Abyssus abyssum invocat (Um abismo atrai o outro)

Aquilo que hoje vos trago, é parte de mim.
Decido partilhá-lo convosco pois a família, não são só aqueles de sangue.
Não sei precisar a data, pois decidi que essa, não faria parte da minha memória, mas apenas o momento.
Grande parte de nós, já passou por muitas dificuldades durante a vida. Já tivemos momentos em que chorámos e num ombro amigo, encontrámos consolo.
Já tivemos momentos em que dentro de nós morava tamanha tempestade, que a única coisa que precisávamos, era um porto de abrigo!
Felizmente, temos sempre aquele amigo ou familiar que se apercebe de que algo não está bem e decide ajudar. E por vezes, apenas com o dom da palavra, nos consegue trazer à realidade.
Nos consegue puxar da beira do abismo!
Lembro-me perfeitamente daquele dia…
Do dia, em que peguei no carro, fechei o portão da garagem e parti em direcção ao Guincho.
A intenção era simples…
Não voltar!
Já não sei quantas horas estive sentado numa das (imensas!) rochas que aquele local tem. Durante todo o tempo que lá estive, escrevi.
Escrevi como um louco, num pequeno bloco, como se quisesse transportar para aquelas folhas tudo aquilo que me corrompia a alma! A caneta e o papel não julgam! E aquela seria a minha verdade! O meu desabafo! Para que quem o lesse tivesse um pouco de compreensão, um pouco de piedade sobre aquilo que eu fui, ou que pelo menos julguei ser.
E pudesse fazer o que eu não consegui…descobrir quem sou!
No entanto, e não me questionem porquê, todo aquele monólogo escrito fez com que dentro de mim despertasse algo! Ou melhor, acordasse algo adormecido…
A paixão pela escrita!
Pensei para mim…”Sin, não será agora a tua hora! A partir de hoje vais agarrar nesse bloco e nunca mais vais parar de escrever! Escreve tudo o quiseres. Coisas sem sentido, mentiras, expressar a realidade, ou se quiseres, rasga as páginas! Mas escreve! Mostra através da escrita quão frágeis somos e ao mesmo tempo tão fortes!”
E foi na escrita que encontrei o meu porto de abrigo.
O meu refúgio, asilo de todas as minha loucuras e amparo nos momentos mais difíceis!
Foi a escrita que me puxou de um abismo, para me lançar para outro!
Um outro abismo que me invade a alma com palavras tão sonantes e cheias de verdade como as que um dia me puxaram para a realidade…
Aquela que hoje partilho convosco…

7thSin✟ 69 Letras® 24.02.2017

Deixar uma resposta