das nossas vidas, tivemos um equilíbrio. se era saudável? Claro que não! Mas os nossos espíritos perversos empurram-nos da montanha do respeitável razoável faz tempo. Enquanto nossos corpos ardem num fervor constante, as regras e bons costumes caiem na lama.

Se podemos virar costas a toda esta loucura, experimenta tu. Eu não sou capaz, nem quero.

Prefiro morrer no abraço da loucura desmedida do que nunca ter provado da liberdade dos sentidos.

©Miss Steel 69letras 2017 

 

3 thoughts on “Não me largues

  1. Adorei a última frase “Prefiro morrer no abraço da loucura desmedida do que nunca ter provado a liberdade dos sentidos”

    1. Olá Rosa

      Desculpa a demora da resposta mas as ferias exigiam a minha concentração total! LOL.
      Muito obrigado pelo teu comentário. Também acho, belo momento de inspiração.
      Continua a seguir-nos, na tua página preferida.
      69Letras.

      beijinhos, Miss Steel

Deixar uma resposta