Treinar o desapego

Desapega. Deita fora. Manda pró espaço. Deixa fluir. Deita fora o que não te faz bem: os amores mal resolvidos, a mensagem não visualizadas, os colegas que não te querem ver assim tão bem… vai te desapegando aos poucos e deixa as coisas melhorarem conforme o tempo passa. Acredita: elas vão melhorar.
A sensação que nos toma quando o apego é forte, pode ser avassaladora. Pode tirar a paz, se manifestar como stress e desencadear ondas de tristeza. E tu precisas disso? Não, não precisas! Dá pra viver com sossego, daqueles bem merecidos.

Já deitaste fora tudo que te faz mal? Ótimo. Deves saber que eles ainda estão rondando, então, aproveita a limpeza emocional para deitar todo esse lixo pra fora, sem dó.
Exorciza esses encostos da sua vida. E não te culpes por nada. Podes ter namorado o demónio e isso não significa que és uma má pessoa também. Nem penses que é bom só porque alguns dos teus amigos abandonaram-te. Pensa apenas que eles nunca foram teus amigos, e sim colegas. Se está difícil conseguir um emprego, não desanimes. Não está fácil para ninguém. Se na faculdade vai tudo mal, fica a saber que com esforço chegas lá (e depende só de ti, por isso encara tudo de modo positivo). Aquele esquema deixou de responder às mensagens? Não fiques à espera, o mundo não para!
A vida é muito curta para gastar o tempo com pequenos vícios. Sabes, aqueles pequenos vícios que nos deixam loucos de raiva e que não precisam de um gasto tão grande de energia. Com o tempo, esses grandes problemas são apagados pelo tempo, e até parece que ficam empoeirados nalguma prateleira inalcançável.

É difícil dizer “Rua problema! Sai da minha vida. Vaza. Chispa.”. É mais difícil ainda colocar isso em prática. Precisas de saber para onde queres ir. Precisas de te questionar mais, sobre a vida, trabalho, família, estudos, relacionamentos. É preciso traçar um objectivo e tentar chegar lá, dar o sangue para chegar aos resultados.
Então, depois que deitaste tudo no lixo, faz uma lista do que te faz bem. Lista tudo. Aquela música do Chet Faker. Aquele episódio da tua série favorita. Até música brega vale (inclusive Maria Leal!). Coloca, também, todas as pessoas que fazem o teu dia valer a pena – e agradece. Não te esqueças das pequenas coisas: da brisa no teu rosto quando voltas para casa, da simpatia do vizinho de cima, do teu cantinho, do sabor do café, do pôr-do-sol. Faz a lista das tuas cores preferidas, não precisa ser uma só.
Agradece, mentalmente, às pessoas que te provaram que a vida não é um mar de rosas. Coloca na lista a lasanha que só a tua avó sabe fazer. Lista as tuas fantasias sexuais preferidas. Solta-te! Uma lista de gratidão pode te dar mais ânimo para esquecer de vez a parte má.

Não negues os teus sentimentos. Separa as coisas que te fazem bem das que te fazem mal. E não tenhas nenhum problema em desapegar do que te tira o sono. Depois de desapegar vais acabar por te sentires mais leve e, consequentemente, mais feliz.

Texto adaptado e ligeiramente alterado para Português de Portugal
Fonte: https://www.facebook.com/teescrevi.ju

Deixar uma resposta