Encontros num parque de estacionamento…

| Conto Erótico | Maiores 18 |

 

Se um beijo pode revelar mil segredos… Um olhar despertar mil tentações… Um toque pode incendiar a pele… Um gemido pode atear o prazer… Um sussurro pode excitar no momento certo… E pode-se fazer tanto ao mesmo tempo…

O parque de estacionamento do Saldanha… Ainda me lembro como se fosse ontem… Depois daquele café que vinha queimando em lume lento… Chegara o momento da despedida… Acompanhei-te ao carro… Abriste a porta do mesmo… A conversa de trazer por casa continuava… E eu sem saber se tinha luz verde ou não… Arrisquei… A vida é feita de riscos… E eu poisei a mão nas tuas coxas… Sendo mais directo… Segurei convicto o teu rabo… Acariciei… Apertei… Senti o volume… Esperava tudo… Um estalo… Um grito… E nada disso recebi… Apenas um encosto mais forte do rabo na minha mão… Não me fiz rogado quando o sinal abriu o verde… Tirei a mão do rabo… Agarrei-te no braço qual minha presa… Puxei-te com alguma violência para mim… Ficaste meio baralhada e mais baralhada ficaste quando te roubei o beijo que esse não esperavas… Ou talvez o desejasses… Um beijo capaz de tirar o ar… Um beijo de corar… Olhei nos teus olhos quando tirei os meus labios dos teus… Segurei-te mais forte contra mim… Ali entre os carros… Larguei a mão… Até sentir o contacto da minha mão com o teu rabo… Aquela palmada… Perfeitamente endiabrada de vontade de te possuir ali mesmo… O toque da palmada… Corou-te… Sussurrei ao teu ouvido o que me apetecia fazer-te ali mesmo… Coraste mais e respondeste… Faz… Qual nervura… Qual loucura… Encostei-te ali mesmo ao carro… Beijei os teus lábios… Profundamente… A minha mão deslizou para entre as tuas pernas e senti a tua humidade… O teu calor… E ali mesmo… Te fiz sentir o quanto louco posso ser… Desviei o que me cruzava o caminho… E usei a minha mão em ti… Enquanto mordiscava o teu pescoço… Senti a tua mão nas minhas calças… Massajando-me suavemente… Excitando-me mais do que estava… Meti um dedo dentro de ti… Senti o teu sumo no meu dedo… Sumo quente… Deslizei até não poder mais… Gemeste… Um gemido baixo… Era dia… E muita gente na rua… Senti as tuas unhas cravadas nas minhas costas debaixo do casaco… Cravaste com força… Tive de me controlar para não gritar também… Beijei-te para nos fazermos calar… Apeteceu ir para outro sitio qualquer saciar aquela vontade… Mas penetrei-te novamente… Um segundo dedo revirando o teu corpo… O teu sexo… Deslizando lentamente dentro de ti… Saciando aquele apetite voraz… Todos aqueles poucos minutos pareceram horas de prazer… Mesmo quando atingiste o orgasmo ali mesmo… Na ponta dos meus dedos… Senti uma vez mais as tuas unhas cravadas nas minhas costas… Desta vez… Mais forte… Mais violento… O gemido… Leve… Prazeiroso… Bom… Terminei a minha vontade… Mas preferia ter-te possuído com a minha alma… Com o meu corpo… Ajoelhei na tua frente… Fiz questão… De te tirar as cuecas e meter no bolso do casaco… Tu voltaste… Sem elas… Para casa…

E sim… As cuecas ainda andam guardadas algures numa caixa de recordações… Umas entre várias…

 

NMauFeitio #69Letras

Deixar uma resposta