Equação do amor

Faltam-me as palavras para escrever o que me vai na mente… Quando sonhamos com algo e esse algo passa a existir na nossa vida…. Acontece algo assim estranho e mágico… Como descrever aquilo que sentimos… Como descrever aquilo que nos faz funcionar enquanto seres humanos… O facto é que o coração bombeia sangue… O facto é que a cabeça através de milhares de impulsos eléctricos mantêm esta máquina em funcionamento… Tudo tem uma explicação cabaz e lógica… Ainda assim… O amor… Aquela coisa do coração… DO cupido… Tira toda a lógica da equação… Como posso eu pegar numa régua e esquadro e tentar explicar a perfeição dos teus lábios… Como posso eu pegar numa lupa e procurar defeitos no teu olhar apaixonado… Como posso eu tentar procurar uma equação matemática num resultado infinito do que sinto por ti… Gostava de poder entender esta suposta explicação que mexe com tantas contas…. Tantas equações…. Tantos ângulos… A mulher é um volume de geometria variável…. Faz-me quase recordar os meus tempos de mecânico automóvel e os recém-lançados turbos de geometria variável…. Quanto mais aceleras mais a geometria produz potencia… E uma mulher apaixonada é de uma potência incalculável… Só de pensar que um carro vai do zero aos cem em dois segundos… Uma mulher… Com o seu olhar faz temer o pior em breves milissegundos… Ainda assim… O Amor… Essa palavra que nos assoma a alma… Que faz o coração bater forte e nem sequer é preciso estar nos preliminares sexuais… Quando se chega a esse ponto… O coração torna-se numa máquina dos infernos, qual “Ferrari”, qual “Mustang”, o coração a bombear sangue para cumprir todas as necessidades… Nos homens, o sangue que sai do coração bate na cabeça superior e desce para baixo a uma velocidade vertiginosa…. É tão rápida a ascensão… Que até uma brisa levanta… Um automatismo… Uma necessidade… Um pouco como a língua e as suas dezenas de músculos… O beijo com a língua…

Um beijo é uma manobra perfeita, ainda melhor que o dito sexo onde cada um luta com o que lhe dá mais prazer, mas ainda assim, quando do orgasmo se suspira, a bomba atómica explode de uma forma tão violenta que as respirações antes ofegantes… Caem num vazio silencioso… Dois corpos extasiados… Dois corpos despidos e quentes… Tal como o carro acabado de estacionar… Demora o seu a arrefecer… Assim são os corpos despidos… Mas ainda assim, são como o carro, entramos no carro, metemos a chave na ignição e rodamos… E o motor arranca num movimento perfeito… Assim é o homem e a mulher após o primeiro orgasmo… Recuperam em segundos e recomeçam novamente tudo… Haja equações matemáticas para explicar a ciência do sexo… Haja equações matemáticas para explicar a ciência do amor…

Para terminar:

Make Love, Not War. Carpe Diem

 

NMauFeitio #69Letras

Deixar uma resposta