Nestas mãos

Nas minhas mãos suaves que nem veludo carrego pedras duras e cruas da vida. Por vezes eu própria me questiono se nestas mãos caberá o mundo de palavras rispidas com que me deparo todos os dias.
O mundo gira em torno de si próprio como se bailasse à volta do seu umbigo.
E estas mãos iguais a tantas outras continuam aqui. Carregando o peso das expectativas alheias dependendo somente da ajuda duma esperança que teima em reinar no coração maior que a sua força.
Será que alguma vez estas mãos encontrarão o conforto de outras que lhe se ajustarão que nem uma luva.
Por enquanto mantenho-as resguardadas. Seguras nos bolsos dos meus pensamentos.
Cujos os quais não largo mão.

©Miss Steel 69letras 2017 

Deixar uma resposta