Batida atrás de batida…


Vida madrasta que tanto me tiras.
Serei demasiado fraca para te enfrentar ou altruísta o suficiente para não te dar razão?
Nestas noites que percorrem meu corpo, faltam-se as forças nos meus joelhos para me aguentar de pé.
Batida atrás de batida,
Os meus pés arrastam-me para o meu caminho, seja ele certo ou errado.
Em tempos conseguia distinguir, sem dificuldade alguma o certo do errado.
Hoje vejo o quanto estava errada.
O certo e errado não passam de imposições de frustrados em que a vida não correu da maneira que eles desejavam.
O tempo continua a passar…
De meninas passamos a mulheres, de garotos a homens e de longe nos cheiramos e identificamos.
Não me queixo, aliás sempre vivi a vida que queria no momento.
E todos esses homens devoraram a menina, e a mulher sem escrúpulos passou ensinamentos a muito bom garoto.

Hoje, em breves relances de um passado não tao longínquo, sei que fui feliz, sem olhar a quem.

Krishna 69Letras

Deixar uma resposta