Objecto de desejo…

Podia partilhar esta tesão, podia descarregar o meu fogo na primeira boca que aparecesse… Entregar o meu sexo à degustação, encher eu própria a boca, comer e calar…
Mas este meu desejo teima em assumir formas, sabores, cheiros… Teimo em querer esta forma de satisfação, teimo em fantasiar sobre aquela língua, aquele pau, aquelas mãos sobre a minha pele em chamas… É ao som daquela voz que gotejo de prazer até enquanto me masturbo na tentativa de manter alguma sanidade mental…
Vestida de seda, em lingerie ou em cabedal… Montada nos saltos, de chicote na mão ou descalça, submissa… Entregue, perdida, encontrada, tida e achada, fria e calculista, relaxada ou solta…
No meio da luxúria que é o meu cérebro ninfomaníaco, quando abro os olhos, sei bem o que quero ver…

©VickyM #69letras

Deixar uma resposta